Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-12-04T15:34:45-03:00
Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
TURISMO DO FUTURO

Embraer (EMBR3) fecha mais uma parceria e vai levar seu ‘carro voador’ para a Grande Barreira de Corais, na Austrália

Em conjunto com a Nautilus Aviation, a empresa irá operar em algumas das atrações turísticas mais icônicas de do estado de Queensland

4 de dezembro de 2021
16:37 - atualizado às 15:34
Vista aérea da Grande Barreira de Corais, na Austrália | Embraer
Aaeronave elétrica de pouso e decolagem vertical vai sobrevoar o ponto turístico a partir de 2026 Imagem: Envato

A maioria dos livros e filmes de ficção científica anteriores ao século XXI errou sobre quando trocaríamos a terra pelo ar como principal meio de transporte. Segundo grande parte das previsões, a esta altura do campeonato os veículos voadores já teriam substituído os carros terrestres (ou carroças, a depender da obra) há muitos anos.

Mas a startup Eve Urban Air Mobility Solutions, ou apenas Eve, está trabalhando para mudar esse cenário. A subsidiária da Embraer (EMBR3) anunciou neste sábado (4) uma nova parceria para levar o seu "carro voador" - cujo nome oficial é aeronave elétrica de pouso e decolagem vertical (eVTOL) - à Austrália.

Em conjunto com a Nautilus Aviation, maior operadora de helicópteros do norte do país, a empresa irá operar em algumas das atrações turísticas mais icônicas de do estado de Queensland, incluindo voos sobre a Grande Barreira de Corais a partir de 2026.

Ecoturismo é beneficiado

Segundo informa em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Nautilus encomendou dez aeronaves. A empresa já é certificada para o Ecoturismo avançado há oito anos, mas encontra dificuldades em mitigar o impacto dos gases de efeito estufa emitidos durante a queima de combustível dos helicópteros utilizados.

Com a Eve, o problema estará mais próximo do fim. Os eVTOLs serão usados pela australiana, que é uma divisão do Grupo Morris, para acelerar o progresso rumo à meta de ter 100% dos voos panorâmicos sobre a Grande Barreira de Corais feitos com aeronaves elétricas com emissões zero.

“Acreditamos que o sucesso econômico e a sustentabilidade ambiental andam lado a lado e visamos fortalecer e enriquecer os ambientes em que trabalhamos. A tecnologia eVTOL da Eve se integrará perfeitamente às nossas operações para oferecer uma variedade de experiências de turismo com emissão zero”, disse, em nota, o CEO do grupo, Chris Morris.

Para o presidente da Eve, Andre Stein, a parceria também trará vantagem para o lado brasileiro do negócio. "Compartilhamos a mesma visão em direção a um futuro neutro em carbono para a mobilidade aérea e este é um ótimo caso de utilização para as soluções que a Eve está trazendo ao mercado", declarou.

Essa, aliás, não é o primeiro movimento da empresa no território australiano. Em setembro, a Eve já havia anunciado uma parceria com a Microflite para desenvolver o setor de mobilidade aérea urbana no país.

As duas companhias planejam utilizar helicópteros para validar os parâmetros que serão aplicados a futuras operações de eVTOL no mercado. Os primeiros voos também estão previstos para 2026.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

SEM ESPAÇO NO ORÇAMENTO

Servidores iniciam manifestação e prometem greve para fevereiro, mas Mourão diz que não há espaço para reajustes

Na peça aprovada no Congresso em Dezembro foi incluída uma previsão de R$ 1,7 bilhão para reajustes de salários do funcionalismo, contudo, a a categoria que seria beneficiada não foi especificada

NA CORRIDA PELA MINERAÇÃO

Intel planeja entrar no lucrativo ramo de mineração de criptomoedas e competir com Nvidia, a próxima empresa de US$ 1 trilhão

A escassez de condutores e semicondutores pode atrapalhar os planos da empresa, que divulgará o novo chip em fevereiro deste ano

TECHS SOFREM

Por que a alta dos juros nos EUA derruba as ações de Locaweb (LWSA3) e Inter (BIDI11) na B3?

O movimento com as ações ligadas ao setor de tecnologia na B3 ocorre desde o início do ano. Os papéis da Locaweb, por exemplo, acumulam queda de 40% apenas nos primeiros dias de 2022

FOLLOW ON

BRF definirá dia 1º preço da ação no follow on, que pode girar cerca de R$ 8 bi

A operação pode abrir o caminho para a Marfrig assumir o controle da BRF

Fatia maior

Gestora Alaska aumenta participação na Cogna (COGN3) para mais de 15%, e ação dispara

Papel tem uma das maiores altas do Ibovespa depois que gestora de Henrique Bredda e Luiz Alves Paes de Barros informou ter adquirido mais ações na companhia de educação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies