Menu
2020-01-30T18:15:56-03:00
Estadão Conteúdo
AVIAÇÃO

Aéreas brasileiras transportam 104,4 milhões de passageiros em 2019

No mercado doméstico, foram transportados 95,3 milhões de passageiros pagos no ano passado, 1,7% a mais que o verificado em 2018

30 de janeiro de 2020
18:15
Latam – Gol – Azul
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

As empresas aéreas brasileiras transportaram um total de 104,4 milhões de passageiros pagos em 2019, em voos domésticos e internacionais, o que representou crescimento de 1,35% em relação aos 103 milhões de passageiros pagos transportados em 2018. Os dados fazem parte do relatório Demanda e Oferta do Transporte Aéreo, divulgado nesta quarta-feira, 29, pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

No mercado doméstico, foram transportados 95,3 milhões de passageiros pagos no ano passado, 1,7% a mais que o verificado em 2018.

A demanda por voos domésticos (medida em passageiros quilômetros pagos - RPK) cresceu 0,8% e a oferta de assentos diminuiu 1%, resultando em uma taxa média de ocupação de aeronaves de 82,7% durante 2019, que superou o aproveitamento de 81,3% verificado no ano anterior.

Considerando apenas dezembro de 2019, a demanda por voos domésticos cresceu 1,2% e a oferta aumentou 1,9%. No mês, foram 8,9 milhões de passageiros pagos transportados (3,6% a mais que no mesmo mês de 2018) e 83,8% de taxa de ocupação.

Participação

A Gol fechou dezembro de 2019 na liderança do mercado de voos domésticos, com uma fatia de 38,6%, sendo seguida pela Latam (37,7%) e Azul (23,3%). Em relação ao mesmo mês de 2018, a Azul foi a aérea que mais ganhou mercado, com crescimento de 24,2%, sendo seguida por Latam (21,7%) e Gol (1,8%). Juntas, elas atendem 99,6% do mercado nacional.

No mercado internacional operado por aéreas brasileiras, em dezembro de 2019 a liderança permaneceu com a Latam, com 65,5% de participação, seguida por Azul (22,5%) e Gol (12%). A Azul cresceu 47,9% em relação aos 15,2% que detinha no mesmo mês de 2018. Na mesma base de comparação, a Latam cresceu 2,5% em relação aos 63,9% que possuía e a Gol recuou 2,1% em relação aos 12,3% que possuía.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

pandemia no país

Brasil tem 33,5 mil novos casos de coronavírus e 836 mortes em 24 horas

O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de ontem, quando o painel do ministério marcava 137.272 falecimentos. Ainda há 2.423 mortes em investigação

seu dinheiro na sua noite

Um novo flerte do dólar a R$ 5,50

“Nunca aposte contra a América”, alertou Warren Buffett no tradicional encontro de acionistas de sua holding de investimentos em maio deste ano. O bilionário não falava especificamente da moeda dos Estados Unidos, mas toda vez que o dólar mostra sinais de força, alguém (como eu) acaba trazendo a frase à tona. Afinal, é para as […]

aquisição à vista

Stone vai lançar BDRs na bolsa brasileira e pretende usar papéis na compra da Linx

Aprovação pelos acionistas da Linx e da Stone e prévia autorização do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) estão entre as condições para finalizar a operação

Receita de volatilidade

Dólar tem forte alta com depoimento do presidente do Fed; volatilidade limita o Ibovespa

Moeda norte-americana registrou alta acentuada no início de uma série de depoimentos de Jerome Powell perante o Congresso dos EUA

recuperação econômica

Só teremos um ano cheio no turismo novamente em 2023, diz presidente da CVC

O presidente da CVC, Leonel Andrade, disse nesta terça-feira, 22, que o setor de turismo só deve voltar ao movimento pré-pandemia em 2023

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements