Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-09-28T18:33:35-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
no radar da holding

Os planos da Itaúsa para dividendos e a participação herdada na XP, segundo o CEO da holding

Holding herdou do Itaú uma participação na XP, mas, segundo o executivo, os alvos prioritários para a expansão são os setores de saúde e agro

28 de setembro de 2021
16:54 - atualizado às 18:33
Foto do Alfredo Setúbal, CEO da Itaúsa.
Imagem: Divulgação/ Itaúsa

A holding Itaúsa (ITSA4) deve incrementar a distribuição de resultados nos próximos anos, com o destravamento da distribuição de dividendos pelo Itaú Unibanco ou com os números positivos das demais investidas, segundo o presidente da empresa, Alfredo Setubal.

A companhia herdou do Itaú uma participação na XP, mas, segundo o executivo, os alvos prioritários para a expansão de participações são os setores de saúde e agro. O primeiro por ter demanda forte no Brasil, e o segundo, por ser onde o Brasil oferece "produtividade fora de série".

Setúbal citou também o setor de transmissão de energia. "É um setor que a gente gosta, que traz muito caixa e tem boas oportunidades de investimento", disse nesta terça-feira (28). Segundo ele, no entanto, o Itaú continuará representando de 80% a 85% do portfólio da Itaúsa.

"Mas também teremos empresas que vão pagar bons dividendos", disse o presidente da empresa.

"No ano passado, o Banco Central limitou em 25% o pagamento de dividendos. O dividendo a ser pago no começo do ano que vem pelo Itaú Unibanco ainda vai refletir um pouco essa limitação, mas acreditamos que nos próximos anos volte a nível mais alto de 'payout', de 40% a 50%", disse.

Setubal disse que a empresa estuda uma maneira de assegurar uma distribuição de resultados de 2021 mais polpudos aos seus acionistas. "Vamos analisar fazer algum tipo de antecipação de dividendos neste ano, usando reservas de lucros acumulados."

Leia também:

Itaúsa (ITSA4): de olho nos resultados

No balanço mais recente, a Itaúsa (ITSA4) apresentou lucro líquido de R$ 3,514 bilhões no segundo trimestre deste ano, alta anual de 487,1%.

O lucro líquido recorrente foi de R$ 2,855 bilhões, avanço de 99%. O retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) sobre o PL Médio atingiu 19,5% no primeiro semestre, aumento de 13,5 pontos porcentuais na comparação anual.

O ROE recorrente foi de 17,9%, avanço de 8,5 pontos porcentuais, ainda conforme a empresa. O ativo total da Itaúsa somou R$ 69,423 bilhões no trimestre, 22,8% superior ao do mesmo período de 2020.

O patrimônio líquido fechou junho em R$ 61,112 bilhões, 15,5% maior do que no mesmo período do ano passado.

  • O setor financeiro teve desempenho total de R$ 2,743 bilhões, avanço de 93%;
  • O setor não financeiro da Itaúsa somou R$ 225 milhões, alta de 281%;

Para a holding, as companhias do portfólio apresentaram novamente avanços "importantes nos resultados operacionais".

No setor financeiro, a Itaúsa destacou a melhor margem financeira e o menor volume de perdas esperadas com operações de crédito, "aliados ao controle eficiente das despesas gerais e administrativas, impulsionando o crescimento do lucro".

Em bens de consumo e materiais para construção civil, a Itaúsa lembra que Alpargatas e Dexco (antiga Duratex) apresentaram novamente crescimento nas vendas, na receita líquida e no Ebitda, "mesmo com pressões no custo de alguns insumos".

Nos segmentos de distribuição e transporte de gás, NTS e Copa Energia também tiveram crescimento de receita. "Adicionalmente, a partir de junho, os resultados da XP Inc. passaram a ser reconhecidos pela Itaúsa, o que também contribuiu positivamente para o resultado da holding".

A Itaúsa registrou crescimento de 1.715% no endividamento líquido em seu balanço patrimonial, atingindo R$ 3,867 bilhão.

O resultado financeiro foi de R$ 19 milhões em despesas, aumento de 138% em comparação ao segundo trimestre do ano passado. A empresa atribuiu o desempenho a maiores despesas com juros de debêntures.

Por outro lado, compensou a maior rentabilidade do caixa, dada a maior taxa básica de juros, segundo a Itaúsa.

As despesas administrativas totalizaram R$ 33 milhões no segundo trimestre, alta de 38% de acordo com a holding.

A empresa diz que o resultado é reflexo da reversão pontual de provisões, relacionada a projetos de novos negócios, ocorrida no segundo trimestre de 2020.

Entre os negócios recentes da Itaúsa está o aporte de R$ 1,3 bilhão na empresa de saneamento Aegea.

*Com informações de Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

ATENÇÃO, ACIONISTA

Hapvida (HAPV3) vai recomprar até 100 milhões de ações; papéis acumulam queda de 17% no ano

A operadora de saúde anunciou hoje que dará início a um programa de recompra de papéis com duração de até 18 meses

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa fecha semana no azul, Nubank valendo bilhões a menos e primeiro ETF cripto dos EUA: veja as principais notícias desta sexta

Em uma limousine brilhante, o Ibovespa chegou atrasado para a festa das bolsas globais — mas chegou.  Os balanços das empresas europeias e americanas abriram as portas do salão de baile: com o bom resultado das companhias, dados mistos da economia e um desenho mais nítido da retirada de estímulos monetários, Wall Street brilhou.  O […]

CRIPTOMOEDAS

Quais as dificuldades na regulamentação do Bitcoin e demais criptomoedas?

Analista de criptomoedas, Valter Rebêlo, comenta sobre o processo de regulamentação das criptomoedas ao redor do mundo

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa tira uma lasquinha da festa das bolsas globais e sobe mais de 1% na semana; dólar recua após atuações do BC

Com uma bolsa descontada após as turbulências recentes, o Ibovespa tinha tudo para chegar cedo nessa festa, mas foi preciso que o Banco Central assumisse a condução para que a B3 tivesse uma chance.

ALGUNS BILHÕES A MENOS

Nubank prepara IPO com listagem na Nasdaq e na B3 até o fim deste ano, mas deve baixar a pedida no valuation

Meses atrás, a startup buscava ir a mercado avaliada em cerca de US$ 100 bilhões; veja o novo valor de mercado segundo o Broadcast

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies