Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-07-26T12:51:00-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Bom enquanto durou

Governo de Boris Johnson está “desesperado” para Trump perder a eleição

26 de julho de 2020
12:50 - atualizado às 12:51
Boris Johnson
Imagem: Natalia Mikhaylova/Shutterstock

O governo do Reino Unido está reservadamente "desesperado" para Donald Trump perder as próximas eleições presidenciais nos Estados Unidos e ser substituído por Joe Biden, de acordo com um relatório do jornal Sunday Times, divulgado pelo Business Insider.

O primeiro-ministro Boris Johnson é publicamente um dos aliados internacionais mais próximos de Trump.

No entanto, seu governo tenta discretamente se distanciar do presidente dos EUA, antecipando uma possível vitória de Biden em novembro, informa o Times.

"As coisas se tornariam muito mais fáceis se Trump não vencesse a reeleição", disse um ministro do governo Johnson ao repórter do Times Tim Shipman, que acrescentou que, "em particular, muitos [outros no governo] concordam".

Algumas autoridades do Reino Unido também têm esperança de uma vitória de Biden.

Um diplomata sênior do Reino Unido, que pediu para não ser identificado, disse ao Insider no início deste mês que a vitória de Biden traria um fim bem-vindo à "corrupção venal" da era Trump.

"Muita coisa mudará se Biden vencer", disse o diplomata.

"A corrupção venal da família Trump e os aspectos narcisistas desagradáveis ​​do seu comportamento - tudo isso resultará em um tipo diferente de presidente", disseram eles.

Biden e Johnson não são aliados naturais. O candidato democrata se opôs ao projeto de Johnson sobre o Brexit e já havia descrito o primeiro-ministro do Reino Unido como um "clone" de Trump.

No entanto, as relações entre as administrações de Johnson e Trump foram tensas nos últimos meses após a bem-sucedida tentativa do norte-americano de forçar o governo de Johnson a cortar seus laços com a empresa chinesa de telecomunicações Huawei.

Em janeiro, Trump bateu o telefone em um momento de fúria "apoplética" e com Johnson , quando o britânico se recusou, em um primeiro momento, a cancelar o acordo do Reino Unido com a Huawei para desenvolver a rede 5G da Grã-Bretanha.

O Reino Unido finalmente cedeu após a imposição de sanções norte-americanas à empresa. No entanto, a disputa ajudou a reduzir o apetite do governo de Johnson em fazer um novo acordo comercial com Trump.
Em sua recente viagem a Washington, a secretária de Comércio Internacional do Reino Unido, Liz Truss, foi instruída a minimizar as perspectivas de um acordo. "Boris estava tentando se distanciar de Trump", disse um consultor do governo britânico ao Sunday Times.

Os temores entre os eleitores do Reino Unido a respeito do impacto de um acordo comercial com os EUA sobre as normas alimentares no país forçaram o governo de Johnson a travar uma negociação que caminhava rapidamente.

"Isso vai acontecer este ano? Em resumo, não", disse uma autoridade do governo britânico ao Financial Times esta semana, acrescentando: "Não queremos fechar um acordo".

O governo de Johnson acredita que uma vitória de Biden poderia tirar o "ferrão" da questão, porque o candidato democrata provavelmente reviveria o plano de Barack Obama de assinar o Acordo Abrangente e Progressivo para a Parceria Transpacífico (CPTPP).

Um conselheiro do Partido Conservador disse ao Sunday Times: "O pressuposto da Casa Branca é que, se Biden vencer, não precisaremos fazer um acordo comercial bilateral, porque estaremos ambos no CPTPP, já comprometido com altos padrões de bem-estar animal. Algumas ferrões serão removidos desses problemas. "

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

em busca de recursos

B3 levanta US$ 700 milhões e revisa projeção de alavancagem

Segundo operadora da bolsa brasileira, a emissão faz parte da gestão ordinária dos negócios da companhia e visa diversificar as fontes de captação a condições atrativas de financiamento

BR Malls anuncia programa de recompra de ações; veja condições

Operação visa colocar as ações para manutenção em tesouraria com a finalidade de maximizar a alocação de caixa da companhia, gerando valor aos seus acionistas

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

A bolsa na teia da aranha e outros destaques do dia

O mercado financeiro local viveu hoje um misto de sentimentos — e, como resultado, bolsa, dólar e juros andaram por caminhos distintos.  Na China, o gigante mostra sinais de desaceleração; no Brasil e nos Estados Unidos, por outro lado, os números de atividade surpreenderam para cima. O impacto positivo, no entanto, foi limitado por aqui, […]

ampliando o ecossistema

Americanas (AMER3) compra Skoob, rede social para leitores, e mira segmento com custo menor de aquisição

Empresa tem mais de oito milhões de usuários, que fazem parte de uma categoria do e-commerce que tem custo de aquisição de cliente 3,6 menor que a média

Pelo em ovo?

Petrobras (PETR4) entra na mira da Câmara: deputado pede que Cade e Ministério Público investiguem formação de preços da estatal

Segundo Elmar Nascimento, que defende os pedidos, a iniciativa também deve ter o apoio do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies