🔴 ESTA CRIPTOMOEDA DISPAROU 4.200% EM 2 DIAS – VEJA SE VALE INVESTIR

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Ranking

Os 27 fundos multimercados que superaram o CDI com consistência no longo prazo

Fundos badalados como o Bahia AM Maraú, o SPX Nimitz e o Kapitalo Kappa aparecem no topo da lista divulgada pela consultoria Economatica, mas o fundo Verde ficou de fora.

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
19 de fevereiro de 2020
5:30 - atualizado às 18:57
Homem desenha gráfico em alta
Bull market a caminho - Imagem: Shutterstock

Depois de divulgar o ranking dos fundos de ações que foram capazes de superar o Ibovespa em nove anos e em janelas móveis de três anos, a consultoria Economatica fez uma pesquisa similar, porém com os fundos multimercados, aqueles que podem investir em diversas classes de ativos.

A consultoria montou um ranking com os 27 fundos multimercados que conseguiram superar o seu índice de referência - o CDI - nos últimos sete anos (de 31 de dezembro de 2012 a 31 de dezembro de 2019) e em janelas móveis de três anos.

Isso significa que eles não só bateram o seu benchmark no longo prazo, como também em prazos mais curtos: de dezembro de 2012 a dezembro de 2015; de dezembro de 2013 a dezembro de 2016; de dezembro de 2014 a dezembro de 2017, e assim por diante.

Em outras palavras, esses fundos apresentaram retornos bastante consistentes acima da média de retorno do mercado, um verdadeiro desafio para os gestores.

O topo da lista ficou por conta de alguns fundos bastante badalados, como o Bahia AM Maraú, o SPX Nimitz e o Kapitalo Kappa. Outros medalhões, porém, ficaram de fora, como é o caso do fundo Verde, de Luis Stuhlberger.

A classe dos multimercados é bastante ampla, pois inclui uma miríade de estratégias e níveis de risco, do fundo mais conservador e sem renda variável ao mais arrojado, com risco similar ao dos fundos de ações.

Porém, de forma geral, pode-se dizer que os multimercados são fundos que podem investir em diversas classes de ativos, sejam eles de renda fixa ou renda variável, e buscando proteger o patrimônio dos cotistas. Eles são normalmente um passo intermediário entre o investimento exclusivo em renda fixa e o investimento em ações.

Critérios

Além da rentabilidade, a Economatica estabeleceu outros critérios para chegar aos 27 fundos da lista: todos eles deveriam ter histórico de 31 de dezembro de 2012 a 31 de dezembro de 2019 (ou seja, fundos mais jovens não entraram); ter mais de 500 cotistas no dia 31 de dezembro de 2019; não serem fundos exclusivos e não serem classificados como crédito privado.

Desta vez, a Economatica não excluiu os grandes bancos da lista, como fez com o ranking de fundos de ações. Assim, três fundos do Banco do Brasil e um do Itaú figuraram entre os melhores.

A rentabilidade mostrada na tabela está em percentual do CDI. A terceira coluna traz o retorno acumulado desde dezembro de 2012, segundo essa métrica. Ou seja, o líder Bahia AM Maraú, teve retorno de 173,38% do CDI em sete anos.

Já a última coluna traz o retorno médio em sete anos, também em percentual do CDI. Nesse caso, a rentabilidade do Maraú foi de 149,49% do CDI em média.

No prazo analisado, o CDI teve um retorno nominal acumulado de 91,64%, o que significa que a rentabilidade do Bahia AM Maraú foi de pouco mais de 200% no período.

O fundo da Bahia Asset Management é seguido do Polo Macro; do SPX Nimitz e dois fundos que investem apenas nele, os fundos espelho do CSHG e o do Safra; do Kapitalo Kappa, da Kapitalo; e pelo AZ Quest Total Return.

Infelizmente, desses fundos que compõem o top 5, apenas o Polo Macro ainda está aberto para novos aportes. É comum que fundos multimercados fechem para captação para não ficarem com patrimônio grande demais e, assim, poderem aplicar suas estratégias de forma mais eficiente. Também se encontram fechados o fundo Navi Long Short e o CSHG Top.

Uma boa notícia, porém, é que os fundos multimercados mais consistentes são, na sua maioria, voltados para o público em geral, diferentemente do que ocorreu com o ranking dos fundos de ações, no qual vários fundos eram restritos a investidores qualificados, private ou sócios da própria gestora.

Apenas o BB Mult LP Dinâmico Plus Private é restrito a investidores qualificados do segmento private do banco, como o próprio nome indica. Os investidores qualificados são aqueles que têm, no mínimo, R$ 1 milhão em aplicações financeiras.

Onde os melhores fundos multimercados investiram

A maioria dos fundos da lista pode ser classificada como Macro - cuja estratégia de investimento parte de uma análise macroeconômica - ou Livre - que não precisa se ater a uma única estratégia.

Há quatro fundos classificados como Long & Short Direcional, do tipo que faz operações compradas e vendidas para ganhar com distorções de preços: AZ Quest Total Return, Navi Long Short, Itaú Equity Hedge e BB Mult LP Arbitragem.

Dois são classificados como Trading, focados em operações de curto prazo: o fundo Dinâmico do BB e a sua versão Private.

Apenas o SulAmérica Endurance é classificado como Juros e Moedas, ou seja, é focado apenas em operações nesses dois mercados, sem lançar mão de estratégias com ações, o que o torna mais conservador.

A Economatica também divulgou o histórico de perfil de alocação dos fundos que ocupam o topo do ranking, mostrando as diferentes estratégias vencedoras.

O Bahia AM Maraú e o Polo Macro, por exemplo, têm uma exposição a ações historicamente maior do que o Nimitz. Este, por sua vez, tem uma parcela bem maior investida no exterior que os outros dois.

Compartilhe

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa cai 3% na semana com peso da política monetária dos EUA e Petrobras (PETR4); dólar sobe a R$ 5,16

24 de maio de 2024 - 17:38

RESUMO DO DIA: A semana que parecia não ter fim acabou, mas sem alívio nos mercados: o Ibovespa completou seis pregões consecutivos de queda. O principal índice terminou o dia com baixa de 0,34%, aos 124.305 pontos. Na semana, o recuo acumulado foi de 3%. Já o dólar à vista avançou 0,27% ante o real […]

DESTAQUES DA BOLSA

Os números do PagBank (PAGS34) que ‘brilharam’ os olhos dos analistas e fazem as ações subirem na B3 e em NY 

24 de maio de 2024 - 14:53

A companhia teve um lucro líquido recorrente de R$ 522 milhões no primeiro trimestre, um crescimento de 33% na base anual

FUNDOS IMOBILIÁRIOS HOJE

Alianza Trust (ALZR11) fecha compra de imóveis do Oba Hortifruti; veja se há impacto nos dividendos do fundo imobiliário

24 de maio de 2024 - 11:47

A operação foi realizada na modalidade de “sale & leaseback”. Ou seja, os ativos serão locados pelo próprio vendedor

COMO SE ESPERAVA

Conselho de administração aprova e Magda Chambriard assume a presidência da Petrobras (PETR4)

24 de maio de 2024 - 9:41

Reunião do conselho de administração da Petrobras ocorreu na manhã desta sexta-feira; Magda Chambriard sucede Jean Paul Prates à frente da empresa

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Petrobras (PETR4) e mau humor de Nova York pesam e Ibovespa cai pela quinta vez consecutiva; dólar tem leve queda 

23 de maio de 2024 - 17:33

RESUMO DO DIA: O Ibovespa até tentou romper o ciclo de quedas, mas a aversão ao risco dominou os investidores após dados econômicos mais fortes que o esperado nos Estados Unidos. Pela quinta vez consecutiva, o principal índice da bolsa brasileira fechou em queda de 0,74%, aos 124.729 pontos. O dólar fechou próximo da estabilidade […]

GRUPO DOS EXCLUÍDOS

B3 enquadra Infracommerce (IFCM3) para abandonar a condição de ‘penny stock’, mas solução ainda não foi encontrada  

23 de maio de 2024 - 10:35

Entre o período de 22 de março e 7 de maio deste ano, a dona da bolsa de valores acompanhou as cotações da companhia

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa cai 1% e volta aos 125 mil pontos com NY após ata do Fed; dólar sobe a R$ 5,15

22 de maio de 2024 - 17:10

RESUMO DO DIA: Os olhos dos investidores ficaram concentrados no exterior com a ata da última reunião do Federal Reserve (Fed). Por aqui, o Ibovespa acompanhou a deterioração das bolsas de Nova York, além da repercussão do noticiário corporativo local — que segue agitado com o fim da temporada de balanços. O índice terminou o […]

DESTAQUES DA BOLSA

Por que as ações da XP despencam 15% após o balanço do primeiro trimestre?

22 de maio de 2024 - 12:17

A corretora reportou lucro líquido de R$ 1 bilhão no período, alta de 29% ante os R$ 796 milhões registrados no início do ano passado

AÇÃO ESTÁ CARA?

XP tem apenas um motivo para rebaixar a recomendação das ações da Embraer (EMBR3) — e é por causa de uma assimetria

22 de maio de 2024 - 11:54

Para os analistas, a companhia deixou de atravessar os céus abertos e atingiu a ‘altitude de cruzeiro’ neste momento

EM BUSCA DE SALVAÇÃO

Unidas por Lemann? Americanas (AMER3) propõe grupamento de ações para deixar de ser ‘penny stock’ e abre espaço para aumento bilionário de capital

22 de maio de 2024 - 10:35

Na última terça-feira (21), as ações fecharam a R$ 0,53 na B3; veja o que muda para o acionista

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar