💸 Você pode receber R$ 120 para investir; veja como solicitar o depósito aqui

Cotações por TradingView
2021-03-31T18:36:47-03:00
Estadão Conteúdo
Oferta primária

Raízen contrata bancos e pode realizar um dos maiores IPOs da Bolsa brasileira

Até o momento, quatro bancos foram contratados: o BTG Pactual, como coordenador líder, o Citi, o Credit Suisse e o Bank of America

31 de março de 2021
8:44 - atualizado às 18:36
Usina da Cosan
Usina da Cosan. - Imagem: Divulgação

A Raízen, uma joint venture formada entre a Cosan e a Shell para atuar na área de combustíveis e energia, começou a contratar o sindicato de bancos de investimento para sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na B3, a Bolsa paulista. A abertura de capital, uma das mais esperadas pelos investidores por conta do porte da empresa, está prevista para junho ou julho, a depender das condições do mercado, segundo fontes próximas à operação.

Até o momento, quatro bancos foram contratados: o BTG Pactual, como coordenador líder, o Citi, o Credit Suisse e o Bank of America, disse uma fonte. Esse grupo ainda crescerá e mais bancos serão contratados nos próximos dias, reforçou a fonte, que pediu anonimato.

Com a expectativa da abertura de capital da Raízen, a ação da Cosan, que já é listada, encerrou o pregão de ontem com valorização de 3,04%, com a expectativa de investidores de que a operação ajudará a mostrar ao mercado o valor da empresa.

Com a oferta, os bancos miram um valor de mercado para a Raízen de cerca de R$ 90 bilhões, já colocando a companhia entre uma das mais valiosas da B3. O IPO faz parte dos planos da Cosan de listar suas subsidiárias, dentro de seu processo de reestruturação societária, de forma a destravar valor da companhia.

A reorganização do grupo Cosan foi anunciada em julho do ano passado, com o objetivo de simplificar a estrutura societária, demanda antiga de investidores diante da visão de que a relação entre as diversas empresas era confusa.

No ano passado, o grupo fez, nesse sentido, a tentativa de listar a Compass, sua subsidiária no segmento de gás natural, e que concentra sua participação na Comgás. Mas teve de voltar atrás por encontrar investidores mais seletivos e pedindo desconto em relação ao preço desejado pela empresa.

A Raízen, que possui um faturamento na casa de R$ 120 bilhões, tem seu controle dividido igualitariamente entre a Cosan e a Shell. A empresa se coloca hoje como a quarta maior empresa em receita do País, atrás apenas das gigantes Petrobras, Vale e JBS.

A empresa opera com produção de açúcar, etanol e com a distribuição de combustíveis, por meio dos 7,3 mil postos com a marca Shell.

Energia renovável

Uma outra vertente de atuação é no segmento de bioenergia, sendo hoje a maior produtora de energia elétrica a partir de biomassa de cana-de-açúcar, por exemplo. Com a parte da oferta que irrigará o caixa da empresa, um dos destinos será dar musculatura ao segmento de energia renovável, diante da visão de que a demanda por fontes sustentáveis de geração de energia crescerá muito.

O foco nessa agenda ficou bastante claro com o acordo de compra da empresa do setor sucroalcooleiro Biosev, uma subsidiária brasileira da Louis Dreyfus Holding. A operação inclui também a cogeração de energia. Essa transação, que envolverá uma troca de ações, ainda precisa das aprovações regulatórias e da concretização de condições precedentes por parte da Biosev para sair do papel.

Com mais robustez em seu negócio de energia sustentável, a aposta é ainda atrair mais investidores, incluindo os estrangeiros, cada dia mais ligados à agenda ambiental, social e de governança (ESG, pela sigla em inglês).

"Consideramos a Raízen, atualmente, a joia da coroa da Cosan. A companhia possui robusta proposta de crescimento sustentável tanto do seu negócio de venda de cana-de-açúcar e etanol, como do de geração de energia renovável. A rede de postos também possui ampla capacidade de crescimento", comenta o analista da Ativa Investimentos, Ilan Arbetman.

A operação foi noticiada primeiramente pela agência Reuters. Procurada, Raízen não comentou.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

CRISE SEM FIM?

S&P corta rating do IRB (IRBR3) e abre a porta para novos rebaixamentos caso a resseguradora não saia do prejuízo; veja a nova nota da companhia

6 de dezembro de 2022 - 16:56

A agência de classificação mudou de “brAAA”, a nota mais alta em escala nacional, para “brAA+” o rating da companhia

NO RASTRO DA FALÊNCIA

Balanço da Alameda revelado: investimentos de altíssimo risco em criptomoedas e inconsistências mostram bastidores da falência da FTX

6 de dezembro de 2022 - 16:28

Conhecer essas informações pode auxiliar os órgãos fiscalizadores a evitar novas fraudes no setor de criptomoedas

CONCURSO PÚBLICO

Receita Federal lança edital para concurso, com salários de até R$ 21 mil; saiba como participar do processo seletivo

6 de dezembro de 2022 - 16:18

Ao todo, são 699 vagas para os cargos de auditor fiscal e analista tributário; as inscrições abrem em 12 de dezembro

Mudança a caminho

CVM prepara novas regras para fundos, e pessoa física terá acesso a investimentos hoje restritos a milionários; veja o que muda

6 de dezembro de 2022 - 15:39

Segundo a Anbima, revisão da regulação dos fundos de investimento será divulgada até o fim deste ano; saiba como as mudanças afetam os cotistas

GESTÃO PASSIVA

Um fundo imobiliário de uma classe ameaçada de extinção no mercado é o mais rentável de 2022; veja qual é nome do FII que já anotou ganhos de quase 35% no ano

6 de dezembro de 2022 - 15:12

O fundo em questão é de gestão passiva, característica que perdeu espaço na indpustria com a popularização do modelo ativo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies