Menu
2020-03-19T14:57:37-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Cortes

Caoa Chery diz que demissões são para manter os demais empregos

Caoa Chery explicou que as demissões são uma tentativa de reequilibrar a operação da empresa no País e “resistir ao cenário econômico atual e previsto para os próximos meses”, além de permitir a manutenção dos demais empregos

19 de março de 2020
14:57
Montadora de carros e veículos
Imagem: Shutterstock

Após a fabricante de veículos Caoa Chery demitir 59 funcionários nesta semana, os metalúrgicos remanescentes começaram uma greve nesta quinta-feira, que paralisou toda a produção da fábrica de Jacareí, no interior de São Paulo. A informação é do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região.

Em nota divulgada à imprensa antes do anúncio da greve, a Caoa Chery explicou que as demissões são uma tentativa de reequilibrar a operação da empresa no País e "resistir ao cenário econômico atual e previsto para os próximos meses", além de permitir a manutenção dos demais empregos, "que serão fundamentais para o lançamento de um novo produto previsto para o primeiro semestre deste ano".

Segundo a Caoa Chery, a situação econômica do Brasil neste início de ano, agravada pela recente disparada do dólar, gerou grande e inesperada queda nas vendas do setor, após recuperação iniciada em 2017.

Em greve, os trabalhadores reivindicam a reintegração dos demitidos, estabilidade no emprego, manutenção dos direitos e licença remunerada para todos durante a crise do coronavírus.

"As medidas são uma exigência dos metalúrgicos neste momento de crise provocada pela disseminação do novo coronavírus", explica a nota do sindicato, que na quarta-feira lamentou que as demissões tenham ocorrido no momento em que os trabalhadores mais precisam de proteção das empresas e dos convênios médicos.

Ainda hoje ocorrerá uma reunião entre representantes do sindicato e a direção da Caoa Chery. O resultado dessa conversa será apresentado na sexta-feira em assembleia dos trabalhadores, que decidirão sobre os rumos da greve.

De qualquer forma, a empresa também anunciou hoje que, para evitar o contágio do novo coronavírus, vai começar a reduzir gradualmente a produção a partir de segunda-feira, com interrupção total a partir do dia 27, uma sexta-feira. A suspensão das atividades, a princípio, valerá por duas semanas, a depender da evolução da situação. Os trabalhadores da área administrativa começam nesta quinta a trabalhar remotamente.

A empresa também avalia antecipar a campanha de vacinação contra a gripe, disponibilizada anualmente a todos os colaboradores da planta de Jacareí. Os colaboradores serão orientados também a seguirem rigorosamente o isolamento social, conforme indicação do Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde (OMS).

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Cresce a fila

CBA, da Votorantim, registra pedido de IPO na CVM

A empresa, que afirma ser a única companhia integrada de alumínio do Brasil, pretende financiar seu crescimento orgânico e inorgânico com os recursos levantados na oferta

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O quebra-cabeças do mercado e outros destaques

Recentemente, eu fui presenteado com um quebra-cabeças de duas mil peças. “Ah, isso vai ser moleza; é só montar as bordas e depois ir preenchendo aos poucos”, pensei eu. Nem preciso dizer que eu estava redondamente enganado: a mesa da cozinha está tomada por pequenas partes de uma paisagem bucólica. De vez em quando eu […]

FECHAMENTO

Ibovespa tem mais um dia de ‘mais do mesmo’ e fecha em leve alta, contrariando NY

Setores pesos-pesados seguraram o índice no azul. O movimento garantiu uma leve alta de 0,03%, mais uma vez deixando o índice na trave dos 123 mil pontos

Vem oferta por aí

Rede D’Or confirma a avaliação para a realização de um follow on

O anúncio foi feito após o jornal Valor Econômico revelar que a companhia prepara uma oferta de ações que pode chegar a R$ 5 bilhões

Acordo com o Senado

MP da privatização da Eletrobras será votada amanhã (19), confirma presidente da Câmara

Após reclamações de parlamentares, Arthur Lira (PP-AL) também cobrou que o relator debata a proposta com todas as lideranças e bancadas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies