Menu
2020-03-06T13:54:10-03:00
Estadão Conteúdo
Fala, Tarcísio

Brasil não pode passar mensagem de irresponsabilidade em concessões, diz ministro

Projeto é o maior e mais sofisticado do mundo e ministério tem se esforçado para dar resolução de problemas, diz Tarcísio de Freitas

6 de março de 2020
13:54
Ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas
Imagem: Divulgação/PPI.gov

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, disse nesta sexta-feira, 6, que o Brasil não pode mais passar para o exterior uma mensagem de irresponsabilidade no seu projeto de concessões, que é, de acordo com ele, o maior e mais sofisticado do mundo. Segundo Freitas, o ministério tem se esforçado para dar resolução de problemas do passado.

Participante de evento do Movimento Brasil Competitivo (MBC), ele lembrou que vários projetos de concessões fracassaram por problemas de modelagem.

"A gente precisa resolver estes problemas com muita firmeza porque a gente não pode passar a mensagem regulatória errada para o investidor no exterior. Ou seja, o Brasil não pode ser visto lá fora como um país de eleitos, onde a gente faz uma estruturação de qualquer jeito, em que eleitos vão lá e fazem seus lances de forma irresponsável sem ter condições de tocar seus contratos e o governo vai lá e faz uma espécie de indulgência", disse o ministro.

Isso, segundo o ministro, leva quem está participando a pensar que não sabe com quem está competindo. "Então estamos investindo muito na direção de mostrar que o Brasil é um país que respeita contratos. Não podemos passar a mensagem de que somos irresponsáveis nas nossas modelagens de concessões", disse Freitas.

Aparato institucional

O ministro insistiu ao enfatizar que um dos pilares do programa de concessões brasileiro é a melhoria do aparato institucional. "Não é possível levar a termo um vigoroso programa de concessões sem, por exemplo, um fortalecimento da regulação das agências reguladoras e o Brasil foi extremamente leniente com isso também", criticou o ministro.

De acordo com Freitas, foi permitido que se tivesse gente desqualificada nas agências "sempre à mercê de interesses políticos". "E esse é um cenário que temos que mudar."

"Felizmente, a sociedade está enxergando isso. Agora, uma coisa que sempre me queixei foi da falta de protagonismo da iniciativa privada. A acomodação do empresariado, achando e esperando que o governo tem que resolver todos os problemas do mundo. Governo nenhum resolve problemas, governos agem por provocações, governos são empurrados, são compelidos a apresentar soluções. Felizmente essa é uma coisa que está mudando", disse Freitas, acrescentando que o MBC é uma prova viva dessa mudança, ao ser propositivo e a cobrar.

O empresariado, de acordo com Freitas, é uma força viva e precisa ajudar a impulsionar o Brasil, porque foi assim que o Congresso sentiu a necessidade de se fazer uma reforma da Previdência. "Só que a reforma da Previdência não é suficiente. Nós precisamos de outras reformas e muitas delas estarão no Congresso", disse.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

estreia boa

Assaí sobe mais de 400% e Pão de Açúcar cai mais de 68%. Tá certo isso?

Como listagem ocorreu após cisão das operações do atacarejo, e não IPO, ações estão passando por reajuste para refletir nova realidade

Agora vai?

Bolsonaro diz que ‘está quase tudo certo’ para nova rodada do auxílio emergencial

Segundo Bolsonaro, o novo valor do auxílio, acordado em R$ 250 por quatro meses, está “acima da média do Bolsa Família, que é de R$ 190”.

Exile on Wall Street

Águas de março para salvar o verão: cinco ações bem quentes

O boletim do primeiro bimestre de 2021 traz notas vermelhas.  A alta dos juros de mercado trouxe aumento da atratividade relativa da renda fixa e preocupações com o valuation de nomes de crescimento.   Internamente, a falta de clareza sobre nossa trajetória fiscal e o temor de adoção de maior intervencionismo estatal na economia impuseram perdas […]

Vai um desconto?

Três meses após IPO, Meliuz faz sua primeira aquisição com empresa de cupons de desconto

A Picodi.com agora faz parte do sistema da Meliuz e foi adquirida por R$ 120 milhões

Gás natural

Braskem fecha acordo com mexicana Pemex e retoma totalmente transporte de gás

A empresa estava operando parcialmente desde janeiro e, com a decisão, deve voltar normalmente às atividades

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies