IPCA + 7,5%: receba esta e outras ofertas ‘premium’ de renda fixa no WhatsApp; clique aqui

Cotações por TradingView
2021-10-15T19:11:29-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
REAÇÕES EXACERBADAS

Pão de Açúcar (PCAR3) dispara e Assaí (ASAI3) despenca; entenda a repercussão do acordo envolvendo a bandeira Extra Hiper entre os investidores

À primeira vista, anúncio deu sinais de que poderia se tratar de uma situação ganha-ganha, mas questões de governança e a possível reação de minoritários pesam sobre a transação

15 de outubro de 2021
12:24 - atualizado às 19:11
Grupo Pão de Açúcar GPA PCAR3
O que os especialistas dizem sobre a cisão entre GPA e Assaí? - Imagem: Jacques Lepine / Estadão Conteúdo

A divisão de operações entre o Grupo Pão de Açúcar (PCAR3) e a rede atacadista Assaí (ASAI3) ganhou um novo capítulo. As companhias anunciaram ontem a conversão de 71 lojas da bandeira Extra Hiper, atualmente operadas pelo GPA, em unidades do tipo autosserviço do Assaí.

O anúncio desencadeou movimentos exacerbados nas ações de ambas as empresas na manhã de hoje, mas em direções diametralmente opostas. Por volta das 12h, enquanto os papéis PCAR3 avançavam cerca de 15% (15,86%), cotados a R$ 32,02, o ticker ASAI3 recuava 5,26%, aos R$ 16,91. No fim do dia, PCAR3 fechou em alta de 11,85%, a R$ 30,96, enquanto ASAI3 reduziu as perdas para -1,79%, a R$ 17,54.

O valor total da operação situa-se na casa de R$ 5,2 bilhões, dos quais R$ 4 bilhões serão pagos em parcelas de dezembro de 2021 até janeiro de 2024. O restante — R$ 1,2 bilhão — será pago por meio de uma estrutura de sale leaseback (quando o vendedor de um imóvel se torna locatário por um período determinado) do GPA em conjunto com um fundo imobiliário garantido pelo Assaí.

As aparências enganam

À primeira vista, o anúncio deu sinais de que poderia se tratar de uma rara situação ganha-ganha no mundo dos negócios.

Afinal, “a transação deve acelerar o plano de expansão do Assaí, adicionando localizações estratégicas, espalhadas por várias capitais brasileiras e grandes cidades, com pouca ou nenhuma sobreposição de lojas com o parque atual do Assaí”, destaca a XP Investimentos em uma análise sobre a transação.

O Pão de Açúcar, por sua vez, destrava valor de um ativo — a bandeira Extra Hiper — cujo desempenho ruim vinha obrigando o grupo a empenhar grandes esforços em sua recuperação, prossegue a XP.

Governança em xeque

Os aspectos positivos da transação, entretanto, parecem parar por aí.

Em seu relatório, a XP declara-se otimista com o acordo, mas adverte que a governança pode ser um empecilho para o crescimento do Assaí.

“[A governança] envolve partes relacionadas e não estará sujeita à aprovação dos acionistas minoritários, o que pode levar os investidores a aplicarem um desconto de governança aos múltiplos atuais de ASAI3”, afirma.

Baixe o GUIA GRATUITO com os investimentos que podem fazer você enriquecer nos próximos três anos

ASAI3: rebaixado

Analistas do Itaú BBA também destacaram o peso da governança sobre o desempenho do Assaí e rebaixaram a recomendação das ações da empresa para “market perform”. Em bom português, a empresa deve ter um desempenho em linha com a média do mercado brasileiro, o equivalente a uma recomendação “neutra”.

Quem se deu bem

O Grupo Pão de Açúcar deve ser o ganhador dessa transação, com o fim da competição entre as marcas Extra Hiper e Assaí no segmento de atacarejo. O GPA deve receber aproximadamente R$ 4 bilhões em recursos líquidos. Isso representa um valor de R$ 14,90 por ação da empresa.

Além disso, o saldo de R$ 1,2 bilhão poderá ser reinvestido principalmente nos planos na expansão do grupo e na aceleração das iniciativas digitais. Desse montante, R$ 500 milhões serão pagos em forma de dividendos (6,7% de rendimento) e o restante será destinado para desalavancagem da empresa. Ainda assim, a XP mantém recomendação neutra para PCAR3.

Pegou mal

O otimismo com as ações do Grupo Pão de Açúcar é claro por parte do Itaú BBA, que manteve o rótulo de “outperform”, o equivalente a uma recomendação de compra. Entretanto, o acordo foi feito sem a participação dos acionistas minoritários, o que foi mal visto pelo mercado e pode pesar no desempenho dos papéis no longo prazo.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

MERCADOS HOJE

Esquenta dos mercados: sombra Super Quarta pressiona e bolsas internacionais caem; Ibovespa acompanha primeiro dia de Copom

31 de janeiro de 2023 - 7:23

RESUMO DO DIA: O PMI chinês veio pior do que o esperado, mas rompeu a tendência de contração da atividade econômica. No entanto, isso não foi o suficiente para sustentar uma alta nas bolsas da Ásia. A Europa acompanha os dados preliminares da atividade na Zona do Euro. O prato principal da semana, porém, é […]

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Mas só se fala em política monetária? Então saiba o que esperar da Super Quarta dos bancos centrais

31 de janeiro de 2023 - 6:43

Os bancos centrais do Brasil e dos Estados Unidos decidem os juros na quarta-feira; na quinta-feira será a vez da zona do euro e da Inglaterra

LOTERIAS

Lotofácil tem 4 ganhadores, sendo 2 em uma mesma lotérica (de novo)

31 de janeiro de 2023 - 5:51

Enquanto a Lotofácil segue fazendo a alegria dos apostadores, Mega-Sena está acumulada desde o sorteio da virada

DIA 30

“Vocês fizeram falta, caro Lula” — a conversa com Olaf Scholz, o ministro alemão, que teve até recado duro para a China

30 de janeiro de 2023 - 20:26

Mercosul, OCDE e guerra na Ucrânia estiveram na pauta do encontro, mas teve um assunto que arrancou aplausos da plateia formada pela delegação da Alemanha: o meio ambiente

NÃO VAI VOLTAR?

Bolsonaro entra com pedido de visto de turista nos EUA — veja quanto tempo ele pode ficar por lá

30 de janeiro de 2023 - 19:05

O pedido foi apresentado na sexta-feira (27), de acordo com o Financial Times. O visto diplomático que ele usou para entrar no país em 30 de dezembro vence hoje.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies