🔴 É HOJE! COMO COMPRAR CARROS COM ATÉ 50% DE DESCONTO NA TABELA FIPE – CONHEÇA A ESTRATÉGIA

Estadão Conteúdo
Vantagens indevidas

CGU multa Madero e Vivo com base em lei anticorrupção

Controladoria-Geral da União constatou oferecimento de vantagens indevidas a agentes públicos

Estadão Conteúdo
17 de outubro de 2020
10:16 - atualizado às 8:51
Imagem: Shutterstock

A Controladoria-Geral da União (CGU) multou as empresas Madero Indústria e Comércio e Telefônica Brasil (Vivo) por terem dado vantagens indevidas a agentes públicos. As punições por violar a Lei Anticorrupção foram formalizadas no 'Diário Oficial' da União de sexta-feira, 16.

A multa aplicada ao Madero é de R$ 442,6 mil e à Vivo, de R$ 45,747 milhões. As decisões são assinadas pelo ministro da CGU, Wagner Rosario.

De acordo com a publicação, o Madero foi punido por ter, em diversas oportunidades, dado vantagens indevidas, em dinheiro e em alimentos, a servidores públicos federais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento designados para fiscalizarem suas instalações em Balsa Nova e Ponta Grossa, no Estado do Paraná.

A operadora Vivo sofreu a punição por ter distribuído ingressos para a Copa do Mundo de 2014 a agentes públicos.

As duas companhias também terão de providenciar a publicação extraordinária da sanção da CGU em jornal de grande circulação nacional, no site da própria empresa e em edital nas entradas principais de pedestres da sede da pessoa jurídica. Ao Madero foi determinado ainda que esse edital também seja afixado nos estabelecimentos da empresa das duas cidades paranaenses onde ocorreram os atos lesivos.

Os valores das multas correspondem a 0,1% do faturamento bruto das empresas no exercício de 2017, no caso do Madero, e de 2018, no caso da Vivo.

Em nota, o Grupo Madero afirmou que vai tomar as medidas legais cabíveis para recorrer da decisão e alega ter sido vítima de ameaças e extorsões de fiscais do MAPA em 2015. A empresa diz que, por iniciativa própria, procurou a Polícia Federal para comunicar esses fatos e colaborou, desde o início, com as investigações policiais.

Ainda de acordo com a empresa, a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Justiça Federal já analisaram os mesmos fatos e não imputaram qualquer tipo de responsabilidade à companhia ou a seus representantes.

O Estadão procurou novamente a CGU para questionar sobre se procedem as informações da empresa, mas o órgão disse que não vai se manifestar.

Em comunicado publicado no site da Comissão de Valores Mobiliário (CVM), a Vivo informou que na investigação foram constatadas "ausência de dano à administração pública" e "a não identificação de vantagens auferidas ou pretendidas pela companhia em razão dos ingressos oferecidos".

Compartilhe

UP NA CONEXÃO MÓVEL

5G chega a São Paulo hoje e pode multiplicar receitas de Tim, Vivo e Claro — saiba o que esperar da tecnologia

4 de agosto de 2022 - 7:01

As companhias do setor de telecomunicações têm muito a ganhar com a entrada do coração financeiro do país na lista de cidades com a tecnologia

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Oportunidade de lucros de mais de 3% em swing trade com a Telefônica Brasil (VIVT3), dona da Vivo; confira a recomendação

15 de julho de 2022 - 9:30

Identifiquei uma oportunidade de swing trade – compra dos papéis da Telefônica Brasil (VIVT3). Saiba os detalhes

SEXTOU COM O RUY

A Vivo (VIVT3) e sua estabilidade à prova de crise nos mostram: negócios chatos não são maus negócios

15 de julho de 2022 - 6:11

A Vivo (VIVT3) manteve suas receitas praticamente estáveis nos últimos anos. Ainda assim, esse ‘negócio chato’ gera muito valor ao acionista

EM NOME DA LIVRE CONCORRÊNCIA

Vivo (VIVT3) e TIM (TIMS3) lançam oferta de venda de antenas da Oi (OIBR3)

12 de julho de 2022 - 16:49

A venda de metade das estações de rádio-base (ERBs) faz parte do acordo de aquisição da Oi, aprovada pelo Cade em abril; TIM e Vivo têm até setembro para se desfazer das antenas

DE GIGANTE PARA GIGANTE

Compra dos ativos da Oi (OIBR3) dá uma forcinha extra para os negócios da Telefônica Brasil (VIVT3); saiba como

7 de junho de 2022 - 17:50

A análise é da agência de classificação Fitch Ratings, que manteve a classificação de risco da dona da Vivo em ‘AAA(bra)’, a mais alta na escala de risco de crédito

LIGAÇÃO PERDIDA

Vão devolver? Saiba por que a Oi (OIBR3) e a Vivo (VIVT3) podem pular fora da telefonia fixa no Brasil e o que darão em troca

30 de maio de 2022 - 16:22

Se devolverem a concessão ao final do contrato, em 2025, as teles terão de assumir compromissos de investimentos para levar a banda larga até o interior do País, em regiões ainda carentes de conectividade

VAGAS AFIRMATIVAS

Vivo, Via e B3 abrem mais de 400 vagas para mulheres e PCDs; veja como se inscrever

24 de maio de 2022 - 18:47

No formato híbrido, presencial e home office, as vagas da Via, Vivo e B3 são voltadas para as áreas operacionais e corporativas

BALANÇOS

Telefônica Brasil (VIVT3) vê lucro líquido cair 20,4% no primeiro trimestre; confira os resultados da dona da Vivo

10 de maio de 2022 - 18:17

Receita operacional líquida da empresa, no entanto, é a maior em sete anos, com destaque para o segmento de fibra para o lar (FTTH, na sigla em inglês)

Resultado

Oi (OIBR3) reverte lucro e tem prejuízo de R$ 1,669 bilhão no 4T21; veja os destaques do balanço

5 de maio de 2022 - 8:39

No negócio de fibra, um dos focos da “nova Oi”, a empresa chegou a 3,4 milhões de casas conectadas, com uma receita anual de R$ 2,9 bilhões

OPORTUNIDADES EM TELES

É hora de comprar Tim (TIMS3) e vender Vivo (VIVT3), diz JP Morgan; confira a análise do banco para o setor de telecom após a venda da rede móvel da Oi (OIBR3)

2 de maio de 2022 - 13:31

A compra dos ativos móveis da Oi e as sinergias captadas pelo negócio impactaram Tim (TIMS3), Vivo (VIVT3) e Claro de maneira bem diferente; entenda a recomendação

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar