Menu
2021-04-05T13:26:16-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
sob nova (velha) direção

Sem alarde, Nubank realiza mudança no seu comando

Cristina Junqueira, co-fundadora do banco, assume comando no lugar de David Veléz, que se tornará CEO global da instituição

3 de abril de 2021
10:52 - atualizado às 13:26
Sao,Paulo,/,Brazil,-,July,17,2019:,Closeup,Of
Julho de 2019: Letreiro do Nubank, maior fintech da América Latina. - Imagem: Shutterstock

O comando do Nubank está de cara nova, mas nem tanto. A co-fundadora do banco digital, Cristina Junqueira, assumirá a presidência da instituição no lugar de David Vélez.

A decisão foi tomada em 19 de fevereiro pelos acionistas em assembleia geral extraordinária. A notícia só foi tornada pública no relatório anual da companhia relativo a 2020, na seção “eventos subsequentes”. Lá está a informação de que Vélez renunciou ao cargo, sem revelar os motivos.

Em nota enviada ao jornal “Valor Econômico” na quinta-feira (1º), o Nubank informou que a mudança no comando faz parte de uma reorganização de sua estrutura no Brasil, para “apoiar a expansão internacional do grupo”. De acordo com o jornal, Vélez deixou o cargo para se tornar CEO global do Nubank.

Cristina é engenheira com graduação e mestrado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo e tem MBA pela Northwestern University (Kellogg School of Management).

Ela começou sua carreira em consultoria estratégica e trabalhou em bancos tradicionais antes de fundar o Nubank em 2013 com Vélez e Edward Wible.

Resultados em 2020

O Nubank encerrou 2020 com um prejuízo de R$ 230,2 milhões, uma diminuição de 26,4% em relação à perda de R$ 312,7 milhões apurada em 2019.

No ano passado, o resultado de intermediação financeira do banco cresceu 85,7%, para R$ 1,9 bilhão, com a receita obtida com intermediação financeira subindo 79%, para R$ 4,6 bilhões.

O destaque no período foi a receita com tarifas e similares, que mais do que dobrou em relação a 2019, para R$ 2,4 bilhões. A receita de operações de crédito avançou 47,4%, para R$ 1,4 bilhão.

O que ainda pesa para o Nubank são as despesas operacionais, diante dos investimentos feitos para expandir as operações. Em 2020, as despesas totais subiram 50%, para R$ 2,2 bilhões.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

FECHAMENTO

Mercado olha desconfiado para Orçamento e Ibovespa acompanha queda do exterior; dólar fica estável

Com a agenda de indicadores esvaziada e a véspera de feriado trazendo uma maior cautela ao cenário, os investidores acabaram optando pela cautela

Prioridade na Casa

Câmara aprova requerimento de urgência sobre projeto de privatização dos Correios

A medida permite que a proposta “fure” a fila de votação de projetos e pode agilizar o processo de desestatização

produção em baixa

Netflix decepciona em novos assinantes, mas nega impacto da concorrência

Papéis da empresa negociados na Nasdaq caíam mais de 10% no after market; pandemia impactou em novas produções, com reflexo no balanço da companhia

Desencontro acadêmico perdoado

Eike Batista é absolvido pela CVM em processo sobre ‘inconsistências’ no currículo

A farsa do fundador do Grupo X, que se apresentava com diferentes credenciais para cada uma das empresas, foi descoberta após sua prisão

A maior desde 1994

Com recorde na arrecadação em março, Paulo Guedes fala em recuperação econômica

Os R$ 137,9 bilhões arrecadados no mês animaram o ministro e o levaram a afirmar que o país “se levantou”

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies