Menu
2020-05-22T12:43:45-03:00
entrevista

‘Crise do coronavírus fará setor de veículos retroceder 15 anos no Brasil’, diz presidente da Fiat na AL

Segundo Antonio Filosa, montadora manterá os investimentos de R$ 14 bilhões em novas fábricas, produtos e serviços no País

22 de maio de 2020
12:43
Logo da Fiat em automóvel
Imagem: Shutterstock

As montadoras foram atingidas em cheio pela crise causada pelo coronavírus. No Brasil, a demanda por veículos pode cair até 40% este ano, para 1,8 milhão de unidades. "Vamos retroceder 15 anos", afirmou na quinta-feira, 21, Antonio Filosa, presidente da Fiat Chrysler Automóveis (FCA) para a América Latina, durante a série de entrevistas ao vivo Economia na Quarentena, do jornal O Estado de S. Paulo.

O executivo também afirmou que o grupo não tem "nenhuma intenção" de deixar o mercado brasileiro. Segundo ele, a montadora manterá os investimentos de R$ 14 bilhões em novas fábricas, produtos e serviços no País. Esses aportes, que estavam previstos para ser concluídos até 2024, deverão ser esticados até 2025.

A cadeia automotiva está em negociações com o governo e o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para negociar liberação de crédito às empresas do setor. "A Anfavea (associação que reúne as montadoras) está trabalhando com o governo (para recursos para reforçar o caixa) e recebendo respostas positivas", afirmou.

Leia, a seguir, os principais trechos da entrevista.

Como o sr. vê a demanda por carros no País? Não se corre o risco de alta de estoques?

É o "x" da questão. Tivemos, em abril, queda de 90%, enquanto o mês de maio caminha para retração de 70% a 75%. No terceiro trimestre, a demanda deve cair entre 40% e 50% e, no quarto, de 20% a 30%. Assim, devemos fechar o ano com venda de 1,8 milhão de veículos, queda de 40% sobre 2019. Vamos retroceder 15 anos no nosso mercado, na soma do ano. Outro dado interessante é o da produção. A de abril foi menos de 2 mil unidades na indústria automobilística toda. Um dado tão baixo que leva a 1957.

Ou seja, pré-industrial...

Talvez essa seja a definição perfeita. Com a Medida Provisória 936, temos flexibilizado a jornada e os salários. Nós não vamos produzir todos os dias da semana. Teremos produções e paradas alternadas de acordo com a demanda.

Algumas montadoras já começaram a vender carros para pagar a primeira parcela em 2021. Isso ajuda?

Também temos programas comerciais nesse sentido, até porque essa é uma crise global. Dependendo dos estímulos de retomada da demanda e de como o governo se posiciona, a crise pode se arrastar mais, por até um ano e meio. Por isso, esses programas comerciais foram colocados. A gente protege o caixa do consumidor que precisa comprar o carro.

Até agora, o BNDES só concretizou a ajuda às aéreas, que vai ser subsidiada. Como está a negociação com as montadoras?

No começo da crise, identificamos dois problemas. O do trabalho e da flexibilização da jornada e o de caixa. O problema do trabalho foi resolvido. Já o segundo problema está em aberto. A receita caiu de forma dramática. É problema das montadoras, fornecedores e concessionárias. É uma cadeia de 7 mil empresas, que emprega 1,2 milhão de pessoas.

E o BNDES vai exigir contrapartida das montadoras? A Fiat está preparada para assumir compromissos?

O diálogo foi iniciado há mais ou menos um mês e teremos reuniões finais em alguns dias. É uma situação sem precedentes, porque empresas globais não têm como compensar o risco de um país com outra região do mundo. A Anfavea está trabalhando com o governo e recebendo respostas positivas. Mas até agora não houve nenhuma resposta concreta.

O BNDES disse que vai exigir que as empresas assumam o compromisso de ficar no Brasil...

A FCA, independentemente dessa mesa de negociação, nunca teve objetivo de sair do Brasil. Estamos no meio de um plano de investimento de R$ 14 bilhões para o Brasil e a América Latina. Revimos o tempo. Dentro do plano até 2024, já perdemos entre três e seis meses. O plano, que começou em 2018, continua em pé, mas com o 'timing' postergado entre 6 e 12 meses. Agora, estamos pensando em terminar o plano em 2025.

Como é explicar para a matriz o fato de o Brasil viver a crise do coronavírus e uma crise política?

Eu tenho a vantagem de fazer parte do conselho global de administração da empresa, que se reúne todos os meses. O nosso acionista italiano também viveu no Brasil e conhece muito bem o País, incluindo a capacidade única da economia brasileira de se reinventar depois de crises. E isso é associado ao nosso histórico de bons resultados tanto no Brasil quanto na América Latina.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

efeitos da crise

Com pandemia, Brasil registra abertura de mais de uma loja virtual por minuto

Em pouco mais de dois meses, foram 107 mil novos estabelecimentos criados na internet para a venda dos mais diferentes produtos

exile on wall street

O valor de uma estratégia consistente

Em fundos, também tenho visto alguns questionamentos com argumentos de que se poderia fazer por conta própria o que grandes gestores fazem e obter um desempenho melhor.

aumento de consumo

Petrobras eleva preço do gás de cozinha em 5% nas refinarias

Preço médio do produto passou a R$ 24,08, alta de R$ 3,72 em relação ao preço anterior

efeito coronavírus

Produção de veículos cai 84,4% em maio, diz Anfavea

Foram produzidas 43,1 mil unidades, o menor volume para o quinto mês do ano desde 1985, segundo a série histórica da associação

Podcast Touros e Ursos

AO VIVO: Seu Dinheiro comenta o rali dos mercados a partir das 12h

Confuso com a recente onda de otimismo que inunda os mercados globais? Pois esse é o tema do Podcast Touros e Ursos desta sexta-feira, com transmissão ao vivo a partir das 12h

IR 2020

Quais os principais gastos dedutíveis do imposto de renda

Despesas dedutíveis só podem ser aproveitadas por quem entrega a declaração completa e reduzem IR devido; mas mesmo quem entrega a declaração simplificada precisa declará-las

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta sexta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

OTIMISMO GENERALIZADO

Payroll surpreendente dá forças ao Ibovespa, que sobe forte enquanto o dólar cai abaixo dos R$ 5

A calmaria no cenário local faz com que a bolsa brasileira siga o otimismo visto lá fora. Nesta manhã, o Departamento do Trabalho dos EUA divulgou a criação de 2,5 milhões de novas vagas, quando a expectativa era de nova queda.

Renegociando

Dona de Le Lis Blanc e Dudalina, Restoque fecha acordo de recuperação extrajudicial e ações despencam

O acordo abrange apenas os credores financeiros da Restoque e não inclui fornecedores, funcionários ou outros parceiros comerciais. Por volta das 10h50, as ações da companhia (LLIS3) apresentavam queda forte de mais de 8%.

mercado de trabalho

EUA surpreendem e criam 2,5 milhões de empregos em maio

No mês, a taxa de desemprego caiu para 13,3%, enquanto a previsão era de que o percentual subisse para 19%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements