Menu
2020-06-22T16:50:04-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Bolsa e dólar hoje

Ibovespa aprofunda perdas em dia de mercados instáveis, mas dólar mantém alívio

Bolsas americanas abriram em baixa com temores de segunda onda de coronavírus no mundo, mas viraram para alta. Apesar disso, Ibovespa não seguiu e aprofundou perdas na parte da tarde. Dólar têm dia de queda global

22 de junho de 2020
10:44 - atualizado às 16:50
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A bolsa brasileira abriu em alta nesta segunda-feira (22), mas logo no início dos negócios, o índice virou para baixa com a abertura em negativa em Nova York. E mesmo depois que as bolsas americanas viraram para alta, o índice brasileiro permaneceu em queda.

Depois das 14h, o Ibovespa aprofundou as perdas e passou a cair mais de 1%. Por volta das 16h30, o índice recuava 1,70%, aos 94.932,31 pontos.

Em Wall Street, os ganhos pela manhã foram modestos, e os índices operaram instáveis, intercalando altas e baixas. Na parte da tarde, as bolsas americanas se firmaram em alta. Por volta das 16h30, o Dow Jones subia 0,36%, o S&P 500 avançava 0,44% e o Nasdaq subia 0,83%.

O mercado se vê "dividido", operando com sinais mistos, entre o temor de uma nova onda da pandemia de coronavírus no mundo e o otimismo com a recuperação da economia americana. As bolsas europeias, por exemplo, fecharam todas em queda, pois no continente predominou a cautela com o coronavírus.

No Brasil, os investidores também intercalam otimismo com a votação do marco legal do saneamento no Congresso, prevista para esta semana, com monitoramento do cenário político e desdobramentos do caso Queiroz.

Já o dólar à vista vive dia de alívio, e chegou a cair mais de 2% mais cedo. Na mínima, foi a R$ 5,1999. A moeda americana agora recua 1,02% aos R$ 5,2636. A queda do dólar é global, após um fluxo forte de venda de um grande exportador no exterior e desmonte de posições defensivas, um movimento mais técnico.

Os juros futuros abriram estáveis e passaram o dia entre sobes e desces, até finalmente terminarem o dia em alta:

  • Janeiro/2021: de 2,019% para 2,035%;
  • Janeiro/2022: de 3,012% para 3,03%;
  • Janeiro/2025: de 5,823% para 5,91%;
  • Janeiro/2027: de 6,803% para 6,90%.

Setores

O setor de saneamento básico opera em alta, mesmo em dia negativo para a bolsa, com a perspectiva de votação do marco legal na próxima quarta-feira. Por volta das 16h, os papéis da Sabesp (SBSP3) subiam 4,34%, e os da Copasa (CSMG3) avançavam 3,29%.

Os frigoríficos, por outro lado, são pressionados pela notícia de que a fiscalização sanitária da China levou o país a suspender, no fim de semana, as importações de frango de uma unidade da Tyson Foods nos Estados Unidos, foco de covid-19. Unidades da JBS e da BRF já chegaram a ser interditadas pela Justiça pelo mesmo motivo.

Por volta das 16h, Marfrig (MRFG3) recuava 2,35%, Minerva (BEEF3) caía 3,96%, BRF (BRFS3) tinha queda de 1,65% e JBS (JBSS3) perdia 3,18%.

Braskem

A Braskem (BRKM5) recuava 3,70% no mesmo horário. O Ministério Público Estadual de Alagoas instaurou um inquérito para apurar a extensão dos danos pela extração de sal-gema feita pela petroquímica em bairros de Maceió. A questão já foi responsável pela forte queda nas ações da companhia no ano passado.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

seu dinheiro na sua noite

Petróleo, minério e tudo que há de bom

Entre o fantasma do Orçamento com pedaladas, a besta da PEC “fura-teto”, o gigante da CPI da Covid e o monstro da pandemia, o Ibovespa conseguiu hoje engatar a terceira alta seguida e fechar acima dos simbólicos 120 mil pontos, marca que o índice não via desde fevereiro. Mas como pode? Bem, mais uma vez […]

hoje não

Hering rejeita proposta da Arezzo para potencial fusão

Segundo a Cia. Hering, a proposta “não atende ao melhor interesse dos acionistas e da própria companhia”

Polêmica na privatização

CVM vai investigar CEEE por suposta omissão na divulgação de informações

A autarquia começará a apuração de uma denúncia de omissão de fatos relevantes sobre a privatização da estatal gaúcha

FECHAMENTO

Commodities em alta levam o Ibovespa acima dos 120 mil pontos pela primeira vez desde fevereiro; dólar recua

O clima incerto em Brasília segue assombrando os investidores, mas ainda assim a bolsa brasileira consegue fôlego com as commodities para se manter no azul

Combinação promete

Aura Minerals (AURA33): ouro e dividendos no mesmo investimento

Max Bohm, sócio e analista de Empiricus, enxerga um potencial enorme de crescimento na combinação oferecida pela mineradora

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies