Menu
2020-04-13T14:47:53-03:00
Estadão Conteúdo
impacto coronavírus

Vendas no varejo podem diminuir até R$ 138 bi em 2020, diz FecomercioSP

Valor representa até 4,8% do que foi comercializado em 2019, segundo a entidade

13 de abril de 2020
14:47
varejo eua
Imagem: Shutterstock

Um levantamento feito pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) mostra que, usando como parâmetro as perdas do comércio durante a recessão de 2015 e 2016, a crise do novo coronavírus fará com que o setor venda entre R$ 115 bilhões e R$ 138 bilhões a menos em 2020 que no ano passado. O valor representa 3,9% a 4,8% do que foi comercializado em 2019.

Na comparação com as previsões do início de 2020, a análise feita pela FecomercioSP prevê que haverá perdas de ao menos 5,9% nas vendas durante os meses de abril, maio e junho, com retomada gradual nos meses seguintes.

Numa conjuntura mais grave, a instituição prevê recuo de 10%, enquanto que no pior cenário, a previsão é de retração de 15% nas vendas para cada um dos três meses. Segundo a FecomercioSP, os três cenários previstos para a crise são equivalentes a 21, 23 e 25 dias de estabelecimentos completamente fechados no Brasil, respectivamente.

Em São Paulo, a federação aponta para quedas de, ao menos, 7,7% no faturamento do varejo para os três meses com previsão de perdas.

Em cenários mais agudos, a FecomercioSP estima quedas de 8,3% e 9% em relação ao previsto no início do ano. Em valores absolutos, as perdas podem chegar a R$ 60,3 bilhões, R$ 65,3 bilhões e R$ 70,2 bilhões, respectivamente.

Para os pequenos comerciantes, que representam mais de 90% do setor no Brasil, a instituição afirma que uma queda média de 10% no faturamento em abril, maio e junho fará com que cerca de 44 mil empresas encerrem as atividades em 2020, levando à economia um prejuízo de ao menos R$ 54,5 bilhões em relação às estimativas anteriores a pandemia, além do fechamento de 191 mil vagas formais de emprego.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Seu Dinheiro na sua noite

O grande respiro do câmbio e mais…

“Ih, vai ser uma semana daquelas”, pensei eu na segunda-feira, ao olhar a agenda de eventos previstos para os dias seguintes. Teríamos decisão do Copom e relatório de empregos nos EUA — e isso sem contar os inúmeros balanços corporativos. Em semanas assim, eu gosto de traçar alguns cenários na minha cabeça: se o BC […]

Fechamento da semana

Real ganha do dólar na semana e bolsa sobe mais de 2% com economia americana nem tão aquecida e Copom incisivo

Os problemas domésticos foram para baixo do tapete e os fatores externos ajudaram o Real a se valorizar e a bolsa a romper resistências importantes. Confira um resumo da semana.

Mudou de ideia?

Elon Musk passa a recomendar cautela com o dogecoin às vésperas de sua participação no SNL

O bilionário, que já fez a moeda-meme disparar 60% com apenas um tweet, exibiu um alerta para as limitações do mercado de criptoativos

pandemia

Estudo aponta relação entre negacionismo de Bolsonaro e evolução da pandemia no Brasil

Segundo o levantamento, em cidades onde o presidente obteve mais de 50% dos votos no segundo turno das eleições de 2018, número de mortes foi 415% maior do que nos municípios onde ele perdeu o pleito

Insistência incomoda

Ex-presidente do BC Affonso Pastore acredita que ajuste parcial da Selic é insustentável

O economista defende o reconhecimento explícito de que a instituição perseguirá o ajuste integral da taxa básica de juros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies