Menu
2021-04-27T14:22:49-03:00
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
Adeus, CO2!

Fundo… Verde? Vitreo lança fundo de investimento em crédito de carbono

27 de abril de 2021
13:57 - atualizado às 14:22
Cropping,On,Coins,-,Investment,Ideas,For,Growth
Imagem: Shutterstock

A gestora e plataforma de investimentos Vitreo acaba de lançar um fundo de investimento em créditos de carbono. Trata-se de um mercado ainda pouco explorado, mas que conta com grande potencial de crescimento diante do compromisso de governos e empresas de diminuírem as emissões na atmosfera.

O fundo terá como base o principal mercado de carbono do mundo, o Sistema de Comércio de Emissões da União Europeia, ou European Union Emissions Trading Scheme (EU ETS).

Esse sistema cobre cerca de 75% do mercado global de carbono e, por meio de incentivos inteligentes, movimenta um montante de aproximadamente US$ 250 bilhões.

Nele são negociados os contratos futuros de unidades equivalentes de carbono, chamados ICE ECX. Eles foram criados como uma forma de incentivos para a redução de emissão de gases poluentes e podem ser negociados no EU ETS.

Os créditos de carbono já se valorizaram 187% desde 2018, e a Vitreo resolveu se expor a esse mercado que tende a crescer.

Aumento do preço dos créditos de carbono nos últimos três anos. Fonte: Market Watch.

O fundo Vitreo Carbono cobra taxa de administração de 0,9% e performance de 10% sobre o que exceder 5% em euro ao ano. Ficou interessado? Então conheça a seguir mais sobre esse mercado.

Como funcionam os créditos de carbono?

Os créditos de carbono são uma unidade de medida que está sendo utilizada para cobrar medidas sustentáveis das empresas. Cada crédito de carbono equivale a uma tonelada de carbono lançado na atmosfera. 

Em geral, governos cobram mais taxas em cima de empresas que emitem muitos créditos de carbono, ou seja, muito poluidoras. Essa é uma forma de garantir que elas busquem medidas para reduzir o lançamento de gases poluentes na atmosfera.

Basicamente, se uma empresa reduz suas emissões, ela recebe subsídios de carbono, que podem ser mantidos para cobrir suas necessidades futuras ou então podem ser vendidos para outra empresa que está sem subsídios.

Oferta e procura

Com o mundo caminhando para um futuro cada vez mais verde, o espaço para as emissões de carbono vem diminuindo. Em um determinado momento, menos empresas colocarão créditos de carbono no mercado, enquanto outras precisarão comprar esses créditos para manterem suas atividades.

Pela lei da oferta e procura, haverá um determinado momento em que o crédito de carbono passará a ser cobiçado pelas empresas e sofrerá uma valorização ainda maior. Além disso, esse mercado obriga a compra e venda, e essa comercialização pode gerar lucro para quem investe. 

De acordo com a Vitreo, essa é uma forma de se expor ao mercado europeu e uma maneira de investir em iniciativas de ESG, sigla em inglês para boas práticas ambientais, sociais e de governança.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

cardápio dos balanços

Balanços de Copel, Braskem, Azul e outros mexem com o mercado nesta quinta; veja os destaques

Só no Ibovespa, foram ao menos cinco companhias que revelaram os resultados do primeiro trimestre entre esta quarta e quinta; desempenho mexe com os papéis das companhias

Exile on Wall Street

Investir de maneira inteligente ajuda (mas não garante) retorno

Quero voltar aqui rapidamente ao Day One de terça, quando o Felipe citou o Soros em sua melhor forma, o arquétipo do investidor autocrítico: “Toda posição tem uma ou mais vulnerabilidades.” “Se você acha sua exposição perfeita, cuidado; você apenas não entendeu direito.”  “Sempre existe algo escondido ali, alguma armadilha não percebida a priori. Suas chances de […]

Dentro do balanço

Mercado Livre adere ao bitcoin e coloca R$ 40 milhões da criptomoeda em caixa

O documento foi publicado na página da SEC, a CVM americana, porque a empresa de entregas é listada na Nasdaq

Briga na Casa

Tensão no Congresso: Senado busca reforma tributária ampla, mas Câmara quer fatiar

A divisão da proposta em quatro partes é defendida pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), com aval do ministro da Economia, Paulo Guedes, mas enfrenta resistências

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies