Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-02-19T11:44:40-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quarta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

19 de fevereiro de 2020
11:44
Selo para série preços e taxas do Tesouro Direto com uma sacola de dinheiro com pernas subindo e uma porcentagem caída no chão
Imagem: Montagem Andrei Morais/Shutterstock

As taxas do Tesouro Direto abriram em alta nesta quarta-feira (19). O Tesouro IPCA+ 2026 (NTN-B Principal) é negociado com taxa de 2,56% ao ano mais IPCA, por um valor mínimo de R$ 56,09. O Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2055 (NTN-B) é negociado com taxa de 3,37% ao ano mais IPCA e aplicação mínima de R$ 51,16.

Já o Tesouro Prefixado 2023 (LTN) está pagando 5,29% ao ano para quem o comprar nesta quarta-feira, com aporte mínimo de R$ 34,53. O Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2031 (NTN-F) é negociado com taxa de 6,63% e aporte mínimo de R$ 37,95.

O único Tesouro Selic (LFT) disponível para compra atualmente no Tesouro Direto, com vencimento em 2025, está remunerando Selic + 0,02% para quem o levar até o fim do prazo. A aplicação mínima é de R$ 105,21.

Lembre-se de que essas taxas do Tesouro Direto só são válidas para quem adquirir o título hoje e o levar até o vencimento. Na venda antecipada, o retorno pode ser bem diferente, uma vez que a venda é sempre feita a preço de mercado.

Os títulos Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais que vencem em 2020, 2024, 2026 e 2050 pagaram cupom de juros nesta segunda e voltaram a ser negociados.

Confira os preços e taxas do Tesouro Direto nesta quarta-feira

O Tesouro Direto é o programa do Tesouro Nacional para compra e venda de títulos públicos federais on-line pela pessoa física. O investimento mínimo é de apenas R$ 30, desde que essa quantia não seja inferior a 1% do valor de um título.

Para investir no Tesouro Direto, o ideal é abrir conta em uma corretora de valores que não cobre taxa de administração. Dessa forma, o único custo do investimento, além dos impostos, é a taxa de custódia paga à bolsa, de 0,25% ao ano.

Os títulos públicos federais são os investimentos de menor risco de crédito da economia brasileira, pois são garantidos pelo governo. Mas há risco de mercado, uma vez que há volatilidade nos preços.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

O melhor do Seu Dinheiro

A vez dos shoppings voltou: está na hora de investir na ‘praia do paulistano’

Os shopping centers foram por muitos anos apelidados de “praia de paulistano”, principalmente por quem é de fora de São Paulo. Com o tempo e a explosão desses empreendimentos pelo Brasil, o apelido jocoso perdeu força, mas ainda comunica. O fato é que a tal praia do paulistano foi uma das mais duramente afetadas quando […]

COLUNA DO JOJO

Bolsa hoje: licença para gastar

Hoje, a UE deve divulgar as proporções da dívida sobre PIB dos membros para 2020 – os valores deverão ser volumosos, repercutindo a pandemia, que mudou a relação da atuação dos governos na economia

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro amplia queda após Paulo Guedes lavar as mãos para furo no teto de gastos e dólar vai acima de R$ 5,60

No panorama doméstico, o risco fiscal permanece no radar, enquanto a temporada de balanços segue no exterior

MELOU O NEGÓCIO

Ações da Evergrande saem de suspensão e despencam em meio a desacordo sobre venda de fatia da incorporadora

A própria empreiteira chinesa cancelou um acordo para a venda de uma participação de 50,1% em unidade de serviços imobiliários para a Hopson Development Holdings

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: exterior tem dia de correção e bolsa brasileira deve ter desempenho fraco por mais um dia após fala de Paulo Guedes sobre teto de gastos

Os balanços do exterior devem movimentar os negócios, com Evergrande de volta ao radar após fracasso na venda de uma subsidiária

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies