Menu
2021-08-30T08:14:56-03:00
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
Segredos da Bolsa

Esquenta da semana: emprego é destaque aqui e no exterior para bolsa brasileira, com PIB, Orçamento e crise hídrica no radar

Além disso, dados do setor público e PIB do 2º trimestre devem compor o panorama doméstico, em meio às crises hídrica e entre os poderes

30 de agosto de 2021
7:57 - atualizado às 8:14
carteira de trabalho com um real em cima
O desemprego é destaque aqui e no exterior e deve movimentar as bolsas pelo mundo, inclusive o Ibovespa - Imagem: Shutterstock

A semana começa com os principais índices mundiais refletindo o discurso da última sexta-feira (27) do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell. O otimismo generalizado deve contaminar a bolsa brasileira nesta segunda-feira (30). Sem maiores indicadores pela frente, o Ibovespa deve enfrentar a crise hídrica e entre os poderes, com desdobramentos para os próximos dias. 

Brasil e uma seca de tudo

O cenário doméstico deve sentir o avanço da crise climática ao longo da semana. O anúncio de aumento da bandeira tarifária na última sexta-feira ainda não trouxe o preço que os consumidores pagarão nos próximos meses, mas é certo que será acima dos R$ 9,45 por 100 kW

A Aneel estuda colocar um adicional, o que elevaria a tarifa para uma faixa entre R$ 14 e R$ 25 por 100 kW. O governo pretende um aumento para o patamar mais baixo possível, mas a escassez de chuvas pode frustrar esses planos. 

Enquanto isso, a crise entre os poderes continua pressionando o governo federal. Agora, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), sentam-se de lados opostos da mesa de negociação. Pacheco considera a reforma do Imposto de Renda fraca e ainda mais confusa do que o sistema atual. As divergências envolvendo o texto não devem avançar no Senado federal.

Além disso, o clima eleitoral se instaurou nas Casas Legislativas, o que deve dificultar ainda mais a aprovação de projetos.

Fique de olho nesta semana

No panorama de eventos e indicadores, teremos o resultado das contas do governo central ainda nesta segunda-feira (30). Mas os dados mais importantes começam a ser divulgados na terça-feira (31), com a Pnad Contínua, que deve trazer os números atualizados de geração de emprego.

No mesmo dia, é o prazo final para a entrega da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2022. O impasse envolvendo os precatórios e novos programas sociais deve mexer diretamente com a bolsa, como aconteceu com a LDO para 2021. 

A quarta-feira (1º) conta com a divulgação do PIB do segundo trimestre, bem como do índice do gerente de compras (PMI, em inglês). Esses indicadores devem dar um panorama da atividade econômica do país nos últimos meses e impulsionar — ou frear — o otimismo com a bolsa brasileira

Exterior digere crise humanitária

Durante o final de semana, a tensão no Afeganistão aumentou ainda mais. Diversos bombardeios por parte dos Estados Unidos e ataques terroristas próximos ao aeroporto de Cabul pioraram o sentimento de controle da situação durante a saída dos americanos. 

O presidente norte-americano Joe Biden já havia falado em retaliação, mesmo confirmando a retirada dos soldados estadunidenses para amanhã (31). A saída dos Estados Unidos da região em meio ao aumento da tensão é vista como uma fraqueza de Biden frente ao governo do Taleban. 

Mas outro presidente movimentou os mercados, de maneira positiva. Jerome Powell, presidente do Federal Reserve, manteve um discurso de retirada de estímulos da economia ainda este ano, mas de maneira controlada. 

O Fed ainda não deu maiores indícios sobre um acordo envolvendo o tapering, a retirada de estímulos da economia, para a próxima reunião do BC americano em setembro. A variante delta e o panorama político internacional devem pressionar a decisão dos dirigentes da instituição. 

Fique de olho nesta semana

No panorama dos indicadores, a semana deve contar com o PMI dos EUA na terça-feira (31) e com o relatório de empregos ADP na quarta-feira (1º).

A balança comercial e os pedidos de auxílio-desemprego na quinta-feira (02) devem calibrar as expectativas e servir de entrada antes do prato principal na sexta-feira (03): o payroll, o relatório de emprego mais esperado dos Estados Unidos. 

Bolsas pelo mundo

Os principais índices asiáticos encerraram o pregão desta segunda-feira majoritariamente em alta. No discurso da última sexta-feira (27), o presidente do Federal Reserve manteve um discurso favorável à manutenção dos estímulos à economia, sem descartar o fim da compra de ativos até o final do ano. 

De maneira semelhante, as principais bolsas europeias também amanheceram em alta, refletindo o tom agradável de Jerome Powell. 

Por fim, os futuros de Nova York apontam para uma abertura em alta, com o otimismo global como panorama geral das bolsas pelo mundo.

Agenda da semana

Segunda-feira (30)

  • FGV: IGP-M de agosto (8h)
  • FGV: Sondagem do comércio de agosto (8h)
  • Banco Central: Boletim Focus semanal (8h25)
  • Tesouro Nacional: Resultado primário do Governo Central de julho (14h30)
  • China: Índice do gerente de compras (PMI, em inglês) industrial e de serviçõs de agosto (22h)

Terça-feira (31)

  • Zona do Euro: Inflação (CPI, em inglês) preliminar e núcleo do CPI de agosto (6h)
  • IBGE: Pnad Contínua de junho e do segundo trimestre (9h)
  • Banco Central: Setor público consolidado de julho (9h30)
  • Estados Unidos: PMI de agosto (10h45)
  • Estados Unidos: Índice de confiança do consumidor de agosto (11h)
  • Estados Unidos: Estoques de petróleo (17h30)
  • Brasil: Prazo final para o governo enviar a Lei Orçamentária de 2022 ao Congresso

Quarta-feira (01)

  • FGV: IPC-S de agosto (8h)
  • IBGE: PIB do segundo trimestre (9h)
  • Estados Unidos: Relatório ADP sobre a criação de empregos do setor privado em agosto (9h15)
  • Brasil: PMI industrial de agosto (10h)
  • Estados Unidos: PMI industrial final de agosto (10h45)
  • Banco Central: Índice Commodities Brasil (IC-Br) de agosto (14h30)
  • Brasil: Fluxo cambial semanal (14h30)
  • Ministério da Economia: Balança comercial de agosto (15h)
  • Opep+: reunião ministerial

Quinta-feira (02)

  • Fipe: IPC de agosto (5h)
  • FGV: IPC-S Capitais de agosto (8h)
  • IBGE: Pesquisa industrial mensal de julho (9h)
  • Estados Unidos: Balança comercial de julho (9h30)
  • Estados Unidos: Pedidos de auxílio desemprego (9h30)
  • China: Índice do gerente de compras (PMI, em inglês) composto e de serviços em agosto (22h45)
  • Brasil: Fenabrave divulga os emplacamentos de veículos em agosto (sem horário)

Sexta-feira (03)

  • Estados Unidos: Relatório de empregos (payroll) de agosto, taxa de desemprego e salário médio por hora (9h30)
  • Brasil: PMI composto e de serviços em agosto (10h)
  • Estados unidos PMI composto e de serviços em agosto (10h45)
  • Estados Unidos: PMI de serviços (11h)
  • Estados Unidos: Poços de petróleo em operação (14h)
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

fique de olho

Dividendos: Equatorial Pará (EQPA3) define data e Marfrig (MRFG3) altera valor

Além disso, Equatorial Maranhão definiu data do pagamento dos proventos e Banco Modal definiu valores para juros sobre capital próprio; confira

Eletrobras, Correios e mais

Ativos na mesa: nova proposta para precatórios pode incluir ações de estatais em acordos de pagamento

Além das estatais, na lista de ativos que poderiam entrar na negociação estão imóveis, barris de petróleo do pré-sal e concessões de rodovias e ferrovias, por exemplo

fala, vale

Vale (VALE3): a receita para a queda das ações, segundo a própria empresa

Empresa teve de emitir um comunicado em resposta a um ofício da B3 que solicitava justificativas para a oscilação das ações da mineradora entre os dias 6 e 20 de setembro

MERCADOS HOJE

Ibovespa recupera os 114 mil pontos após nova Selic; dólar sobe a R$ 5,30

Na ressaca da Super quarta, os investidores seguiram atentos aos desdobramentos dos problemas financeiros da Evergrande; Ibovespa acompanhou NY

Sob nova direção

Mudanças no alto escalão da Ultrapar agradam e ações disparam 9%. Hora de comprar UGPA3?

Analistas enxergam movimentação da Ultrapar como ‘ponto de virada’ e uma surpresa positiva, mas ainda é cedo para um diagnóstico mais preciso do futuro.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies