Menu
Coluna do Mioto
Ricardo Mioto
2020-08-08T20:07:19-03:00
Virou pó

Os infelizes que compraram opções de Cogna

Nesta semana, pelo menos dez mil infelizes viram suas opções de compra de Cogna virarem pó.

8 de agosto de 2020
9:21 - atualizado às 20:07
cifrao-po-1920×1080
Imagem: Shutterstock

Nesta semana, pelo menos dez mil infelizes viram suas opções de compra de Cogna virarem pó.

Se você não está familiarizado com opções de compra, funciona assim neste caso, grosso modo: o sujeito acha que a ação vai subir de, digamos, R$ 10 para R$ 15.

Ele poderia simplesmente comprar a ação a R$ 10, mas uma rentabilidade de 50% não lhe satisfaz. Então ele arranja uma opção (um contrato) que lhe permite comprar tal ação por R$ 12 daqui, digamos, dois meses. Ele paga, digamos, uns R$ 0,25 por essa opção.

Se o papel for mesmo a R$ 15, ele vai embolsar R$ 3 por ação (terá o direito de comprar por 12 um papel agora que vale 15). Gastou R$ 0,25 e ganhou R$ 3, logo estamos falando de um retorno de 1.100%. Se o investidor tiver comprado milhares de opções, terá feito muito dinheiro.

O problema é quando dá errado. Se o investidor tivesse simplesmente comprado a ação e ela tivesse caído a R$ 9, ele teria perdido 10% do investimento. Nada traumático. Se tivesse ido a R$ 11, ele embolsaria um pequeno retorno.

Mas ele resolveu operar opções. Se a ação não chegar a R$ 12 no prazo determinado, ele vai perder todo o dinheiro. Tudo.

O que se viu nesta semana foi um mar de pessoas físicas perdendo dinheiro para grandes investidores institucionais, que eram suas contrapartes na operação. Distribuição inversa de renda. Alguns dos pequenos investidores estavam operando com dinheiro emprestado. Ou seja, saíram devendo.

Alguns pragmáticos dirão que se trata de uma espécie de imposto sobre a burrice. Que o dinheiro deve fluir naturalmente do tolo para o astuto.

Nada contra os institucionais que ganharam dinheiro com a opção. O problema é outro.

Os incautos que perderam suas economias estão sendo movidos pela ideia de que podem ganhar muito dinheiro do dia para a noite. Acabam se metendo a operar contratos que não entendem em mercados que vão devorá-los.

Para piorar, não estamos falando sequer de uma ação extraordinária. Cogna tem um problema com inadimplência e, convenhamos, sua marca carro-chefe de ensino superior, a Anhanguera, está longe de ser reconhecida como de excelência, figurando em 169º lugar entre 197 universidades avaliadas pela Folha. (Claro que diferentes empresas servem a diferentes propósitos e ninguém exige alta gastronomia do McDonald’s, mas qualidade do produto importa.)

Estamos celebrando os mais de dois milhões de CPFs na Bolsa. Isso é maravilhoso. Um país de proprietários é melhor do que um país de dependentes do governo, do salário, da caridade. Mas é preciso que essas pessoas entrem na Bolsa com uma visão de construção de patrimônio no longo prazo. Se forem iludidas por picaretas, voltaremos ao tempo em que Bolsa de Valores, no imaginário do brasileiro, era sinônimo de cassino.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Seu Mentor de Investimentos

Como proteger seus investimentos diante do risco de sanções comerciais por causa das queimadas

País tornou-se um pária no mundo por conta do que acontece no Pantanal e na Amazônia, diz colunista Ivan Sant’Anna; ele aponta uma série de tipos de ativos que podem estar imunes a uma eventual protesto da comunidade internacional

caso de fevereiro

Guedes ‘excedeu barbaramente’ limites ao comparar servidor a parasita, diz juíza

Cláudia da Costa Tourinho Scarpa, da 4ª Vara Federal Cível da Bahia, afirmou que o ministro da Economia ‘insultou’ os servidores públicos

em recuperação judicial

Justiça dos EUA libera empréstimo de US$ 2,4 bi da Latam

Nova proposta retirou cláusula questionada por minoritários

o melhor do seu dinheiro

Briga de bilionários e a maior besteira da minha vida

Texto mais lido da semana foi sobre uma troca de farpas virtual entre Elon Musk e Bill Gates. O motivo da discórdia? A viabilidade de veículos elétricos para longas distâncias

críticas ao governo

Para Bill Gates, uma medida de Trump pode ter acelerado o contágio pelo coronavírus

Voz crítica ao governo americano durante a pandemia, o bilionário apontou uma medida do presidente dos EUA que não ajudou a segurar a doença nos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements