Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-06-24T16:58:53-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
MERCADOS HOJE

Ibovespa cai 1,8% e dólar supera R$ 5,30 com exterior tenso

O Ibovespa mantém perdas firmes e o dólar continua a disparada no meio da tarde desta quarta-feira. O cenário exterior adverso guia os negócios em sessão tensa para os investidores

24 de junho de 2020
10:32 - atualizado às 16:58
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Ibovespa mantém perdas firmes e o dólar continua a disparada no meio da tarde desta quarta-feira (24). O cenário exterior adverso guia os negócios em sessão tensa para os investidores.

Por volta das 15:20, o princpal índice acionário da B3 cai 1,77%, aos 94.275,64 pontos. A bolsa teve uma abertura já no campo negativo e aprofundando a queda pela manhã, batendo na mínima de 93.529 pontos, por volta de 12h45.

A possibilidade da imposição de novas tarifas às exportações da União Europeia e do Reino Unido por partes dos Estados Unidos entra no radar dos mercados com o temor do protecionismo no comércio internacional.

Mas, além disso, o avanço do coronavírus em regiões dos EUA e na Alemanha, a queda na projeção do PIB global em 2020 e uma queda expressiva no mercado de petróleo também adicionam ao estresse.

Os índices acionários nos Estados Unidos operam em forte queda. Pelo mesmo horário, o S&P 500 tomba 2,89%, para 3.040,67 pontos, o Dow Jones cai 3,05%, para 25.359,52 pontos, enquanto o Nasdaq tem baixa de 2,55%, para 9.873,95 pontos.

Enquanto isso, o dólar dispara. A aversão ao risco observado no exterior também eleva o preço da moeda americana, que marca uma alta vigorosa de 3,21%, cotado a R$ 5,3180.

Juros

Os juros futuros dos contratos de depósitos interbancários, por sua vez, também sobem com o cenário de estresse no exterior.

O movimento mais forte se vê nos vértices mais curtos e mais longos, que segue com mais vigor o mau humor externo, como nos contratos de vencimentos para janeiro de 2021 e para janeiro de 2025.

  • Janeiro/2021: de 2,035% para 2,050%;
  • Janeiro/2022: de 3,02% para 3,07%;
  • Janeiro/2023: de 4,13% para 4,22%;
  • Janeiro/2025: de 5,83% para 5,96%.

Relações comerciais

Nesta manhã, o Escritório do Representante de Comércio dos EUA (USTR) informou que o governo estuda impor novas tarifas a US$ 3,1 bilhões em exportações da União Europeia e do Reino Unido.

A sobretaxa é uma resposta à longa disputa travada entre os EUA e a UE na Organização Mundial do Comércio (OMC) sobre os subsídios concedidos pela UE a fabricante de aviões Airbus. Para o governo americano, a medida prejudica a Boeing.

Ainda no campo comercial, o impasse entre Estados Unidos e China está longe de ser solucionado.

As declarações do presidente Donald Trump de que o acordo comercial preliminar firmado entre as potências segue válido impulsionou os mercados na terça-feira, mas hoje parecem insuficientes para sustentar o otimismo.

O jornal chinês Global Times disse que o dano causado pela fala de Peter Navarro — que afirmou que o acordo teria chegado ao fim — não pode ser desfeito.

Coronavírus e economia global

O coronavírus também segue sendo motivo de aversão ao risco no exterior. Algumas regiões dos Estados Unidos e da Alemanha têm apresentado um aumento no número de casos após o relaxamento de medidas de isolamento.

Nesta manhã, o Fundo Monetário Internacional cortou mais uma vez a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) mundial em 2020. A expectativa de contração passou de 3% para 4,9%. Segundo a entidade, o PIB dos Estados Unidos deve cair 8%.

Uma piora no mercado de petróleo também ajuda a explicar a deterioração do cenário externo. O Departamento de Energia (DoE) dos Estados Unidos divulgou que os estoques de petróleo subiram 1,442 milhão de barris na última semana. A previsão era de 600 mil.

Por volta das 15h, o petróleo WTI recuava 5,85%, a US$ 38,01. Já o Brent apresentava queda de 5,47%, a US$ 40,30.

Marco do saneamento

Com o clima pesado no exterior, no Brasil a provável aprovação do novo marco regulatório do saneamento básico pode ajudar a bolsa brasileira a limitar as perdas.

O projeto permite que a iniciativa privada atue no setor. A estimativa é de que mais de 1 milhão de empregos sejam gerados, o que coloca o marco como uma alternativa para a recuperação do país pós-covid. Empresas como Copasa, Sabesp e Sanepar acumulam altas expressivas nas vésperas da apreciação da matéria.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

ampliação dos negócios

Cosan (CSAN3) paga R$ 1,5 bilhão por fatia na Radar, gestora de propriedades agrícolas

Companhia já detinha uma participação na Radar; após a conclusão da operação e uma reorganização societária, a Cosan será dona de mais de 50% do capital social

o melhor do seu dinheiro

Caso Lehman Brothers: não vale a pena ver de novo

Se tem um roteiro que o mercado financeiro não quer ver se repetindo, é o de uma crise financeira desencadeada pela quebra de uma grande empresa, como foi o caso da falência do banco Lehman Brothers em 2008, que marcou o início da grave crise dos subprime. Nem mesmo em uma escala menor, como é […]

força do esg

Environmental ESG, da Ambipar, busca IPO de R$ 3 bilhões para dar gás às aquisições

Preço da faixa indicativa está entre R$ 15,50 e R$ 20,50; após IPO, 43,8% do capital social estará em circulação no mercado com as ações

MERCADOS HOJE

Evergrande injeta temor no mercado global e bolsas têm dia de fortes perdas; Ibovespa fecha no menor nível desde novembro

Temor de que os problemas da incorporadora chinesa gerem uma reação em cadeia no mercado global afundou as bolsas nesta segunda-feira (20)

Ruído político

Congresso não participou de debate sobre aumento no IOF, revela presidente da Câmara

Arthur Lira também declarou que quer avançar com a reforma administrativa e uma solução para a questão dos precatórios ainda nesta semana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies