🔴 3 ações para LUCRAR com a SELIC em alta: clique aqui e descubra quais são

2022-06-07T17:55:16-03:00
Carolina Gama
DE GIGANTE PARA GIGANTE

Compra dos ativos da Oi (OIBR3) dá uma forcinha extra para os negócios da Telefônica Brasil (VIVT3); saiba como

A análise é da agência de classificação Fitch Ratings, que manteve a classificação de risco da dona da Vivo em ‘AAA(bra)’, a mais alta na escala de risco de crédito

7 de junho de 2022
17:50 - atualizado às 17:55
oi-telefonia (1)

A venda dos ativos de telefonia móvel para as principais rivais deu um fôlego para a Oi (OIBR3) no processo de recuperação judicial. Mas a Telefônica Brasil (VIVT3), que ficou com parte do espólio da antiga gigante, também se beneficiou do negócio. 

O modelo de negócios da líder do mercado de telefonia móvel melhorou com a incorporação de parte dos ativos da Oi em abril deste ano. A análise é da agência Fitch Ratings, que manteve a classificação da Telefônica Brasil em 'AAA(bra)', a mais alta na escala de risco de crédito.

Com a aquisição — feita em conjunto com a Claro e a Tim — a Vivo, controlada pela Telefônica Brasil, recebeu 12,5 milhões de assinantes da OIBR3, 43MHz de espectro e 2.700 torres com migração completa de clientes prevista para ser concluída no primeiro trimestre de 2023.

Segundo a Fitch, embora os assinantes da Oi tenham uma receita média por usuário (ARPU, na sigla em inglês) menor do que os da Telefônica Brasil, eles vêm com margem ebitda estimada de 70%. 

Nos cálculos da agência, os ativos móveis da Oi deverão contribuir com cerca de R$ 1,6 bilhão em receitas anuais e R$ 1,1 bilhão em ebitda (lucro antes de juros, impostos, amortização de depreciação) para os resultados consolidados da Telefônica Brasil.

A Vivo pagou R$ 5,4 bilhões pelos negócios da Oi Móvel. Deste total, R$ 4,9 bilhões foram pagos em abril e os R$ 500 milhões restantes estão previstos para o terceiro trimestre de 2022. 

A empresa estima o valor presente líquido (VPL) de sinergias, excluindo aquelas do lado da receita, em torno de R$ 5,4 bilhões.

Telefônica Brasil (VIVT3): desempenho forte

Além de receber uma ajudinha da Oi (OIBR3), a Fitch destaca o sólido modelo de negócios que a Telefônica Brasil (VIVT3) já tem, graças à posição de liderança no setor de telecomunicações brasileiro. 

A empresa também é beneficiada pelo perfil financeiro conservador, com liquidez robusta e baixa alavancagem.

A agência acredita que a Telefônica Brasil continuará apresentando forte desempenho operacional nos próximos três anos, sustentado pelo crescimento da base pós-paga e receita média por usuário combinada, bem como da base Fiber-to-the Home (FTTH). 

A Fitch lembra, no entanto, que a Telefônica Brasil está inserida em um mercado competitivo e regulamentado, que é intensivo em capital e exposto a rápidas mudanças tecnológicas.

Vivo (VIVT3) e Oi (OIBR3) fora da telefonia fixa?

No final do mês passado, a Vivo (VIVT3) e a Oi (OIBR3) informaram que estavam considerando devolver a concessão do serviço ao fim do contrato. 

As duas maiores prestadoras de telefonia fixa no Brasil avaliam a possibilidade a partir de 2025, caso as adaptações no regime não sejam economicamente atrativas. 

A Oi e a podem devolver a concessão, mas, em troca, terão de assumir compromissos de investimentos para levar a banda larga até o interior do País, em regiões ainda carentes de conectividade. 

O valor desses investimentos passou a ser apurado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) desde então.

A consultoria contratada pela Anatel para fazer as contas apontou que os valores consolidados envolvidos em uma eventual mudança de regime são de R$ 10 bilhões a R$ 30 bilhões em favor da União. 

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

SEMANA EM CRIPTO

Bitcoin (BTC): o pior investimento do semestre tenta sobreviver aos dados de emprego nos EUA; confira o que mexe com as criptomoedas na próxima semana

Entre os destaques da semana, estão a liquidação de ativos da Three Arrows Capital, pechinchas no mercado cripto e mais

CAÇANDO MARRUÁ

Bitcoin (BTC) no cabresto? UE tenta domar o mundo das criptomoedas com marco regulatório; saiba como

O acordo é provisório e inclui uma proposta que cobre emissores de criptoativos não lastreados e também as chamadas stablecoins, bem como as plataformas de negociação e as carteiras nas quais os ativos digitais são mantidos

O MEDO DA RECESSÃO

Meta em crise: Mark Zuckerberg quer contratar menos funcionários e demitir mais gente a partir de agora

A dona do Facebook espera um segundo semestre de vacas magras e enfrentará um severo corte de gastos; por isso, a companhia prioriza equipes mais enxutas e agressivas

ELEIÇÕES 2022

É só mais essa! Líder nas pesquisas, Lula descarta tentar reeleição se derrotar Bolsonaro em outubro

Em entrevista, Lula disse que ‘daqui a 4 anos vai ter gente nova’, criticou o Congresso e prometeu retirar sigilos impostos por Bolsonaro

PROBLEMA DE INTERPRETAÇÃO?

A Tesla não é verde? Depois da empresa de Elon Musk ser excluída de índice ESG, CEO diz que bilionário não entende o significado da sigla

De acordo com a presidente executiva da Clarity AI, Rebeca Minguela, Musk pode ter pensado que o ESG mede apenas os impactos ambientais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies