Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-04-28T12:04:31-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Efeito coronavírus

Santander tem aumento em depósitos na crise com “voo para qualidade”

O Santander encerrou o mês passado com uma captação (funding) total de clientes de R$ 385 bilhões, o que representa um avanço de 9% no trimestre

28 de abril de 2020
11:03 - atualizado às 12:04
Santander
Sede do Santander Brasil - Imagem: Shutterstock

O volume de captações de recursos de clientes pelo Santander cresceu nos últimos meses em um movimento de “voo para qualidade” (flight to quality) diante da crise do coronavírus. A afirmação é de Angel Santodomingo, vice-presidente executivo do banco.

O Santander encerrou o mês passado com uma captação (funding) total de clientes de R$ 385 bilhões, o que representa um avanço de 9% no trimestre e de 15% na comparação com o primeiro trimestre de 2019.

Os depósitos à vista da unidade local do banco espanhol cresceram 16,9% em relação a dezembro, para R$ 34 bilhões. No mesmo período, as captações com CDBs avançaram 12,8% e atingiram R$ 215 bilhões.

Leia também:

As captações com outros instrumentos, como letras de crédito imobiliárias (LCI) e do agronegócio (LCA) registraram um aumento de 7,5% no trimestre, para R$ 58 bilhões.

“A tendência de ‘flight to quality’ [voo para qualidade] provou ser correta”, afirmou Santodomingo, em teleconferência com analistas para comentar os resultados do primeiro trimestre.

O Santander Brasil registrou lucro líquido gerencial de R$ 3,853 bilhões nos três primeiros meses de 2020. O resultado representa um avanço de 10,5% em relação ao mesmo período do ano passado e ficou acima da estimativa média dos analistas.

Confortáveis com provisões

Um ponto que chamou a atenção dos analistas foi o fato de o Santander não ter feito provisões adicionais diante dos impactos esperados do coronavírus na economia.

O índice de cobertura, que representa o saldo de provisões em relação aos empréstimos em atraso há mais de 90 dias, caiu de 209% para 194% no trimestre.

Mas Santodomingo disse que o banco está “confortável” com os níveis atuais de provisão e que vai esperar como a economia brasileira vai reagir no pós-crise.

“Esperamos um segundo trimestre difícil, mas acreditamos na capacidade do banco de atravessar diferentes períodos de crise” – Angel Santodomingo, Santander Brasil

O executivo disse ainda que 64% da carteira de financiamentos para pessoas físicas do banco conta com garantias.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Ventos contrários

Renova Energia não consegue “proteção” contra minoritários da própria empresa

Empresa perdeu ação no TJ-SP que tentata impedir os acionistas de produzirem provas contra a empresa, relativas à investigação sobre desvio de recursos

Preocupação

Vidas secas? Bolsonaro admite que Brasil vive “enorme crise hidrológica”

Presidente citou a falta de chuvas como um dos grandes problemas econômicos do país, juntamente com os efeitos causados pela pandemia

MESA QUADRADA

“Não me arrependo de nada. Só não posso dar conselhos financeiros para ninguém”, diz Bob Wolfenson, o fotógrafo das celebridades entrevistado no 7º episódio do Mesa Quadrada

Em em conversa para o podcast Mesa Quadrada, Dan Stulbach, Teco Medina e Caio Mesquita, conversam sobre dinheiro e carreira com Bob Wolfenson, ícone da fotografia brasileira

Situação preocupante

Cuidado com as luzes acesas! Aneel mantém taxa adicional mais alta na contas de agosto

Tarifa cobrada na bandeira vermelha nível 2 é de R$ 9,49 por 100 quilowatts-hora (kWh), e agência continua avaliando se vai elevar o valor

O melhor do Seu Dinheiro

Os melhores investimentos do mês e as notícias que foram destaque na semana

lém do ranking, tivemos o Ibovespa em queda de 2,60, e uma entrevista exclusiva com o CEO da Ânima Educação, que busca um “modelo Magalu”

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies