🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Resultado surpreende (de novo)

Disseram que os bancos estavam na pior. Mas esqueceram de contar para o Santander

O lucro de R$ 4 bilhões é o maior já registrado pelo Santander em um único trimestre e impulsiona as ações de todo o setor bancário no pregão de hoje da B3

Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
28 de abril de 2021
15:38 - atualizado às 20:13
Sede do Santander Brasil
Sede do Santander Brasil - Imagem: Shutterstock

Os profetas do apocalipse dos grandes bancos terão de rever seus conceitos — ou pelo menos guardar as trombetas para outro momento — depois da divulgação dos resultados do Santander Brasil.

A unidade local do banco espanhol inaugurou a temporada de balanços dos gigantes do setor financeiro no país no primeiro trimestre com mais um resultado acima das expectativas do mercado.

O lucro de R$ 4 bilhões é o maior já registrado pelo Santander em um único trimestre e representa uma rentabilidade sobre o patrimônio de 20,9%.

A reação dos investidores aos números pode ser resumida no desempenho das ações no pregão de hoje da B3. Os papéis (SANB11) dispararam 8,46%, cotados a R$ 40,75, a maior alta do Ibovespa.

De quebra, o resultado do Santander deu gás para as demais ações do setor bancário. Bradesco (BBDC4) subiu 4,63%, Itaú Unibanco (ITUB4) fechou em alta de 3,91% e Banco do Brasil (BBAS3), de 1,71%. Leia também nossa cobertura completa de mercados.

Por que foi bom?

O lucro acima do esperado foi composto por várias linhas do resultado que surpreenderam positivamente. A margem financeira — que inclui as receitas com a concessão de financiamentos menos os custos de captação — subiu 6,1% no primeiro trimestre. Com o processo de alta da taxa básica de juros (Selic), a tendência é que a margem melhore ainda mais.

Ao mesmo tempo, as despesas com provisões para calotes no crédito caíram 7,7% em relação aos três primeiros meses do ano passado. Dos grandes bancos com capital aberto, o Santander foi quem menos fez provisões contra o chamado "efeito covid".

Mas pelo menos até agora a inadimplência parece controlada e encerrou o trimestre em 2,1%, mesmo patamar de dezembro e abaixo dos 3% de março de 2020.

A carteira de crédito encerrou março em R$ 497,6 bilhões, um avanço de 7,4% em 12 meses. Na comparação com dezembro, houve uma queda de 2,9%, mas que foi provocada pela segregação das operações da Getnet.

A possível abertura de capital da empresa de maquininhas de cartão e meios de pagamento, aliás, é outra razão para o otimismo dos investidores com o Santander. A Getnet registrou lucro líquido de R$ 110 milhões no primeiro trimestre e atingiu uma base de 875 mil clientes ativos.

Fintechs, que fintechs?

O balanço também mostra que, pelo menos até agora, o banco não tomou conhecimento da concorrência das novas empresas de tecnologia financeira (fintechs).

As receitas do Santander com tarifas e prestação de serviços, que vêm sendo as mais afetadas com o acirramento da competição, subiram 8,2% na comparação com os três primeiros meses de 2020.

Mas vale lembrar que no ano passado a economia como um todo foi afetada pelo início da pandemia da covid-19.

O banco conseguiu ainda fazer um bom trabalho do lado dos custos, com uma redução de 0,5% das despesas administrativas e com pessoal em relação ao primeiro trimestre do ano passado.

O que diz o mercado?

Os analistas em coro elogiaram os resultados do Santander. Para o Credit Suisse, que tem recomendação outperform (compra) para as ações, os números divulgados hoje devem levar a uma onda de revisões para cima das projeções do mercado para os próximos balanços do banco.

Na visão da XP, o resultado foi especialmente bom ainda mais levando em conta que o primeiro trimestre é sazonalmente mais fraco. Mas não foi suficiente para mudar a recomendação para os papéis.

“Reiteramos nossa classificação neutra e preço-alvo de R$ 32, pois acreditamos que o banco pode ter que fazer mais provisões no médio prazo (vs. possível reversão nos pares).”

Para um gestor de fundos com quem eu conversei, o bom desempenho das ações do Santander não vem só do bom resultado, mas também da visão catastrofista adotada pelos investidores quanto ao futuro do setor. “Sou cético com os bancos, mas os números mostram claramente que eles ainda têm muita lenha para queimar.”

Leia também:

Compartilhe

Internacionalização

Práticas e acessíveis, contas em dólar podem reduzir custo do câmbio em até 8%; saiba se são seguras e para quem são indicadas

9 de setembro de 2022 - 6:30

Contas globais em moeda estrangeira funcionam como contas-correntes com cartão de débito e ainda oferecem cotação mais barata que compra de papel-moeda ou cartão pré-pago. Saiba se são para você

Valuation

BofA dá sinal verde para BTG (BPAC11) e recomenda compra do papel. Mas XP segue no amarelo

6 de setembro de 2022 - 16:27

Para o BofA, o BTG pactual está bem posicionado para apresentar resultados financeiros fortes nos próximos anos

ANOTE NO CALENDÁRIO

Atenção, investidor: Confira como fica o funcionamento da B3 e dos bancos durante o feriado de 7 de setembro

6 de setembro de 2022 - 11:29

Não haverá negociações na bolsa nesta quarta-feira. Isso inclui os mercados de renda variável, renda fixa privada, ETFs de renda fixa e de derivativos listados

Recadinho

Indireta para o Nubank? Itaú diz que “é muito fácil crescer oferecendo preços baixos e subsidiados para atrair clientes”

1 de setembro de 2022 - 10:43

Executivos do Itaú avaliam que alta dos juros tem feito os problemas dos grandes bancos se estenderem à nova concorrência

ARRUMANDO A CASA

Itaú (ITUB4) vai propor reorganização societária aos acionistas; banco deve assumir parte das atividades do Itaucard

31 de agosto de 2022 - 19:55

Segundo a instituição financeira, a reorganização faz parte da estratégia de “racionalização do uso dos recursos e otimização das
estruturas e negócios”

MUDANÇAS

Banco Bmg (BMGB4) faz reorganização societária e cria nova área de seguros

31 de agosto de 2022 - 10:22

Bmg (BMGB4) também anunciou a criação de uma nova holding chamada Bmg Seguradoras, que será subsidiária desta área de seguros

Marketplace

Itaú (ITUB4) entra na disputa das vendas online com shopping virtual; Magazine Luiza está entre os primeiros parceiros

29 de agosto de 2022 - 14:18

A intenção do Itaú é de que a nova loja virtual funcione como um ecossistema de compras de produtos e serviços

ATENÇÃO, ACIONISTA!

Dividendos e JCP: Banco do Brasil (BBAS3) anuncia pagamento de R$ 781 milhões em proventos; confira prazos

26 de agosto de 2022 - 18:54

A distribuição do montante será feita em antecipação ao terceiro trimestre de 2022, de acordo com informações do próprio banco

Market Makers

Banco do Brasil (BBAS3) está ‘ridiculamente barato’, diz Sara Delfim, da Dahlia

25 de agosto de 2022 - 18:00

Analista e sócia-fundadora da Dahlia Capital, Sara Delfim retorna ao Market Makers ao lado de Ciro Aliperti, da SFA Investimentos, para detalhar suas teses de investimento

Viva México

Se cuida, Nubank: Bradesco compra instituição no México e vai lançar conta digital no país

25 de agosto de 2022 - 12:08

Com a aquisição, o Bradesco terá licença para atuar como se fosse um banco digital no México. O país é um dos focos de expansão do Nubank

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies