Menu
2020-01-30T07:51:56-03:00

Petrobras esclarece que entregará documentos da hibernação da Fafen-PR até 6ª

MPT reclama da falta de transparência da estatal na divulgação do seu plano de desligamento da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná

30 de janeiro de 2020
7:51
Letreiro da Petrobras em frente a prédio
Letreiro da Petrobras em frente a prédio - Imagem: Shutterstock

A Petrobras afirmou que vai entregar ao Ministério Público do Trabalho (MPT) do Paraná, até sexta-feira, 31, toda documentação relacionada ao plano de hibernação da sua subsidiária Ansa. Ao Fafen-PR Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, a procuradora do Trabalho do Paraná, Claudia Lopes, informou nesta quarta-feira, 29, ter recebido da empresa uma petição na qual a Petrobras informa que apresentará um plano de hibernação, mas não definitivo, no dia 31. O MPT reclama da falta de transparência da estatal na divulgação do seu plano de desligamento da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR).

Segundo ata da audiência realizada na última segunda-feira, à qual o Broadcast teve acesso, a procuradora do Trabalho, Patrícia Gaidex, reclamou da "ausência de informações que, inclusive, impede a continuidade do diálogo". Ao Broadcast, a procuradora Claudia Lopes, que também participou da audiência, destacou ainda a preocupação com a destinação que a empresa dará a 4,3 mil toneladas de gás amônia, um produto tóxico, que exige um descarte especial, segundo especialistas.

Em resposta, a Petrobras, por meio de sua assessoria de imprensa, afirmou que a hibernação da fábrica "está sendo feito com total segurança operacional e ambiental". E que a amônia, um dos produtos finais da fábrica, está armazenada "com total segurança em tanque de estoques; e está sendo escoada para comercialização, em um processo que obedece a rigorosos padrões de segurança". A empresa acrescentou ainda que "a paralisação da produção da fábrica reduz os riscos associados à produção, já que os principais equipamentos estão parados e os estoques estão em processo de redução".

Luiz Pinguelli Rosa, professor de Planejamento Energético do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe) da UFRJ, afirmou que o descarte desse tipo de material merece especial atenção, por conta do seu potencial tóxico e de contaminação da população vizinha. Como publicado pelo Broadcast, ele lembrou o episódio com o césio-137, de 1987, em que pessoas desavisadas tiveram acesso a uma clínica desativada e abandonada e foram contaminadas. Rosa destacou ainda que o gás amônia não é radioativo como o cesio-137, mas é tóxico e pode ser fatal.

"Não há sentido técnico na comparação da amônia ao césio-137, como ocorreu na reportagem. A amônia é um insumo para várias indústrias, principalmente a alimentícia", afirmou a Petrobras, em resposta ao Broadcast. Na nota, a empresa acrescentou ainda que "todos os produtos e insumos da fábrica serão devidamente destinados, cumprindo rigorosamente todas as exigências dos órgãos competentes. A gestão de resíduos também será tratada com total responsabilidade."

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

De olho no futuro

Montadoras investem em postos de recarga para fomentar híbridos

Volkswagen se une assim a empresas como BMW, Volvo e à própria parceria em que participa com Volkswagen e Porsche na instalação de pelo menos outros 680 pontos de abastecimento, vários deles com tecnologias de recarga rápida

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

13 notícias para você começar o dia bem informado

2019 poderia ter sido um dos melhores anos da história da Vale, especialmente pela alta de mais de 30% no preço do minério de ferro. A tragédia de Brumadinho mudou severamente esse quadro e levou a empresa a um prejuízo de US$ 1,7 bilhão no ano todo, conforme números divulgados ontem à noite. A sexta-feira […]

do setor imobiliário para a bolsa

Incorporadora One e construtora Pacaembu pedem registro de IPO

Empresas esperam recursos para pré-pagamento de empréstimos, expansão e reforço de capital de giro

sinal verde

Anac autoriza Virgin Atlantic, do bilionário Richard Branson, a operar no Brasil

Segundo o órgão regulador, a empresa manifestou interesse em voar, a partir de março deste ano, entre as cidades de Londres e São Paulo.

Esquenta dos mercados

Tensão renovada nos mercados com disseminação do coronavírus para fora da China

Com coronavírus no radar, os investidores brasileiros devem buscar cautela para se proteger do movimento dos mercados durante o feriado

comunicado oficial

Banco Central do Japão diz que é cedo para discutir medidas em resposta ao coronavírus

Coronavírus pode afetar a economia japonesa, ao desacelerar suas exportações para a China, segundo presidente da autoridade monetária

novidade do bc

BC cria linha de redesconto para participantes do PIX nos pagamentos instantâneos

Em novembro, o BC planeja colocar em funcionamento o PIX. O sistema permitirá pagamentos instantâneos – ou seja, transferências de recursos 24 horas por dia, sete dias por semana, durante todo o ano

decisão do supremo

STF mantém lei que libera renovação antecipada de concessões de ferrovias

Processo foi apresentado em 2018 pela então PGR, para quem as normas previstas na legislação ofenderiam as regras de licitações e o princípio da competitividade

de olho nas cifras

CMN aprova limite de R$ 8,4 bi de crédito por estados e municípios e estatais

Valor ficou bem abaixo do liberado em anos anteriores – em 2019 foi de R$ 24,5 bilhões em 2019 e R$ 24 bilhões em 2018

Sextou com o Ruy

Alguém te deu uma dica de investimento? Leia este texto antes de aceitar

Seja na cadeira do dentista ou no mercado financeiro, cuidado com os conflitos de interesse, que podem ser extremamente danosos para você e sua família

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements