O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-03-28T10:36:08-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Renda fixa

Taesa (TAEE11) vai captar R$ 1,250 bilhão com debênture isenta de imposto para investidor; veja as condições

Taesa pretende usar o dinheiro captado no investimento dos projetos de transmissão de energia Sant’Anna, Ivaí e Ananaí, que foram arrematados em leilões da Aneel e estão em construção

28 de março de 2022
10:36
Torres de transmissão de energia
Torres de transmissão de energia - Imagem: Shutterstock

A empresa de transmissão de energia Taesa (TAEE11) pretende captar R$ 1,250 bilhão de investidores no mercado de capitais com uma emissão de debêntures.

Investir em uma debênture equivale a emprestar dinheiro para uma empresa, recebendo em troca de uma taxa de juros. Ou seja, trata-se de um investimento de renda fixa, como o Tesouro Direto ou CDB.

No caso da Taesa, um dos atrativos é que a emissão contará com isenção de imposto de renda para o investidor.

A legislação (Lei nº 12.431) permite que as empresas captem recursos via debêntures com isenção de imposto de renda para o investidor pessoa física, desde que os recursos sejam destinados a projetos de infraestrutura.

A Taesa pretende usar o dinheiro captado no mercado no investimento dos projetos de transmissão de energia Sant’Anna, Ivaí e Ananaí, que foram arrematados em leilões da Aneel e estão em construção.

  • IMPORTANTE: liberamos um guia gratuito com tudo que você precisa para declarar o Imposto de Renda 2022; acesse pelo link da bio do nosso Instagram e aproveite para nos seguir. Basta clicar aqui.

O que a Taesa oferece ao investidor das debêntures

A Taesa vai emitir as debêntures em três séries, com prazos de vencimento e taxas de juros diferentes. Quanto mais longo o vencimento, maior a remuneração ao investidor.

Quem estiver disposto a investir na terceira série, por exemplo, pode obter uma rentabilidade de mais de 6% ao ano além da variação da inflação medida pelo IPCA.

Vale lembrar, porém, que a taxa final pode ser menor dependendo da demanda do mercado pelas debêntures da Taesa.

O pagamento dos juros será feito a cada semestre pela Taesa, a partir de outubro deste ano. Já a amortização e a devolução do principal possuem um cronograma próprio. Veja a seguir as principais condições:

Primeira série:

  • Prazo: 7 anos, vencimento em abril de 2029;
  • Rentabilidade máxima: Taxa do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais com vencimento em 2028 + 0,25% ao ano ou IPCA mais 5,85% ao ano;
  • Amortização: no vencimento.

Segunda série:

  • Prazo: 10 anos, vencimento em abril de 2032;
  • Rentabilidade máxima: Taxa do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais com vencimento em 2030 + 0,30% ao ano ou IPCA mais 5,95% ao ano;
  • Amortização: a partir de 2030.

Terceira série:

  • Prazo: 15 anos, vencimento em abril de 2037;
  • Rentabilidade máxima: Taxa do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais com vencimento em 2035 + 0,40% ao ano ou IPCA mais 6,10%.
  • Amortização: a partir de 2035.

O investidor pode vender as debêntures da Taesa no mercado antes do vencimento, mas nesse caso a rentabilidade pode variar dependendo das condições do momento.

Além do risco de mercado, o investidor de debêntures está sujeito ao risco de calote da empresa emissora. No caso da Taesa, a emissão recebeu avaliação “AAA.br”, a melhor dentro da escala da agência Moody's.

O período de reserva para quem quiser investir nas debêntures da Taesa vai de 4 a 27 de abril. A definição das condições da emissão, incluindo a rentabilidade, acontece no dia seguinte. A oferta é coordenada pelos bancos Santander, XP, Itaú BBA e UBS BB.

Leia também:

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

PRESSÃO INFLACIONÁRIA

Pãozinho mais caro? Veja como a suspensão das exportações de trigo pela Índia pode encarecer ainda mais o seu café da manhã

Diante da guerra entre Rússia e Ucrânia, o Brasil vinha mirando na produção de trigo da Índia para suprir a demanda interna pela commodity

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Exterior pesa e Ibovespa abre em queda; dólar vai a R$ 4,99 com juros estáveis

RESUMO DO DIA: Após o rali da última terça-feira (17), as bolsas amanheceram com leves perdas, em um movimento de ajuste cauteloso. A inflação na Europa preocupa, enquanto o Federal Reserve dá sinais mistos sobre o aperto monetário. Por aqui, o Ibovespa acompanha a privatização da Eletrobras (ELET3) e falas de Roberto Campos Neto e […]

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Oportunidade de swing trade: compra de ações da Suzano (SUZB3) e lucro de 5,3% no bolso com Wiz (WIZS3)

Identifiquei uma oportunidade de swing trade – compra dos papéis da Suzano (SUZB3), com entrada em R$ 52,74; confira a análise

O melhor do Seu Dinheiro

As stablecoins são o Real dos anos 1990? Confira a notícia do dia e outras sete histórias que mexem com os seus investimentos

Manter a paridade com o dólar não é tarefa simples, e o novíssimo mercado das criptomoedas experimentou esse travo amargo na semana passada; entenda a crise das stablecoins

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas lá fora tentam emplacar terceiro dia de alta, limitadas por dados inflacionários; Ibovespa mira Eletrobras (ELET3) e briga entre poderes

Ainda hoje, os investidores acompanham o presidente do BC, Roberto Campos Neto, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, em evento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies