Menu
2021-05-14T19:25:06-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Sobe e desce da commodity

Dia de correção: minério de ferro cai forte e derruba ações da Vale e siderúrgicas

As ações da Vale, Gerdau, Usiminas e CSN estão entre as maiores baixas do Ibovespa hoje, influenciadas pela cotação do minério de ferro

14 de maio de 2021
14:17 - atualizado às 19:25
Minério de ferro Vale Gerdau CSN Usiminas
Imagem: Shutterstock

O minério de ferro segue nas manchetes do noticiário econômico. No entanto, após bater os recordes históricos nesta semana, a commodity passa hoje por um movimento de realização — e as ações da Vale e das siderúrgicas, intimamente ligadas ao produto, seguem a mesma tendência.

O preço do minério físico no porto chinês de Qingdao desabou 12,11% hoje, a US$ 208,79 a tonelada — vale ressaltar que, ontem, não houve cotação por causa de um feriado em Singapura. No começo da semana, a commodity chegou a ser negociada acima dos US$ 230 a tonelada.

  • Apesar da queda desta sexta, os preços do minério seguem acima dos US$ 200 a tonelada. Quer entender o que fez a commodity chegar a esse patamar? O Seu Dinheiro explica tudo no vídeo abaixo:

No mercado futuro também houve um baque: os contratos com vencimento em maio negociados na Nymex (TIOM21) recuam pelo segundo dia seguido, ficando abaixo dos US$ 210.

Aqui na B3, o efeito é sentido nas ações do setor de mineração e siderurgia, que dominam a ponta negativa do Ibovespa. Vale ON (VALE3), por exemplo, recua 1,87%; Gerdau PN (GGBR4), Usiminas PNA (USIM5) e CSN ON (CSNA3) têm baixas de 3,85%, 4,68% e 2,96%, nesta ordem.

Mas o que aconteceu? Tudo, mais uma vez, está relacionado com a China, o principal consumidor global de minério de ferro.

Minério de ferro

Minério de ferro caro = inflação

Valores elevados do minério de ferro implicam em reajustes cada vez maiores no preço do aço — um produto essencial para a economia chinesa e para a continuidade dos investimentos em infraestrutura do gigante asiático.

Esse efeito em cadeia traz pressão à economia do país: a inflação ao produtor (PPI) chegou a 6,5% em abril, superando as projeções dos analistas e cravando a maior alta em mais de três anos. Ou seja: as indústrias da China estão tendo que lidar com custos cada vez maiores.

Por enquanto, a inflação ao consumidor ainda não sentiu os impactos — o índice avançou 0,9%, ficando praticamente estável na virada de março para abril. Ainda assim, é de se esperar que a alta de preços ao produtor seja repassada num futuro próximo.

Esse cenário desencadeou uma série de movimentos por parte das autoridades chinesas nos últimos dias. O primeiro-ministro do país, Li Keqiang, falou publicamente sobre uma estabilização nos preços das commodities.

No lado do aço, o governo da província de Tangshan anunciou que fará inspeções nas usinas siderúrgicas — quem estiver estocando o produto para elevar artificialmente o preço terá a produção suspensa.

Essa preocupação demonstrada pela China não é exatamente uma surpresa. Analistas e especialistas com quem eu conversei ao longo da semana já diziam que a manutenção dos preços nos patamares acima de US$ 230 a tonelada parecia inviável, e que uma redução nas cotações deveria ser vista ao longo do ano.

Mas, mesmo se o minério de ferro seguir em baixa, o consenso é o de que o setor de mineração e siderurgia continuará com ótimas perspectivas na bolsa.

Vale segue brilhando

Apesar do mau desempenho de hoje, a confiança do mercado nas ações da Vale segue inabalada. A mineradora teve um primeiro trimestre excelente, com forte geração de caixa e lucro líquido recorde — a janela de oportunidade foi muito bem aproveitada pela empresa.

E, mesmo num cenário em que o minério de ferro passe por uma realização mais intensa — até o nível de US$ 150 a tonelada, digamos —, a commodity ainda permanecerá bem acima dos níveis históricos. É um ambiente menos benéfico para a Vale e as siderúrgicas, mas, ainda assim, bastante favorável.

Além disso, as ações da Vale apresentam múltiplos bastante baixos, tanto em relação à média histórica quanto na comparação com outros players relevantes do setor:

EmpresaEV/Ebitda
Vale5,81
Rio Tinto7,48
BHP9,64
Glencore11,51

Quanto às siderúrgicas, a percepção positiva também continua firme: a demanda doméstica por aço está bastante aquecida, puxada pelo bom momento da construção civil; os preços seguem altos — somente neste ano, as usinas reajustaram o aço em 35%.

Desde o começo do ano, as ações da Vale acumulam ganhos de 31,9%. Gerdau PN sobe 46,4%, CSN ON avança 52,5% e Usiminas PNA tem alta de 47%. O minério de ferro em Qingdao valoriza 30,6%.

Vale CSN Usiminas Gerdau
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

ESTRADA DO FUTURO

Duas (e mais duas) formas de ganhar dinheiro com ações tech

Existe um elemento em comum entre as big tech que as fizeram crescer tanto nas últimas duas décadas. Será que você acerta qual é?

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies