Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2022-01-13T17:36:49-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Mercados Hoje

Mercados operam mistos e próximos à estabilidade em dia de realização de lucros; dólar recua

As falas de dirigentes do Fed são o grande destaque do dia, e os investidores devem acompanhar qualquer nova informação sobre a alta nos juros e tapering

13 de janeiro de 2022
10:22 - atualizado às 17:36
Ibovespa
Confira o que movimenta o Ibovespa e o dólar hoje (13).

Após as fortes emoções da primeira semana e meia do ano, os mercados globais ajustam posições nesta quinta-feira (13), realizando os ganhos de ontem e de olho nas novas sinalizações quanto à política monetária do Federal Reserve, o banco central americano.

Assim, tanto no Brasil como no exterior, os mercados operam mistos e oscilam entre altas e baixas, com os principais índices rondando a estabilidade.

Na Europa, as bolsas fecharam sem sinal único, e o índice pan-europeu Stoxx 600, que reúne as principais empresas do continente, fechou em leve alta de 0,03%.

A abertura positiva das bolsas em Nova York levou o Ibovespa a ultrapassar os 106 mil pontos pela manhã, mas Wall Street logo perdeu força, conduzindo o principal índice da B3 de volta ao campo negativo, onde havia começado o dia.

Há pouco, as bolsas americanas, que operavam mistas, acentuaram as perdas, com o Dow Jones caindo 0,27%, o S&P 500 recuando 1,02%, e o Nasdaq em baixa de 1,96%. O Ibovespa vinha tentando sustentar a alta que o levou de volta aos 106 mil pontos, mas voltou a cair com a piora lá fora. Às 17h15, tinha leve queda de 0,05%, aos 105.632 pontos.

Após abrir em alta e depois operar perto da estabilidade, o dólar à vista virou para queda, e fechou em leve baixa de 0,10%, aos R$ 5,5295, em continuidade ao movimento de ontem.

Os juros futuros também começaram o dia em alta, mas viraram o sinal, e passaram a operar mistos. Os juros mais curtos subiram, puxados pelo resultado forte e acima do esperado dos serviços em novembro. Os demais vencimentos recuaram junto com a moeda americana. Veja o desempenho dos principais contratos de DI:

  • Janeiro/23: alta de 11,871% para 11,915%;
  • Janeiro/25: queda de 11,213% para 11,18%;
  • Janeiro/27: queda de 11,192% para 11,135%.

Volume de serviços traz surpresa positiva

O volume de serviços cresceu em novembro de 2021, de acordo com dados do IBGE divulgados na manhã desta quinta-feira. No mês, houve um crescimento de 2,4%, acima do teto das projeções de especialistas ouvidos pelo Broadcast, que era de 1,5%. 

Os serviços prestados cresceram 9,5% em 12 meses e acumularam alta de 10% em relação ao mesmo mês de 2020. Com isso, os serviços ficaram 4,5% acima dos níveis pré-pandemia, antes de fevereiro de 2020.

De olho lá fora

Hoje, o vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos, disse que a atividade econômica na zona do euro perdeu impulso com a nova onda de covid-19, mas continua em alta.

Além disso, afirmou que o ritmo de queda na inflação na reunião não será tão rápido quanto previsto, mas que os preços ao consumidor cairão abaixo da meta de 2% em 2023 e 2024.

Já o presidente da distrital do Fed da Filadélfia, Patrick Harker, se pronunciou pela manhã, dizendo que podemos esperar um aperto monetário razoável em 2022, com três ou quatro altas de juros neste ano.

Ele disse, ainda, que podemos esperar uma alta de 25 pontos-base após o fim do tapering (retirada de estímulos), e que a redução de compra de ativos deve ser completada até março. Harker disse ainda que espera crescimento econômico mais lento neste ano, nos EUA, entre 3% e 4%.

Em audiência no Congresso para a confirmação do seu cargo como vice-presidente do Fed, Lael Brainard disse que a inflação deve seguir alta nos primeiros dois trimestres deste ano, conforme projeção, e que o Fed irá trazer os índices de preços para baixo o mais rápido possível, mas levando em conta o crescimento da economia.

Ela disse ainda que o Fed já decidiu encerrar o programa de compra de ativos em março, que haverá "diversas altas" de juros neste ano e que já foi iniciado o debate sobre a redução do balanço patrimonial da instituição, isto é, a venda de volta ao mercado dos ativos adquiridos.

Thomas Barkin, presidente da distrital do Fed em Richmond, disse esperar progressos nas cadeias produtivas no primeiro trimestre de 2022 e que, com melhora na cadeia de oferta, a inflação dos produtos deve arrefecer nos EUA.

Ele disse ainda que a covid impacta o crescimento, mas se tornou choque de oferta e inflacionário, que o problema de oferta de trabalhadores nos EUA deve impulsionar a inflação de serviços e que, se a inflação seguir elevada, "teremos que apertar a política mais agressivamente".

Finalmente, Charles Evans, presidente da distrital do Fed em Chicago, disse que é apropriado apertar a política monetária e que levará tempo para a inflação voltar à meta. Segundo ele, ela deve ficar em 2,5% ao final deste ano.

Evans espera de duas a quatro altas de juros em 2022 e acredita que uma primeira alta já em março "é uma possibilidade". Ele também disse que o Fed deve começar a reduzir o balanço mais cedo desta vez, sem, no entanto, precisar uma data.

Inflação ao produtor e pedidos de auxílio-desemprego

Ainda nesta quinta, a inflação ao produtor, medida pelo PPI, e os números de pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos devem compor o cenário externo.

O PPI americano subiu 0,2% em dezembro em relação a novembro, ante uma previsão de alta 0,4% dos analistas ouvidos pelo The Wall Street Journal. O núcleo de inflação avançou 0,5% na mesma base de comparação, em linha com as projeções.

Em 12 meses, a inflação ao produtor foi de 9,7%, com núcleo em alta de 6,9%. O PPI de novembro foi revisado de 0,8% para 1,0%.

Já o número de pedidos de auxílio-desemprego na semana terminada em 8 de janeiro veio acima do esperado: 230 mil pedidos, uma alta de 23 mil, contra uma estimativa de 200 mil dos analistas ouvidos pelo The Wall Street Journal.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

MÚSICA NO FANTÁSTICO

Unilever recebe mais um não da Glaxo para oferta de US$ 68 bilhões por divisão que produz Advil; entenda o caso

Se fosse concretizado, o acordo seria o maior em termos globais desde o início da pandemia de covid-19

EFEITOS COLATERAIS

Ômicron e seus investimentos: variante do coronavírus terá efeitos distintos sobre empresas de saúde na bolsa; saiba quais são eles

Planos de saúde devem enfrentar um cenário menos favorável dado o aumento dos índices de sinistralidade e pressão sobre os custos

FOI DADA A LARGADA

Petrobras (PETR4) e Novonor iniciam oficialmente processo para vender participações na Braskem; veja quanto a operação bilionária pode levantar

O pedido de registro para a oferta pública secundária, que será realizada no Brasil e no exterior, foi publicado na madrugada deste sábado (15) na CVM

INCENTIVO À MUDANÇA

Meca das criptomoedas? Estado americano tenta atrair trabalhadores com pagamento em bitcoin (BTC)

Iniciativa acontece em meio a explosão de crescimento no setor de tecnologia, especificamente naquelas habilitadas para blockchain

HEY, BROTHERS!

BBB é ‘fábrica de milionários’: prêmio de R$ 1,5 milhão é fichinha perto da fortuna que ex-participantes constroem; veja como Juliette, Gil do Vigor e outros ficaram ricos após reality

A edição de 2022 do BBB começa na próxima segunda e pode conceder o título de milionário a mais pessoas; veja quem já conseguiu se consagrar com a participação na casa mais vigiada do Brasil

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies