Menu
2020-12-19T09:00:41-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
2º imunizante autorizado no país

Estados Unidos aprovam vacina da Moderna para uso emergencial

Agência reguladora anunciou a decisão na noite de sexta-feira; país já utiliza o imunizante da Pfizer

19 de dezembro de 2020
8:58 - atualizado às 9:00
Moderna
Moderna - Imagem: Shutterstock

A agência reguladora de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos (Foods and Drugs Administration, o FDA) autorizou, na noite da sexta-feira (19), o uso emergencial da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Moderna.

O FDA deliberou pelo uso do imunizante em pessoas com 18 anos ou mais, uma semana após ter aprovado a vacina da Pfizer em parceria com a BioNTech. Deste modo, o país passa a ter dois imunizantes aprovados para uso contra o coronavírus.

Testes da vacina apontaram que ela era capaz de proteger contra o desenvolvimento de covid-19 e era segura, embora alguns participantes do estudo experimentassem efeitos colaterais, incluindo febres e dores musculares.

De acordo com testes da fase 3, o imunizante obteve eficácia de 94,5%. Os testes da Moderna foram realizados com 30 mil pessoas. Dos voluntários, 90 que receberam placebo contraíram coronavírus, enquanto apenas 5 dos que receberam a vacina.

A Moderna é uma empresa de biotecnologia de 10 anos que nunca teve um produto liberado pelo FDA.

A companhia já fez milhões de doses e as autoridades federais americanas agora esperam que a Moderna comece a enviar doses dentro de 24 horas após a autorização. Os hospitais e outros locais de vacinação receberão as vacinas já na segunda-feira.

A vacinação de profissionais de saúde e residentes de lares de idosos e assistência médica domiciliar usando a usando a vacina de Pfizer e BioNTech já começou. A diferença é que a vacina da Pfizer pode ser usada em pessoas a partir de 16 anos.

Atualmente, os Estados Unidos possuem 17,5 milhões de casos de coronavírus e registram 313,7 mil mortes, de acordo com dados da universidade Johns Hopkins.

A notícia poderá, na segunda (21), embalar os mercados acionários ao redor do globo uma vez mais. O Ibovespa, inclusive, está cada vez mais perto do topo histórico, enquanto os índices acionários à vista nos EUA já renovaram máximas de fechamento em 2020.

*Com informações de Wall Street Journal e G1

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

pandemia

Brasil registra 1.340 mortes por covid-19 em 24h

Resultado ficou atrás apenas do dia 7 de janeiro, quando foram confirmadas 1.524 novos falecimentos

seu dinheiro na sua noite

Tudo caiu – até o forward guidance

Os mercados domésticos ficaram hoje divididos sob a influência de acontecimentos distintos, o que resultou em um comportamento geral incomum: tudo caiu. O Ibovespa perdeu o patamar dos 120 mil pontos e fechou em queda, na contramão das bolsas americanas, animadas pela posse do novo presidente Joe Biden e a nova fornada de estímulos fiscais […]

Análise

Sem o “forward guidance”, Banco Central arranca bola de ferro dos pés

Decisão do BC de abrir mão do compromisso de não mexer com os juros foi acertada, mas a adoção do instrumento mais ajudou ou atrapalhou a economia?

sem "efeito Biden"

Vacinação e risco fiscal derrubam o Ibovespa em dia de festa em NY; dólar também recua

Euforia dos mercados internacionais com o “efeito Biden” foi barrada pelas incertezas domésticas e fez a bolsa brasileira ir na contramão de NY

taxa básica

BC mantém Selic em 2% ao ano, mas retira o ‘forward guidance’

Bolsa pode ter realização de lucros nesta quinta com derrubada de prescrição, diz especialista; decisão de hoje acontece em meio à alta dos preços das commodities e à valorização do dólar

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies