Menu
2020-10-02T11:21:59-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
GANHANDO FORÇA

Santander anuncia compra de 60% da Toro Investimentos e vai unir operações com a Pi

O negócio com a Toro é o terceiro envolvendo plataformas de investimento nos últimos meses. O valor não foi relevado, mas envolverá compra de ações, aumento de capital e aporte de ativos da Pi, a plataforma do Santander

29 de setembro de 2020
9:22 - atualizado às 11:21
Santander
Sede do Santander Brasil - Imagem: Shutterstock

A disputa cada vez mais acirrada entre as plataformas de investimento está afunilando. O Santander anunciou nesta terça-feira (29) a compra de 60% da Toro Investimentos.

O banco realizou a aquisição por meio de sua plataforma digital de investimentos, a Pi DTVM. O valor da operação não foi revelado, mas envolverá compra de ações, aumento de capital e aporte de ativos operacionais da Pi. Após a união, a empresa vai adotar a marca da Toro, com as cores da Pi.

Fundada em 2010, em Belo Horizonte, como uma fintech de educação financeira, a Toro recebeu autorização como corretora para o público em geral em 2018. Mais de 1 milhão de pessoas estão cadastradas na plataforma, que desde a fundação já movimentou R$ 100 bilhões.

Em meio à intensa disputa vista no mercado de plataformas digitais de investimentos, a Toro anunciou em agosto que zerou a taxa de corretagem para todos os produtos da bolsa, como ações e fundos imobiliários. Nos últimos cinco meses, a Toro saltou da 20ª para a 12ª posição na B3 em volume de negócios.

Já a Pi foi criada do zero pelo Santander em 2019 como uma tentativa do banco de competir no mercado de plataformas de investimento no varejo. Mas a corretora não engrenou e, no meio do ano, mudou o foco para atender fundos e consultores de investimento.

Gabriel Kallas, co-fundador e CEO da Toro, permanecerá no comando da empresa, e José Clemenceau, executivo que responde pela Pi, assumirá a diretoria de operações após a união.

O negócio entre Santander e Toro é o terceiro envolvendo plataformas de investimento nos últimos meses. Em junho, o Credit Suisse anunciou acordo para comprar até 35% da modalmais, e no começo do mês o Nubank entrou na disputa com a compra da Easynvest.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

embalou

Ibovespa fica perto dos 102 mil pontos com disparada dos bancos e alta em NY; dólar cai abaixo do R$ 5,60

Papéis de Itaú, Banco do Brasil e Bradesco terminam sessão entre as cinco maiores altas do índice, que fechou perto da máxima; moeda americana recua 0,36% e juros sobem em dia de leilão do Tesouro e à espera de novidades fiscais. Lá fora, expectativa para estímulos alivia bolsas americanas

A novela continua

Casa Branca ainda vê ‘divergências significativas’ com democratas sobre estímulos

Kudlow disse que entre as divergências estão verba para Estados democratas em dificuldades e garantias contra processos para empresas na reabertura.

de olho no 3º tri

BofA vê espaço para que Notre Dame Intermédica siga crescendo e eleva preço-alvo

Bank of America vê espaço para que o GNDI continue ganhando mercado e aumente a sua presença em novas regiões

Ajuste nas contas

Cenário fiscal robusto é condição necessária para social sólido, diz secretário

“A melhor forma de termos uma boa gestão desse endividamento elevado é aprovar as reformas. Temos essa janela de oportunidade”, afirmou Waldery Rodrigues.

Teto de gastos

Auxílio emergencial está contido em 2020 e não passará para 2021, diz secretário

“Mais que uma âncora fiscal, o teto de gastos é super âncora fiscal, temos que seguir”, afirmou Waldery Rodrigues.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies