🔴 3 ações para LUCRAR com a SELIC em alta: clique aqui e descubra quais são

2022-06-02T09:16:36-03:00
Lucia Camargo Nunes
OS MAIS VENDIDOS

Veja os carros que estão bombando nas vendas – e não é à toa

Enquanto o mercado automotivo recupera performance, três modelos aparecem em destaque mesmo com os preços em alta: saiba quais são e por quê

2 de junho de 2022
7:05 - atualizado às 9:16
Strada - foto Stellantis
Fiat Strada lidera a lista de carros mais vendidos até agora em 2022. - Imagem: Divulgação

O ano caminha para a metade e o mercado automotivo finalmente esboça uma reação às vendas. Antes mesmo do fechamento do semestre, inclusive, já é possível avaliar alguns modelos de carros em destaque.

2022 começou devagar e os fabricantes de automóveis ainda enfrentam paralisações em suas linhas de produção devido à escassez de componentes.

O conflito entre Rússia e Ucrânia e os lockdowns na China dificultam ainda mais a logística, forçando as montadoras a reverem suas estratégias semanalmente.

Recentemente, mostramos para você os campeões em autonomia. Hoje você vai conhecer os campeões em vendas.

O que influencia as vendas de carros

O mercado de automóveis é dinâmico, com reestilizações e atualizações a qualquer momento. E as vendas são suscetíveis a isso. Enquanto um modelo cai nas graças no consumidor, outro muda e não agrada tanto. Ou então uma reestilização adiada ou um motor menos eficiente derrubam a demanda. 

Outro fator sensível às vendas é o preço: uma promoção ou mudança de versão pode levar a um aumento de interesse. Isso sem dizer que as paralisações das linhas de montagem também impactam a oferta.

Cada segmento tem sua estrela

Para Francisco Mendes, consultor da área automotiva, não há mais o “queridinho”, mas produtos bem posicionados em cada segmento. “À medida que os preços sobem, veículos menores passam a ser inacessíveis para a maior parte do público consumidor que, há dois atrás, comprava zero-km”, avalia.

“Desde a pandemia, o que vemos são as fábricas mudarem o foco para produtos de maior valor agregado, otimizando a estrutura fabril pelo preço e não pelo volume. Com a escassez de componentes, a lógica manda produzir o que gera maior resultado”, diz Mendes. Dos 20 mais vendidos, estes representam 65% do mercado.

Sob essa ótica, o consultor destaca modelos conforme o segmento. Dos SUVs nos diferentes portes, ele cita o bom desempenho de Jeep Renegade (recentemente renovado), Toyota Corolla Cross, Jeep Compass e Jeep Commander. De compacto, o Hyundai HB20. Entre as picapes, as Fiat Strada (pequena) e Toro (compacta) e a Toyota Hilux (médias).

Evolução do mercado de carros

Se há alguns anos havia maior oferta que demanda, e os concessionários reclamavam que nem sempre o que recebiam era o que mais vendiam, a pandemia pontuou um novo cenário. Primeiramente, e não só por causa das paralisações e lockdowns, a indústria decretou o fim do carro “popular”. 

As tecnologias empregadas, a maioria por força de novas legislações, elevaram os custos nos últimos anos. Caso de air bags, freios com ABS, cinto de segurança de 3 pontos e apoios de cabeça para todos passageiros e ancoragem Isofix para cadeirinhas são alguns exemplos.

Fora isso, conectividade e assistências ao motorista tornaram-se num primeiro momento diferenciais competitivos e, posteriormente, “exigidos” pelo consumidor, conforme o segmento.

Mais recentemente, a nova norma de emissões do Proconve L7 determinou uma evolução nos padrões, expulsando do mercado carros poluentes e beberrões.

Então, não foi apenas a pandemia, mas um caminho que seria natural e depois acelerado pelas recentes mudanças. Tudo isso, enxugou o mercado e o tornou mais seletivo.

Carros mais caros

Alta de custos, desvalorização da moeda e escassez de componentes forçaram a indústria a preterir o volume à rentabilidade. Para produzir pouco, melhor que sejam modelos de maior valor agregado.

Então, ao mesmo tempo que os populares foram desprezados, a conjuntura de mercado (pressionada pela inflação) elevou a oferta a modelos mais sofisticados e, consequentemente, mais caros.

Hoje, do ranking dos 10 mais vendidos, metade custa entre R$ 65 mil e R$ 82 mil (hatches e sedãs compactos) e os demais já extrapolam R$ 100 mil. O Jeep Compass, por exemplo, 6º entre os mais vendidos, parte de R$ 175.130. A picape Strada, líder de vendas, começa em R$ 96.039, mas a versão de cabine dupla, a mais vendida e que tem maior apelo, custa a partir de R$ 109.376.

Os destaques de vendas

Sim, a Strada é um dos maiores destaques, já que está desde o ano passado na liderança. Depois de renovada, em março de 2020, a picape da Fiat chama a atenção pelo ótimo espaço interno na versão de cabine dupla, atendendo tanto a quem precisa de uma picape para o trabalho (para pequenas cargas) como para o lazer.

Versátil, ainda recebeu no fim de 2021 a opção do câmbio automático CVT, antiga demanda de consumidores. A nova geração conta com motor flex 1.4 de até 88 cv e 1.3 de até 109 cv. De janeiro a 20 de maio, a Strada teve 37.315 unidades licenciadas, cerca de 5 mil a mais que o segundo lugar.

Duelo de compactos

Na vice-liderança, eis um compacto, o Hyundai HB20, que soube aproveitar a lacuna deixada pelo Chevrolet Onix, um dos modelos mais impactados pela falta de semicondutores – sua produção foi interrompida por mais de seis meses em 2021.

Em 2020, por exemplo, o HB20 foi bem nas vendas (encerrou o ano com 86.500 licenciamentos) e só perdeu para o Onix (que finalizou o ano com 135 mil unidades) –, mas a diferença era bem grande.

Agora, enquanto o Chevrolet ensaia uma recuperação, o Hyundai segue firme à frente. Vamos ver como se sustenta até o fim do ano. É o carro mais vendido no estado de São Paulo, o maior do mercado brasileiro.

Com preços a partir de R$ 73.400, o HB20 está disponível em 8 versões com opções de motor 1.0 de 3 cilindros aspirado (80 cv) e turbo (120 cv), além de câmbio manual e automático, bom acabamento e design que demorou para embalar, mas agrada.

T-Cross vai bem, mas já enxerga o Renegade no retrovisor

No segmento atualmente queridinho dos consumidores, os SUVs, o destaque até então vai para o Volkswagen T-Cross. Com preço perto de R$ 110 mil, na versão mais acessível, é o quarto carro mais vendido do país até 20 de maio. Em abril, foi líder em alguns estados (DF e RJ) enquanto ficou como segundo mais vendido em SP e SC. 

Bem construído, conjunto multmídia dos mais modernos, design que ainda agrada, motores de bom desempenho e eficientes (1.0 e 1.4 turbo), boa valorização e pertencer a uma marca sólida são os principais motivos de sua performance. É um carro também bastante procurado por PcDs, devido aos incentivos promovidos pela Volkswagen.

Representante do segmento sub-B dos SUVs, o sucesso do T-Cross pode tropeçar na renovação do Jeep Renegade, que teve a produção interrompida para a virada do produto nos primeiros meses do ano.

Em fevereiro, o Volkswagen vendeu 3 mil unidades a mais que o Jeep, mas no mês passado a diferença caiu para cerca de 500 unidades ainda a favor do SUV da Volks. O Renegade já chega piscando o farol e pedindo passagem.

Top 10 dos carros mais vendidos no Brasil

Modelo           Unidades
1º Fiat Strada37.315
2º Hyundai HB2032.147
3º Chevrolet Onix 27.462
4º Volkswagen T-Cross 24.267
5º Fiat Mobi 23.681
6º Jeep Compass 22.884
7º Hyundai Creta21.716
8º Chevrolet Onix Plus 21.347
9º Fiat Toro19.838
10º Fiat Argo18.274
Fonte: Fenabrave / De janeiro a 20 de maio de 2022
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

NOITE CRIPTO

Sem fôlego: bitcoin (BTC) opera em alta, mas ainda não volta para os US$ 20 mil; entenda por quê

Apesar do respiro desta sexta-feira (1), o bitcoin ainda sente todo o peso de um Federal Reserve mais agressivo contra a inflação. A semana também não foi tão positiva assim com o noticiário do universo digital.

VAI TER QUE PAGAR!

Um acordo de milhões: Petrobras (PETR4) se entende com a ANP sobre royalties da operação de xisto no Paraná

Segundo a estatal, o acordo envolve o pagamento de R$ 601 milhões pela companhia — um montante que já foi provisionado nas demonstrações financeiras

CASOU!

Enfim, sós! Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3) consumam combinação de negócios; confira detalhes

Por conta do enlace, hoje foi o último dia de negociação das ações de emissão da Unidas na B3

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa começa julho com o pé direito, o reforço de caixa da MRV (MRVE3) e a semana em cripto; confira os destaques do dia

Que sexta-feira costuma ser o dia da semana favorito de muita gente não é novidade, mas você já reparou na tendência que temos de tentar fazer dele o mais leve de todos para não atrapalhar o descanso do fim de semana? Seja no escritório ou no mercado financeiro, o último dia útil é o momento […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa dá uma pausa nas perdas e sobe 0,29% na semana, mas dólar dispara e chega a R$ 5,32

O começo de julho foi mais animador para o Ibovespa, mas as dificuldades seguem pressionando o câmbio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies