2022-05-04T11:34:45-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
NÃO ACONTECEU

Coinbase desiste de fusão com a 2TM, controladora do unicórnio brasileiro de criptomoedas Mercado Bitcoin; entenda o caso

Há quase um ano, a Coinbase abriu capital na Nasdaq e fez história como a primeira corretora de criptomoedas com ações em bolsa

4 de maio de 2022
11:34
Confira detalhes da transação entre as empresas.Imagem: Shutterstock

As conversas entre uma das maiores corretoras de criptomoedas (exchange) do mundo e a empresa brasileira 2TM parecem não ter dado frutos. De acordo com uma matéria publicada na Bloomberg, a Coinbase desistiu da fusão com a controladora do Mercado Bitcoin.

A conclusão do acordo estava marcada para acontecer agora no final de abril, de acordo com o anúncio das primeiras conversas em março deste ano. Ambas empresas não fizeram maiores comentários sobre o tema.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Uma guerra pela expansão de criptomoedas no Brasil

O avanço da Coinbase no território nacional vem na esteira da briga com sua principal rival no mercado de exchanges mundial. A Binance, maior corretora de criptomoedas do mundo, já havia anunciado a compra de uma corretora com operações no Brasil para expandir seus negócios no país.

Além disso, o Brasil é apontado como um terreno fértil para o mercado de criptomoedas na América Latina, o que explica o grande interesse de gigantes do setor no país. A compra da 2TM colocaria no portfólio da Coinbase outras empresas além do Mercado Bitcoin, como Meubank, MB Digital Assets, Bitrust, Blockchain Academy e MezaPro.

Coinbase: primeira exchange na bolsa

Há quase um ano, a Coinbase abriu capital na Nasdaq e fez história como a primeira corretora de criptomoedas com ações em bolsa — além do desempenho espetacular na estreia, com os papéis chegando a disparar 70%.

Nesta quarta-feira (04), as ações da Coinbase (COIN) caem 1,47% após a abertura das bolsas em Nova York, sendo negociadas a US$ 122,63. Desde a estreia, os papéis caem 62,63%.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

NOVO MODELO DE NEGÓCIOS

Varejo adota ‘loja-contêiner’ para fugir dos custos de shoppings e aluguéis; conheça o que são os estabelecimentos modulares

A estreante no formato é a Chilli Beans, de óculos de sol. “Acho que não teria uma Eco Chilli se não houvesse pandemia”, afirma o CEO, Caito Maia

NÃO MEXE NO MEU QUEIJO

Membros do mercado financeiro defendem Lei das Estatais em documento enviado ao ao Congresso; revogação seria ‘retrocesso’

O texto também cita o relatório de 2020 em que a OCDE afirma que a Lei das Estatais deixou os conselhos de empresas públicas mais independentes de interferências

NESTA SEGUNDA-FEIRA

Governador de São Paulo fará coletiva nesta segunda-feira após Bolsonaro aprovar isenção do ICMS sem garantia de compensação aos estados

O presidente da República vetou o fundo de ajuda aos estados após sancionar o teto do imposto estadual

SEU DOMINGO EM CRIPTO

‘Compre na baixa’ anima e bitcoin (BTC) busca os US$ 22 mil; criptomoedas aguardam semana de olho no Fed

Entre os destaques da próxima semana estão o avanço dos juros nos Estados Unidos e um possível default da Rússia

DE OLHO NO FUTURO

Goldman Sachs quer entrar no mundo da ‘renda fixa’ em criptomoedas e lidera grupo para comprar a Celsius por US$ 2 bilhões

O staking vem crescendo nos últimos meses e é motivo de certa preocupação após o caso da Celsius — e o banco de Wall Street quer um pedaço dele