Menu
2020-07-26T12:51:00-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Bom enquanto durou

Governo de Boris Johnson está “desesperado” para Trump perder a eleição

26 de julho de 2020
12:50 - atualizado às 12:51
Boris Johnson
Imagem: Natalia Mikhaylova/Shutterstock

O governo do Reino Unido está reservadamente "desesperado" para Donald Trump perder as próximas eleições presidenciais nos Estados Unidos e ser substituído por Joe Biden, de acordo com um relatório do jornal Sunday Times, divulgado pelo Business Insider.

O primeiro-ministro Boris Johnson é publicamente um dos aliados internacionais mais próximos de Trump.

No entanto, seu governo tenta discretamente se distanciar do presidente dos EUA, antecipando uma possível vitória de Biden em novembro, informa o Times.

"As coisas se tornariam muito mais fáceis se Trump não vencesse a reeleição", disse um ministro do governo Johnson ao repórter do Times Tim Shipman, que acrescentou que, "em particular, muitos [outros no governo] concordam".

Algumas autoridades do Reino Unido também têm esperança de uma vitória de Biden.

Um diplomata sênior do Reino Unido, que pediu para não ser identificado, disse ao Insider no início deste mês que a vitória de Biden traria um fim bem-vindo à "corrupção venal" da era Trump.

"Muita coisa mudará se Biden vencer", disse o diplomata.

"A corrupção venal da família Trump e os aspectos narcisistas desagradáveis ​​do seu comportamento - tudo isso resultará em um tipo diferente de presidente", disseram eles.

Biden e Johnson não são aliados naturais. O candidato democrata se opôs ao projeto de Johnson sobre o Brexit e já havia descrito o primeiro-ministro do Reino Unido como um "clone" de Trump.

No entanto, as relações entre as administrações de Johnson e Trump foram tensas nos últimos meses após a bem-sucedida tentativa do norte-americano de forçar o governo de Johnson a cortar seus laços com a empresa chinesa de telecomunicações Huawei.

Em janeiro, Trump bateu o telefone em um momento de fúria "apoplética" e com Johnson , quando o britânico se recusou, em um primeiro momento, a cancelar o acordo do Reino Unido com a Huawei para desenvolver a rede 5G da Grã-Bretanha.

O Reino Unido finalmente cedeu após a imposição de sanções norte-americanas à empresa. No entanto, a disputa ajudou a reduzir o apetite do governo de Johnson em fazer um novo acordo comercial com Trump.
Em sua recente viagem a Washington, a secretária de Comércio Internacional do Reino Unido, Liz Truss, foi instruída a minimizar as perspectivas de um acordo. "Boris estava tentando se distanciar de Trump", disse um consultor do governo britânico ao Sunday Times.

Os temores entre os eleitores do Reino Unido a respeito do impacto de um acordo comercial com os EUA sobre as normas alimentares no país forçaram o governo de Johnson a travar uma negociação que caminhava rapidamente.

"Isso vai acontecer este ano? Em resumo, não", disse uma autoridade do governo britânico ao Financial Times esta semana, acrescentando: "Não queremos fechar um acordo".

O governo de Johnson acredita que uma vitória de Biden poderia tirar o "ferrão" da questão, porque o candidato democrata provavelmente reviveria o plano de Barack Obama de assinar o Acordo Abrangente e Progressivo para a Parceria Transpacífico (CPTPP).

Um conselheiro do Partido Conservador disse ao Sunday Times: "O pressuposto da Casa Branca é que, se Biden vencer, não precisaremos fazer um acordo comercial bilateral, porque estaremos ambos no CPTPP, já comprometido com altos padrões de bem-estar animal. Algumas ferrões serão removidos desses problemas. "

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

negócio em foco

BofA vê negócio entre Linx e Totvs com sinergias de R$ 3,8 bi

Acionistas da Linx receberiam diretamente 40% do valor das sinergias da fusão com Totvs, diz banco

seu dinheiro na sua noite

Vitória do Ibovespa (no segundo tempo)

“O time no segundo tempo ganhou de 2 a 1.” Foi assim que Fernando Diniz, o técnico do São Paulo, reagiu depois da derrota por 4 a 2 para a LDU no meio da semana e que praticamente eliminou a equipe da Libertadores. Diniz preferiu ignorar os 3 a 0 que o time levou na […]

Que modorra!

Bolsa passa por correção, mas zera perdas na reta final do pregão; dólar retoma alta

Principal índice de ações da B3 passou por correção e ignorou durante a maior parte do dia o impulso do setor de tecnologia à bolsa de Nova York

setor público

Reforma administrativa economiza R$ 400 bi até 2034, aponta estudo

Mesmo restringido a reforma apenas a novos servidores, o setor público poderia economizar pelo menos R$ 24,1 bilhões em 2024 com a aprovação das mudanças no seu RH, liberando o governo para investir mais em saúde, educação e segurança pública, segundo centro de estudos

retomada em pauta

Recuperação está longe de concluída, diz presidente do Fed do Kansas

Esther George fez a declaração durante discurso sobre os bancos comunitários, no qual enfatizou o papel destes para dar estabilidade na crise e apoiar a recuperação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements