🔴 NOVA META: RENDA EXTRA DE ATÉ R$ 2 MIL POR DIA – SAIBA COMO

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
São os fundamentos...

UBS BB rebaixa Braskem (BRKM5) para neutro e derruba ações – mas mudança não tem a ver com possível venda da fatia da Novonor

Banco mantém preço-alvo da ação e alega que rebaixamento se deve aos fundamentos, pois não vê possíveis gatilhos de alta no horizonte

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
18 de maio de 2023
13:40 - atualizado às 13:41
Funcionário da Braskem
Funcionário da Braskem - Imagem: Braskem / Divulgação no Facebook

Em meio às discussões sobre a possível venda da participação da Novonor na empresa, a Braskem (BRKM5) teve hoje sua recomendação rebaixada de compra para neutro pelo UBS BB, o que levou suas ações a ficarem entre as maiores baixas do dia.

Por volta das 13h30, o papel BRKM5 recuava 1,84% a R$ 22,94, uma das maiores quedas do Ibovespa. Acompanhe nossa cobertura completa de mercados.

O banco, no entanto, argumenta que sua reavaliação não tem realmente a ver com a possível venda da parte da ex-Odebrecht na petroquímica, mas sim com os fundamentos do negócio, que, na visão dos analistas, não apresentam grandes gatilhos de alta pela frente.

Ação da Braskem (BRKM5) já chegou lá

Negociada hoje na faixa dos R$ 23, a ação da Braskem já se aproxima do preço-alvo definido pelo UBS BB, que foi mantido em R$ 26.

Segundo o banco, após a grande valorização recente – em grande parte motivada pelas notícias sobre a venda da parte da Novonor na empresa –, os papéis passaram a ser negociados a um múltiplo de 5,5 vezes o valor da empresa/Ebitda projetado para 2024, "em linha com a média histórica, o que implica um potencial de alta limitado, se considerados apenas os fundamentos", diz o relatório publicado nesta quinta-feira (18).

Ao menos por ora, ao que parece, os analistas do UBS BB não consideram que uma possível venda da participação da Novonor na Braskem possa levar a novas valorizações no papel, como a alta vista recentemente.

Isso porque, a oferta feita pelo fundo Apollo e pela estatal árabe Adnoc, no valor de R$ 47 por ação, teria sido rejeitada, conforme notícia do jornal O Globo citada no relatório.

O motivo teria sido o fato de que o valor de R$ 47 – bem superior ao preço atual – não corresponderia ao valor líquido da operação. No fim das contas, a oferta renderia aos acionistas somente algo entre R$ 27 e R$ 30, bem próximo do preço-alvo do UBS BB, inclusive.

VEJA TAMBÉM — “A Bet365 travou meu dinheiro!”: este caso pode colocar o site de apostas na Justiça; entenda o motivo

O banco acredita que, na modelagem da sua oferta, o fundo Apollo e a Adnoc tomaram como premissas o mesmo cenário que o UBS BB para estimar o preço: os spreads de meio de ciclo para os principais produtos comercializados pela Braskem, projetados para este ano e o próximo.

Estes ainda estão abaixo da média histórica, mas já são superiores aos spreads mais baixos praticados no fim do ano passado. Ou seja, nem o UBS BB, nem aparentemente os potenciais compradores consideraram o pior cenário para chegar à sua precificação das ações da BRKM5.

Os analistas consideram as seguintes projeções de spreads da CMA:

  • Polietileno de nafta: spread médio de US$ 301/tonelada em 2023 e US$ 350/ tonelada em 2024, acima dos US$ 295/tonelada no quarto trimestre de 2022, mas ainda abaixo da média de US$ 586/tonelada do período entre 2016-2020 (sem considerar os recordes de 2021-22).
  • Polietileno de etano: spread médio de US$ 795/tonelada para 2023 e US$ 776/tonelada para 2024, acima dos US$ 640/tonelada no quarto trimestre de 2022, mas ainda abaixo da média histórica de US$ 887/tonelada.
  • Polipropileno: spread médio estável de US$ 441/toneladas em 2023 e 2024, ainda abaixo da média histórica de US$ 654/toneladas.

"Nós reconhecemos que a performance recente [das ações da Braskem] foi em parte motivada pelos valores anunciados na oferta pela companhia, não necessariamente pelos fundamentos que nós discutimos. Entretanto, indiretamente, acreditamos que a oferta levou em consideração o desempenho de meio de ciclo, mais alinhado com a nossa visão, o que se traduz em um potencial de alta limitado, apoiando o rebaixamento da nossa recomendação."

- Relatório do UBS BB sobre a Braskem

Possível oferta da Petrobras pode bagunçar situação para os minoritários

Como, segundo O Globo, a Braskem continuaria avaliando outras ofertas para a fatia da Novonor, os analistas do UBS BB não descartam que novas propostas possam acabar funcionando como gatilhos de alta para os papéis da companhia.

No entanto, uma dessas possíveis propostas pode partir da própria Petrobras, a outra grande acionista da Braskem, que tem direito de preferência para adquirir a participação da sócia Novonor, hoje controladora da petroquímica.

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, em conversas reservadas, o presidente da estatal, Jean-Paul Prates, afirmou que a petroleira estaria avaliando exercer seu direito de preferência e assumir o controle da Braskem, o que inclusive estaria de acordo com a orientação do governo Lula de aumentar a atuação da Petrobras em empresas estratégicas.

Para o UBS BB, no entanto, tal transação traria incertezas para os direitos dos minoritários. As consequências de uma oferta para a Petrobras podem ser variadas, dizem os analistas, e o valor a ser oferecido para os minoritários pode ter mais impacto no preço da ação do que qualquer fundamento.

Compartilhe

DESTAQUES DA BOLSA

Falta de apetite chinês derruba as ações de Vale (VALE3), Gerdau (GGBR4) e CSN (CSNA3); mineradoras e siderúrgicas lideram quedas do Ibovespa hoje

23 de julho de 2024 - 14:18

A performance dos papéis reflete a queda da matéria-prima do aço no mercado internacional pelo segundo dia consecutivo

Novo indicador no mercado

Novo índice da B3 combina ações e BDRs mais negociados; confira os detalhes

22 de julho de 2024 - 18:17

Bolsa prepara para agosto o lançamento do novo indicador, que reunirá as ações do Ibovespa com recibos de ações de empresas internacionais

RECOMENDAÇÕES DE VENDA

HCTR11, DEVA11 e IRDM11: por que você deveria evitar esses três fundos imobiliários, na visão do Itaú BBA

22 de julho de 2024 - 14:50

O banco de investimentos analisou as perspectivas para diversos nomes do segmento de acordo com o contexto do mercado, a qualidade do portfólio, histórico e experiência da gestão

RECOMENDAÇÕES DA CLASSE

Dividendos altos e portfólios robustos: KNSC11, KNIP11 e outros seis fundos imobiliários de ‘papel’ para comprar agora, segundo o Itaú BBA

22 de julho de 2024 - 13:49

Os fundos que investem em títulos de crédito do setor imobiliário são tema de um relatório publicado pelo banco de investimentos hoje

EMISSÃO DE COTAS

HGRU11 quer captar até R$ 1,5 bilhão na bolsa e oferece um ‘desconto’ nas cotas, mas nem todo mundo poderá participar da oferta; entenda

22 de julho de 2024 - 12:35

A oferta é destinada exclusivamente a investidores profissionais, mas há uma exceção

ANOTE NO CALENDÁRIO

Agenda econômica: semana das big techs divide espaço com inflação e PIB dos EUA e congelamento de despesas; fique por dentro

22 de julho de 2024 - 7:01

Ganha destaque a próxima divulgação do Boletim Focus, com expectativas em relação a mudanças após o anúncio de R$ 15 bi em contingenciamento de despesas do governo

ENTREVISTA EXCLUSIVA

Bradesco Asset revela cinco apostas em ações para lucrar na bolsa brasileira — e um setor para manter distância

22 de julho de 2024 - 6:04

Ao Seu Dinheiro, Rodrigo Santoro Geraldes conta que a gestora também possui quatro apostas na carteira de ações fora do Ibovespa

FRIGORÍFICOS

Problemas para a BRF (BRFS3) e a JBS (JBSS3)? Brasil suspende exportações de carne de aves para 44 países — e a China é um deles

20 de julho de 2024 - 12:19

O Ministério da Agricultura decidiu voluntariamente paralisar as exportações de carnes de aves e seus produtos, com restrições que variam de acordo com os mercados

DÁ O PLAY!

Agora vai? Por que a bolsa brasileira despertou em julho e o que esperar das ações agora

20 de julho de 2024 - 11:00

Ibovespa já acumula alta de 3% em julho, depois de quase perder os 120 mil pontos no último mês; mas as ações finalmente vão decolar, ou será mais um voo de galinha?

BOLSA NA SEMANA

Por que as ações do Pão de Açúcar (PCAR3) desabaram 13% e lideraram as perdas do Ibovespa na semana — enquanto Usiminas (USIM5) subiu 5%?

20 de julho de 2024 - 9:22

As ações do Pão de Açúcar atraíram os holofotes dos investidores na semana após uma sangria na bolsa brasileira. Veja o que está por trás da queda dos papéis

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar