Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-04-13T14:47:53-03:00
Estadão Conteúdo
impacto coronavírus

Vendas no varejo podem diminuir até R$ 138 bi em 2020, diz FecomercioSP

Valor representa até 4,8% do que foi comercializado em 2019, segundo a entidade

13 de abril de 2020
14:47
varejo eua
Imagem: Shutterstock

Um levantamento feito pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) mostra que, usando como parâmetro as perdas do comércio durante a recessão de 2015 e 2016, a crise do novo coronavírus fará com que o setor venda entre R$ 115 bilhões e R$ 138 bilhões a menos em 2020 que no ano passado. O valor representa 3,9% a 4,8% do que foi comercializado em 2019.

Na comparação com as previsões do início de 2020, a análise feita pela FecomercioSP prevê que haverá perdas de ao menos 5,9% nas vendas durante os meses de abril, maio e junho, com retomada gradual nos meses seguintes.

Numa conjuntura mais grave, a instituição prevê recuo de 10%, enquanto que no pior cenário, a previsão é de retração de 15% nas vendas para cada um dos três meses. Segundo a FecomercioSP, os três cenários previstos para a crise são equivalentes a 21, 23 e 25 dias de estabelecimentos completamente fechados no Brasil, respectivamente.

Em São Paulo, a federação aponta para quedas de, ao menos, 7,7% no faturamento do varejo para os três meses com previsão de perdas.

Em cenários mais agudos, a FecomercioSP estima quedas de 8,3% e 9% em relação ao previsto no início do ano. Em valores absolutos, as perdas podem chegar a R$ 60,3 bilhões, R$ 65,3 bilhões e R$ 70,2 bilhões, respectivamente.

Para os pequenos comerciantes, que representam mais de 90% do setor no Brasil, a instituição afirma que uma queda média de 10% no faturamento em abril, maio e junho fará com que cerca de 44 mil empresas encerrem as atividades em 2020, levando à economia um prejuízo de ao menos R$ 54,5 bilhões em relação às estimativas anteriores a pandemia, além do fechamento de 191 mil vagas formais de emprego.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Petróleo na Amazônia

Petrobras quer operar na foz do Rio Amazonas

Estatal apresentou ao Ibama pedido de licença para explorar petróleo na região, que é uma área de sensibilidade ambiental

Juros para cima

Prepare-se para crescimento baixo e inflação alta em 2022: manobra no teto reforça cenário de estagflação

Drible no teto de gastos pode pressionar ainda mais os preços e obrigar a uma alta de juros mais intensa, dizem especialistas

Great Places to Work

As melhores empresas para se trabalhar em 2021: Magazine Luiza é eleito melhor empregador do país entre as grandes companhias; veja ranking completo

Consultoria Great Places to Work Brasil realizou, na última semana, a 25ª premiação das melhores empresas para se trabalhar no país

Setor imobiliário na mira

China testará imposto imobiliário em parte do país para conter especulação

Projeto-piloto será conduzido por cinco anos em algumas regiões do país. Objetivo é distribuir riqueza de modo menos desigual

Clube do livro

Um passeio entre chás, sementes e cerveja: como ‘Uma Senhora Toma Chá…’ conta a história da estatística moderna de maneira descomplicada

O livro de David Salsburg te convida a conhecer o pouco mais de um dos campos mais necessários para o melhor entendimento do mundo das finanças, e claro, da ciência

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies