Menu
2021-01-07T08:24:51-03:00
Estadão Conteúdo
gestoras ambiciosas

Pátria e Vinci miram internacionalização com IPOs

Gestoras entraram com pedidos para realizar ofertas nos Estados Unidos, sem informações sobre quanto pretendem captar

7 de janeiro de 2021
8:24
Nasdaq
Imagem: Shutterstock

As gestoras de ativos brasileiras Pátria e Vinci Partners abrirão capital na bolsa norte-americana Nasdaq como um passo para a busca de internacionalização de suas operações.

No caso da Pátria Investimentos, a oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) poderá avaliar a gestora entre US$ 1 bilhão e US$ 1,6 bilhão, segundo estimativa do banco BTG Pactual, em relatório enviado a clientes. Cada oferta deverá movimentar até US$ 100 milhões, conforme os prospectos do IPOs.

As gestoras já fizeram o pedido para realizarem as ofertas nos Estados Unidos à Securities and Exchange Commission (SEC), a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) de lá. Os documentos das ofertas ainda não abrem detalhes sobre a operação, como o número de ações que serão vendidas.



No Pátria, a Blackstone Group, listada na Nasdaq, possui uma fatia de 40%. Dos recursos que irão para o caixa com o sucesso da oferta, a gestora mira investir em seus próprios fundos e expansão de operações por meio da compra de gestoras, carteiras e canais de distribuição.

A Vinci, por sua vez, poderá utilizar os recursos a serem captados na oferta em "oportunidades de aquisições que reforçam sua estratégia e posicionamento de mercado".

Ambas ofertas ocorrem em um momento de grande procura de investidores, em todo o mundo, por ativos de mais rentabilidade e por mais diversificação, algo que se tornou mais difícil com o mundo vivendo um cenário de juros negativos.

O BTG, no relatório, afirma que há "muito espaço para investimentos crescerem no Brasil e com mais dinheiro indo para gestoras independentes, tal como o Pátria". Procurados, Pátria e Vinci não comentaram.

* As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Rapidinhas da semana

BLINK: Magalu ou ViaVarejo? Quem mandou melhor no 1º trimestre?

Felipe Miranda, sócio-fundador e CIO da Empiricus, fala sobre Magalu, ViaVarejo e muito mais no Blink

Virando a chavinha

Agibank traça estratégia para abandonar imagem de ‘financeira’

Banco gaúcho quer alcançar marca de 35 milhões de clientes em 6 anos

O melhor do Seu Dinheiro

O dragão à solta, Elon Musk, bitcoin e outras notícias que mexeram com seus investimentos

O temor com o retorno da inflação nos EUA, as falas de Elon Musk sobre o bitcoin, as ações de empresas em recuperação judicial e outros destaques da semana

Como vai ser?

Decisão sobre ICMS vai destravar ações, dizem especialistas

Cobrança continuará até que Receita seja autorizada a alterar sistema

Efeitos da reestruturação

CEO da Cogna afirma que ajustes feitos em 2020 já mostram primeiros resultados

Rodrigo Galindo cita margem Ebitda recorrente e prazo médio de recebimento de alunos pagantes como efeitos positivos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies