Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-02-17T18:50:03-03:00
Estadão Conteúdo
Comitê

Em ata, Fed diz que política acomodatícia e compra de ativos continuarão

Para os dirigentes, a manutenção da política acomodatícia é “essencial” para fomentar retomada e inflação na meta.

17 de fevereiro de 2021
18:50
Fed
Federal Reserve Building - Imagem: Shutterstock

Os dirigentes do Federal Reserve (Fed) avaliam que a pandemia continua a causar problemas "tremendos" para a economia dos Estados Unidos e ao redor do mundo, e que políticas acomodatícias são relevantes para seguir levando renda para famílias e negócios. As visões estão na ata sobre a última reunião de política monetária do Fed, publicada nesta quarta-feira, 17.

Leia também:

Para os dirigentes, a manutenção da política acomodatícia é "essencial" para fomentar retomada e inflação na meta, e ela deve prosseguir enquanto os objetivos de preços ao consumidor e de trabalho não forem atingidos.

Os dirigentes decidiram manter a compra de ativos em US$ 120 bilhões ao mês até que seja verificado um "progresso" para alcançar as metas da autoridade monetária.

Segundo a ata, o comitê do Fed segue monitorando o panorama da crise, e pode alterar suas políticas em caso de riscos para as metas.

Os elementos observados envolvem: "saúde pública, condições do mercado de trabalho, pressão e expectativa inflacionária e condições financeiras nacionais e internacionais", diz o documento.

Metas para inflação e emprego demorarão para serem atingidas

Apesar de projetarem um impulso na atividade econômica dos Estados Unidos por meio da vacinação contra a covid-19 e de mais estímulos fiscais, os dirigentes do Fed pontuaram que os atuais níveis da atividade e do emprego estão bem abaixo do necessário para a entidade atingir seu objetivo de máximo emprego, segundo informa a ata da reunião.

Com isso, os dirigentes concordaram que o ritmo atual de compra de ativos deverá ser mantido ao menos no atual nível até que "progressos substanciais em direção às metas de emprego e inflação sejam alcançados", o que deve demorar "algum tempo" para ocorrer, consideraram.

Os dirigentes também notaram que a inflação em dezembro de 2020 estava bem abaixo do objetivo de longo prazo de 2% do Comitê de Política Monetária do Fed.

Alguns deles apontaram, porém, para a possibilidade de que os preços de produtos cuja produção sofreu com gargalos na cadeia de suprimentos aumentem, enquanto outros anteciparam que um possível retorno abrupto aos níveis normais de atividade poderia resultar em aumentos pontuais em certos preços.

Segundo a ata, muitos dirigentes ressaltaram a importância de diferenciar mudanças pontuais nos preços e mudanças na tendência da inflação, observando que as mudanças nos preços relativos poderiam aumentar temporariamente a inflação medida, "mas dificilmente teriam um efeito duradouro".

Em geral, os dirigentes concordaram que a inflação deve se mover à meta de 2% do Fed ao longo do tempo, com suporte de políticas fiscais e monetárias acomodatícias, consideradas "essenciais" para fomentar a retomada econômica nos EUA, de acordo com a ata.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

RAIO-X DO ORÇAMENTO

Fundo eleitoral, emendas do relator e reajuste dos servidores: 3 pontos do Orçamento para 2022 que mexem com a bolsa esta semana

Entre emendas parlamentares superavitárias e reajuste dos policiais federais, o Orçamento deve ser publicado no Diário Oficial na segunda-feira (24)

PEC DOS COMBUSTÍVEIS

Tesouro pode perder até R$ 240 bilhões com PEC dos Combustíveis e inflação pode ir para 1% — mas gasolina ficará só R$ 0,20 mais barata; confira análise

Se todos os estados aderirem à desoneração, a perda seria de cifras bilionárias aos cofres públicos, de acordo com a XP Investimentos

Seu Dinheiro no Sábado

E a bolsa ainda pulsa: os grandões do Ibovespa brilham e puxam o índice — mas e as demais empresas?

Além do ciclo aquecido das commodities e da entrada de recursos estrangeiros, também vale lembrar o desconto nos ativos domésticos

BITCOIN (BTC) HOJE

Bitcoin (BTC) aprofunda queda da semana e é negociado aos US$ 35 mil hoje pela primeira vez em seis meses; criptomoeda já caiu 17% em sete dias

Especialista dá dicas de como sobreviver ao momento de “sangria” do mercado de criptomoedas — e o que não fazer no desespero

Dê o play!

A bolsa ainda pulsa, mas será um último suspiro? O podcast Touros e Ursos discute o cenário para o Ibovespa

No programa desta semana, a equipe do Seu Dinheiro discute o cenário para o Ibovespa e os motivos que fazem a bolsa brasileira subir

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies