Menu
2020-04-21T13:07:39-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
A queda continua

Petróleo Brent cai abaixo dos US$ 20 pela primeira vez em 18 anos; WTI para junho recua 30%

Queda do Brent pode influenciar ações da Petrobras, que recuam hoje em Nova York

21 de abril de 2020
10:55 - atualizado às 13:07
Petróleo em queda
Imagem: Shutterstock

O petróleo continua em sua trajetória de queda nesta terça-feira (21). O o contrato do barril do tipo Brent, negociado em Londres, cai abaixo dos US$ 20 pela primeira vez em 18 anos. Há pouco, o contrato para entrega em junho era negociado a US$ 19,70, uma queda de quase 23% ante o preço de fechamento de ontem.

O petróleo WTI, negociado nos Estados Unidos, também despenca. O contrato mais líquido, com entrega para junho, se desvaloriza 34,55%, sendo negociado a US$ 13,37 o barril. Mais cedo, a queda chegou a mais de 40%, levando o preço do contrato para perto de US$ 10 o barril. Ontem, o WTI para maio, que vence hoje, fechou com queda de mais de 300%, a um preço negativo pela primeira vez na história.

Mais cedo, os preços do petróleo chegaram até certo alívio em meio às notícias de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) vai fazer hoje uma teleconferência extra para debater a crise, embora sem a perspectiva de já sair alguma decisão.

Outra reunião, marcada para 10 de maio, estaria sendo articulada para debater novos cortes na produção. Mesmo assim, as perdas voltaram a se aprofundar na parte da tarde.

A queda nos preços da commodity no mercado futuro refletem a expectativa de uma demanda muito menor que a oferta em razão das paralisações para combate à pandemia do coronavírus no mundo. Com isso, os estoques dos consumidores estão cheios, e o custo da armazenagem, que está quase no limite, está ultrapassando os preços praticados no mercado.

A forte queda nos preços dos Brent pode impactar as ações da Petrobras, uma vez que a estatal usa como referência o petróleo negociado em Londres. Nesta terça, a bolsa brasileira permanece fechada em razão do feriado de Tiradentes, mas os recibos de ações da Petrobras (ADR) negociados na bolsa de Nova York recuam 4,15%. Já o EWZ, fundo de índice (ETF) de ações brasileiras, recua 4,00%.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

decisão judicial

Justiça ordena religação de internet do governo do RJ; Oi alega inadimplência

Empresa acusa o governo do Estado de ter uma dívida com a empresa desde 2017 – hoje ela está em R$ 300 milhões

promessa de ipo

Locaweb compra ConnectPlug por R$ 18 milhões e avança em segmento de alimentação

Empresa comprada começou em food services mas hoje também atende outros segmentos, com foco em pequenas e médias empresas

seu dinheiro na sua noite

Mais fácil falar que fazer

Hoje foi um daqueles dias em que as falas dos detentores do poder no cenário doméstico até repercutiram no mercado, mas foram sobrepostas pelos fatos e pelo que aconteceu no exterior. O mercado local começou o dia animado com as apresentações do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes, no badalado evento […]

perspectivas

Para Verde e SPX, auxílio emergencial por mais três meses não é preocupante

Luis Stuhlberger e Rogério Xavier dizem que a medida pode ser necessária, caso a vacinação demore demais; ambos veem 2021 positivo para os mercados

FECHAMENTO

Aceno liberal do governo não convence e bolsa fecha o dia no vermelho; na contramão, dólar cai mais de 3%

Em evento do Credit Suisse, Bolsonaro e Guedes reafirmaram o compromisso com o andamento das reformas e das privatizações, mas o mercado espera ações mais concretas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies