O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-03-22T13:49:11-03:00
Carolina Gama
PRAZER, ESG

Elon Musk tem sede. Bilionário consegue aval para fábrica da Tesla que pode deixar parte da Alemanha sem água

A autorização condicional para a produção de veículos elétricos na planta inaugurada nesta terça-feira (22) aconteceu apenas no dia 4 de março; entenda por que a unidade é vital para os negócios do empresário

22 de março de 2022
13:49
Elon Musk SpaceX
O empresário Elon Musk, fundador da Tesla e da SpaceX. - Imagem: Shutterstock

Bebeu água? Não é novidade que Elon Musk tem um apetite insaciável tanto por inovação como pela expansão dos seus negócios. Por isso, o dono da Tesla comemorou — finalmente — a inauguração de sua fábrica na Alemanha. Mas os planos do bilionário podem esbarrar em um elemento fundamental para qualquer pessoa: a água

Tá com sede? Ao que tudo indica, a fábrica da Tesla nas proximidades de Berlim está sedenta. A unidade demanda a utilização de muita água e pode deixar a região de Brandenberg sem reserva hídrica. 

Para se ter uma ideia, a Tesla usa cerca de 3.000 litros de água para cada carro que produz, enquanto a Volkswagen consome 3.700 litros por veículo e a Mercedes-Benz bebe 4.700 litros por unidade, de acordo com a Bloomberg. 

Apesar de usar menos água do que outras fabricantes de automóveis, a empresa de Elon Musk poderia esgotar completamente a reserva hídrica da região com a primeira fase da implementação da unidade e precisará de licenças adicionais para expandir a capacidade no futuro, segundo analistas do Deutsche Bank. 

A Tesla esperou muito pela luz verde

Giga Berlim está em construção há vários anos. É extremamente importante para os planos da Tesla de expansão global após a abertura de sua fábrica Gigafactory 3 em Xangai no final de 2019. A empresa também abriu outra fábrica em Austin, Texas, recentemente.

Em novembro de 2019, quando Musk anunciou planos de construir uma fábrica de automóveis na Alemanha, ele elogiou a engenharia alemã.

“Todo mundo sabe que a engenharia alemã é excelente, com certeza. Essa é parte da razão pela qual estamos localizando nossa Gigafactory Europe na Alemanha”, afirmou. 

  • IMPORTANTE: liberamos um guia gratuito com tudo que você precisa para declarar o Imposto de Renda 2022; acesse pelo link da bio do nosso Instagram e aproveite para nos seguir. Basta clicar aqui 

Apesar dos elogios, foi só em 4 de março que as autoridades alemãs deram aprovação condicional à Tesla para iniciar a produção, após meses de atrasos. 

A empresa pretendia iniciar a produção de veículos no início do verão de 2021, mas a pandemia, as complicações na cadeia de suprimentos e os confrontos com ambientalistas retardaram o processo. 

Por que Musk insistiu nessa unidade

Elon Musk parece aliviado que a extensa fábrica da Tesla perto de Berlim, construída em 165 hectares de terras anteriormente florestadas, está finalmente começando a produção dos veículos elétricos Modelo Y para a Europa.

“Empolgado para entregar os primeiros carros de produção feitos pela Giga Berlin-Brandenburg amanhã!”, disse ele no Twitter na segunda-feira (21). 

Além da questão hídrica, o bilionário ainda enfrenta um momento complicado, já que a invasão da Ucrânia pela Rússia aumenta os custos de materiais para as baterias da Tesla e a escassez global de chips continua.

Apesar dos ventos contrários, a fábrica alemã deve se tornar um ativo fundamental para a Tesla na Europa e ajudar a cumprir a meta de Musk de aumentar seu volume de vendas em 50% ao ano. 

A expectativa é que a Tesla fabrique a fábrica em Brandenberg 500.000 veículos elétricos por ano, além de baterias. 

Logo após cortar a fita vermelha na cerimônia de inauguração da unidade, Musk agradeceu aos alemães. 

Se livrando da China

A nova unidade na Alemanha também modera a crescente dependência da China, que no ano passado se tornou a maior fonte de produção e lucro da companhia.

O maior mercado de veículos elétricos do mundo oferece custos de mão de obra e peças mais baixos para a fábrica da Tesla em Xangai, mas o governo chinês e as relações cada vez mais tensas com os Estados Unidos também são fontes potenciais de risco para os negócios de Musk.

Nos últimos trimestres, a Tesla tem exportado carros da China para clientes na Europa. A demanda por EVs continua muito alta na Europa, e agora a Tesla pode contar com alguma produção no continente, não apenas para ser enviada da China.

Vale lembrar ainda que, na semana passada, a Tesla teve que interromper temporariamente a produção na fábrica de Xangai devido ao ressurgimento de casos de covid-19 na China. Essa produção limitada de veículos Modelo 3 e Modelo Y fabricados na China por pelo menos dois dias.

*Com informações da CNBC

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies