Menu
2021-05-27T07:59:31-03:00
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
Esquenta dos Mercados

Dados da economia dos EUA aumentam cautela no exterior e bolsa deve ficar de olho na taxa de desemprego do Brasil

Enquanto outros países estão preocupados com a atividade econômica, o Brasil deve demorar para chegar nesse patamar

27 de maio de 2021
7:59
inflação,Real,Currency.,Money,From,Brazil.,Dinheiro,,Brasil,,Reais,,Real,Brasileiro.
Imagem: Shutterstock

A quinta-feira (27) começa com poucos indicadores no radar do investidor. Mas eles não são menos importantes por serem poucos e devem ser suficientes para movimentar o dia. 

Para começar, o exterior opera na estabilidade e com cautela nas alturas, à espera de dados sobre a economia norte-americana. Devemos ter hoje as prévias do PIB e do PCE (a inflação americana), que podem aumentar ou diminuir os temores sobre um “superaquecimento” da atividade econômica do país. 

Ambos serão divulgados durante a manhã, antes da abertura do mercado aqui no Brasil. Os índices da Europa e futuros de Nova York devem dar o tom da bolsa brasileira no dia de hoje.

Falando no Brasil, a taxa de desemprego está no radar do investidor doméstico. Ontem, foram divulgados os dados sobre geração de emprego, dentro das expectativas. Paulo Guedes, ministro da Economia deve participar de evento e comentar os dados sobre desemprego no país. 

Enquanto outros países estão preocupados com a atividade econômica, o Brasil deve demorar para chegar nesse patamar. O contágio pelo coronavírus, a nova variante e a falta de vacinas devem atrasar a retomada da economia, o que também já foi questionado pelo próprio ministro da Economia.

No último pregão, o Ibovespa conseguiu avançar 0,81%, aos 123.989 pontos. O dólar à vista chegou a operar em alta, mas acompanhou o alívio externo e a entrada de fluxo estrangeiro, recuando 0,45%, a R$ 5,3133.

Confira esses e outros destaques para o dia de hoje:

Desemprego no Brasil

A Pnad Contínua deve revelar hoje qual a taxa de desemprego do Brasil no trimestre encerrado em março. As estimativas de especialistas ouvidos pelo Broadcast vão de 14,4% a 15,1%, com mediana na casa dos 14,7%. 

No trimestre encerrado em fevereiro, a taxa de desemprego ficou em 14,40%. No mesmo horário em que serão divulgados os dados, Paulo Guedes, ministro da Economia, deverá participar de um evento com as principais entidades do setor industrial do país.

O ministro já chegou a comentar que está otimista com a geração de emprego no Brasil, portanto, é esperado que ele comente o dado na reunião.

Tá quente, tá frio

Entre hoje e amanhã, serão divulgados dados importantes sobre a economia norte-americana. No cardápio do dia, temos os pedidos de auxílio desemprego, prévia do PIB e prévia da inflação (PCE e Núcleo do PEC) que darão um panorama mais completo sobre a pergunta que assombra os investidores: a atividade econômica dos EUA está superaquecida? 

Além dessa pergunta, podemos adicionar outras: o crescimento será sustentável? O Fed irá acompanhar a inflação com sua política monetária? 

Já no último dia da semana, saem os dados do PIB dos Estados Unidos e dados consolidados do PCE. Esses devem ser os grandes indicadores para hoje, além da fala da Secretária do Tesouro, Janet Yellen, na Câmara dos Representantes.

Bolsas pelo mundo

Os principais índices asiáticos encerraram o pregão majoritariamente em baixa na manhã desta quinta-feira (27). O mercado está à espera de maiores indicadores, divulgados hoje, sobre a economia norte-americana. 

Enquanto isso, as bolsas europeias começaram o dia sem direção definida, pelo mesmo motivo. Hoje serão divulgados dados de preços ao consumidor (PCE, na sigla em inglês) e, amanhã, dados sobre o PIB norte-americano. Até lá, os mercados devem operar em compasso de espera.

Por fim, os futuros de Nova York operam em baixa, próximos da estabilidade. Os investidores devem ficar de olho na fala da Secretária do Tesouro, Janet Yellen, na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos. 

Agenda do dia

Confira os principais eventos e indicadores para o dia de hoje:

  • IBGE/Pnad Contínua: Taxa de desemprego até março (9h)
  • Ministério da Economia: Paulo Guedes participa de evento da Coalizão Indústria (9h)
  • Estados Unidos: Departamento do comércio divulga prévia da inflação (PCE e Núcleo do PCE) e do PIB, Departamento do Trabalho lança pedidos de auxílio desemprego e encomenda de bens duráveis (9h30)
  • Estados Unidos: Secretária do Tesouro, Janet Yellen, testemunha perante comitê da Câmara dos Representantes (12h)
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Fome para crescer

Em mais uma aquisição, Magazine Luiza se fortalece em food services com a Plus Delivery

Segundo a varejista, plataforma de entrega de comida tem cerca de 1.500 restaurantes parceiros e atende mais de 250 mil clientes por mês

mercados hoje

Bolsa opera com alta volatilidade, à espera de fala de Powell; dólar avança

Mesmo com uma queda acentuada do petróleo nesta manhã, o setor vê a commodity nos maiores níveis desde o início da pandemia, com a retomada das atividades

O melhor do Seu Dinheiro

A rima das commodities, último capítulo da novela da MP da Eletrobras e outros destaques

A história não se repete, mas rima. Se Mark Twain fosse um analista do mercado financeiro, provavelmente seria um grande especialista em ciclos econômicos. Logo no começo da crise da covid-19, quem ousasse falar em investir em commodities ou ações de empresas produtoras de matérias-primas seria taxado de louco. As cotações de todas elas — […]

SINAIS DO BC

COMPARATIVO: Veja o que mudou na ata da reunião do Copom

Veja o que mudou e o que permanece igual na ata da última reunião do Copom — o BC elevou a Selic em 0,75 ponto percentual, para 4,25% ao ano

Outro escorregão

Bitcoin perde os US$ 30 mil, menor patamar desde janeiro; Confira como anda o mercado cripto

Isso motivou a queda das dez principais criptomoedas do mercado, em especial do Dogecoin, que cai quase 25%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies