Menu
2020-03-15T12:37:04-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Jornalista formado pela Universidade de Federal do Paraná (UFPR). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros veículos.
pós caos nos mercados

BTG prega cautela e mantém recomendação de compra para ação da Petrobras

Especialistas do banco dizem que as ações podem passar por uma valorização de 31% em relação a cotação de ontem; queda das dívidas da petroleira e venda de ativos justificam posição

10 de março de 2020
15:13 - atualizado às 12:37
Prédio da Petrobras no Rio de Janeiro
Imagem: Shutterstock

Os efeitos da disputa de preços do petróleo sobre a Petrobras devem ser vistos com cautela, segundo analistas do BTG Pactual. O grupo segue recomendando a compra dos papéis da petroleira e diz que as ações preferenciais da estatal (PETR4) podem chegar em 12 meses a R$ 21 — um potencial de avanço de 31% em relação ao preço de ontem.

Nesta segunda-feira (9), as ações preferenciais da Petrobras desabaram 28,95%, a R$ 16,22. Mas hoje os papéis recuperavam parte das perdas, fechando em alta de 9,41%, a R$ 17,56. Veja a cobertura de mercados do Seu Dinheiro.

A queda das ações da Petrobras aconteceu após a Arábia Saudita anunciar uma brusca redução nos preços do petróleo. O movimento derrubou ontem em 24,10% os preços do petróleo tipo Brent com vencimento em maio, por exemplo. Os investidores passaram a antecipar a queda de receita que a estatal teria.

Mas o BTG diz que não há motivos para pânico, no momento. O grupo justifica a recomendação de compra da ação ao apontar uma redução das próprias dívidas promovida pela Petrobras e a venda de ativos não essenciais.

No ano passado, a estatal vendeu, entre outros ativos, 90% da Transportadora Associada de Gás (TAG), por R$ 33,5 bilhões, e se desfez de 30% da BR Distribuidora, levantando mais R$ 8,56 bilhões.

Os ativos desfeitos podem compensar, segundo os analistas, uma queda de 40% nas projeções do banco para o Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) — que deve chegar a US$ 20 bilhões em 2020, com base no petróleo tipo Brent a US$ 42.

"Mais do que apenas entrar em pânico, estamos incorporando a melhor curva de preço do petróleo que podemos pensar: preços de mercado".

Thiago Duarte, Pedro Soares e Daniel Guardiola, analistas do BTG

Os analistas do BTG projetaram que, a cada variação de US$ 10 no petróleo tipo Brent, o Ebitda anual passe por uma variação de US$ 7 bilhões, ao passo que a receita poderia sofrer em US$ 5 bilhões.

2019

Em 2019, a Petrobras registrou um lucro líquido atribuído aos acionistas de R$ 40,1 bilhões, uma alta de 55,7% em relação ao resultado de 2018. Foi o maior lucro anual da empresa — um número, em parte, atribuído ao processo de venda de ativos e aos menores custos nas operações.

A receita líquida fechou o ano em R$ 302,2 bilhões — uma queda de 2,6% na comparação com 2018 —, refletindo em parte a queda das cotações do petróleo no período.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Ganhando na contramão

Juros, dólar e investimento no exterior: os fundos multimercados que bateram o CDI em março

Um levantamento da consultoria Quantum feito a pedido do Seu Dinheiro mostra que 83 fundos conseguiram superar no mês passado o retorno de 0,34% do CDI, indicador de referência. Saiba como os gestores ganharam dinheiro no meio do furacão

C’est une révolte? Non, Sire, c’est une révolution: A melhor forma de se ter caixa

Como fica seu patrimônio diante de um aprofundamento de um quadro mais negativo? Se a situação mudou, como de fato aconteceu, as nossas carteiras devem mudar também.

IR 2020

Como declarar bitcoin e outras criptomoedas no imposto de renda

Criptoativos podem até não ser regulados, mas isso não quer dizer que seus entusiastas não precisem prestar contas ao Leão. A Receita, como era de se esperar, está de olho…

Recessão à vista

PIB do Brasil deve cair 0,7% em 2020 por coronavírus, diz S&P

S&P Global Ratings prevê que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve sofrer contração de 0,7% neste ano, com risco de baixa, devido aos impactos econômicos da pandemia de coronavírus

Seu Dinheiro na sua noite

Balança mas não cai?

Caro leitor, Embora a pandemia global de coronavírus ainda esteja longe de ser debelada – pelo menos com os dados e tratamentos que temos até o momento – o mercado começou a semana menos pessimista. Itália, Espanha e o estado de Nova York – três localidades críticas de disseminação da doença – mostraram, no fim […]

Embraer cortada

S&P rebaixa rating da Embraer de BBB para BBB- e mantém nota em observação

S&P diz que, em resposta à pandemia de coronavírus, muitas companhias aéreas devem tentar atrasar novas entregas de aeronaves até pelo menos o fim do terceiro trimestre de 2020, o que deve pressionar o fluxo de caixa e as métricas de crédito da empresa.

Em meio à pandemia

Telefônica, dona da Vivo, parcela fatura de inadimplentes

A Telefônica Brasil, dona da marca Vivo, decidiu flexibilizar as condições de pagamento de seus clientes de telefonia fixa e móvel, banda larga e TV por assinatura devido à crise do coronavírus

Não rolou

Clientes do Bradesco relatam instabilidade no aplicativo de internet banking

O aplicativo do Bradesco para pessoa física apresentou problemas na manhã desta segunda-feira, 6. Com o isolamento social, muitos clientes tiveram de fazer as transações via celular

Recuperação intranquila

Ibovespa passa por instabilidade com possível demissão de Mandetta, mas ainda fecha em alta firme

O Ibovespa terminou a sessão com ganhos de mais de 6%, mas ainda assim ficou distante das máximas e aquém das bolsas americanas. Tudo por causa das incertezas relacionadas à permanência do ministro da Saúde no cargo

Números atualizados

Brasil tem 553 mortes e 12 mil casos confirmados do novo coronavírus

Brasil chegou a 553 mortes em razão da pandemia do coronavírus, segundo atualização do Ministério da Saúde. Número representa um aumento de 13%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements