Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2022-01-10T16:59:00-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Mercados Hoje

Ibovespa desacelera queda, mas permanece abaixo dos 102 mil pontos com dia negativo em NY; dólar avança

Bolsas americanas recuam após fala de um dirigente do Fed sobre a alta nos juros em março e apostas de que possa haver quatro aumentos das taxas em 2022

10 de janeiro de 2022
10:21 - atualizado às 16:59
Bolsa em queda
Confira o que movimenta o Ibovespa e o dólar hoje (10). Imagem: Shutterstock

A segunda semana do ano se inicia com a piora do sentimento dos investidores, após uma entrevista do presidente da distrital do Federal Reserve de Richmond, Thomas Barkin, publicada no jornal The Wall Street Journal desta segunda-feira (10).

À publicação, o dirigente do Fed disse apoiar o tom mais agressivo do banco central americano contra a inflação e afirmou "ser concebível" uma alta da taxa básica de juros já na reunião de março.

Ao longo do ano, é esperado que o Fed eleve os juros ao menos três vezes, mas os analistas do Goldman Sachs já esperam quatro aumentos na taxa até o fim de 2022, posição que já tinha sido adotada pelo Citi na semana passada. As apostas de que a primeira alta já ocorra em março crescem no mercado.

Com isso, as bolsas americanas têm dia negativo, ao mesmo tempo em que os juros dos Treasuries, os títulos do Tesouro americano, operam em alta.

O clima pesado lá fora contamina o Ibovespa, que perdeu os 102 mil pontos e chegou a cair mais de 1% mais cedo. Com a desaceleração da alta dos juros nos Estados Unidos, o principal índice da B3 desacelerou a queda, mas continua no vermelho. Às 16h40, recuava 0,81%, aos 101.888 pontos. Já o dólar à vista opera em alta de 0,78%, a R$ 5,6753.

A alta global do dólar e a disparada nas taxas dos títulos públicos americanos também pressionou os juros futuros por aqui. Hoje, os principais contratos de DI fecharam em alta. Veja o desempenho dos principais vencimentos:

  • Janeiro/2023: de 11,987%, para 12,07%;
  • Janeiro/2025: de 11,433%, para 11,505%;
  • Janeiro/2027: de 11,317%, para 11,39%

Lá fora, o Dow Jones recua 0,88%, o S&P 500 tem baixa de 0,84%, e o Nasdaq cai 0,87%. As bolsas europeias fecharam em forte queda, acompanhando Wall Street. O índice pan-europeu Stoxx 600, que reúne as principais empresas do continente, terminou o pregão com perda de 1,48%.

Local segue ruim

O clima de tensão político-fiscal segue como pano de fundo do cenário doméstico brasileiro, o que aumenta a aversão ao risco e deve pressionar a bolsa nos próximos dias. A divulgação da inflação pelo IBGE na próxima terça-feira (11) deve colocar os investidores em certo compasso de espera. 

De acordo com as projeções do Boletim Focus desta semana, a inflação deve encerrar 2022 na casa dos 5,03%, o que deve fazer a Selic fechar 2022 na casa dos 11,75% — um aumento em relação às estimativas da semana passada, que giravam em torno de 11,50%.

Plano fiscal

Já no que diz respeito às contas públicas, o programa de refinanciamento para micro e pequenas empresas (o chamado Refis) tem dado o que falar. Na semana passada, Bolsonaro vetou integralmente o projeto de lei que abriria mão de R$ 50 bilhões em dívidas do Simples Nacional e MEIs

Além disso, a desoneração da folha de pagamento dos 17 setores que mais empregam na economia e o reajuste de apenas uma parcela dos servidores públicos levantaram um sinal de que o presidente estaria desrespeitando a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

O respiro da bolsa brasileira, o tropeço do bitcoin e o vazamento de dados do PIX: confira as principais notícias do dia

Para quem não aguentava mais ver a bolsa brasileira apanhando enquanto Wall Street renovava recordes, este início de ano está sendo o momento da revanche. Ou melhor, de o Ibovespa “correr atrás do prejuízo”. Nesta terceira semana de janeiro, o principal índice da B3 mais uma vez contrariou o exterior e enfileirou altas, enquanto as […]

Fechamento da semana

Ibovespa tem dia morno com exterior negativo, mas termina semana com ganho de 1,88%; dólar fecha em alta, mas acumula queda de 1,05% no período

Bolsa terminou o dia em baixa, com dólar e juros em alta, com piora no exterior e preocupações fiscais

CASOS DE FAMÍLIA

Elon Musk pega pesa pesado com o Twitter após integração de NFTs; veja o que o bilionário falou

Rede social passou a permitir que usuários do iOS, sistema da Apple, utilizassem os chamados tokens não fungíveis como fotos de seus perfis

Renda fixa

Nubank lança fundo para reserva de emergência que busca retorno entre 100% e 105% do CDI – mas tem uma pimentinha

Nu Reserva Imediata é o primeiro fundo de renda fixa da família Nu Reserva; embora seja de baixo risco, ele tem opção de investir em títulos privados

FIQUE DE OLHO

Agenda de indicadores: Inflação domina semana recheada de balanços de empresas de tecnologia em Wall Street; saiba o que esperar

Depois de uma semana em que o Ibovespa caminhou na contramão do mundo, inflação volta ao centro da agenda local na semana em que os EUA divulgam prévia do PIB de 2021

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies