Menu
2020-10-02T18:05:29-03:00
Ricardo Gozzi
Ninguém está a salvo

Ibovespa acompanha queda em Wall Street e dólar volta a subir com Trump em quarentena

Presidente dos EUA testa positivo para o novo coronavírus e desencadeia movimento de aversão ao risco nos mercados financeiros internacionais

2 de outubro de 2020
17:57 - atualizado às 18:05
Donald Trump
Imagem: Shutterstock

Se o coronavírus pode pegar aquele que é percebido como o “homem mais poderoso do mundo”, ele pode pegar qualquer um. E se a covid-19 pode pegar qualquer um, é preciso levar em consideração que os desafios criados pela pandemia à retomada da atividade econômica talvez sejam muito maiores do que muitos ainda insistem em acreditar.

De um modo bem resumido, é verdade, mas foi essa percepção do mercado financeiro sobre o anúncio feito na calada da noite pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que ele e a esposa testaram positivo para o novo coronavírus que levou os investidores a fugirem de qualquer ativo percebido como arriscado nesta sexta-feira.

Com a proximidade das eleições presidenciais norte-americanas, a notícia também lançou uma nova onda de incerteza sobre o cenário político do país.

A notícia fez com que as bolsas de valores europeias e os principais índices de ações em Nova York fechassem no vermelho. Em Wall Street, o índice Dow Jones recuou 0,48%, o S&P 500 caiu 0,96% e o Nasdaq fechou em queda de 2,22%.

Troca de farpas entre Guedes e Marinho acentua queda do Ibovespa

Por aqui, o Ibovespa teve um início de sessão volátil antes de firmar-se em queda no fim da manhã acompanhando o recuo em Wall Street.

A situação já não vinha bem, mas ultimamente parece que nenhuma notícia vinda de Brasília é tão ruim que não possa piorar a situação na B3.

A série de episódios de mal-estar envolvendo o ministro da Economia, Paulo Guedes, e aliados no governo ou no Congresso ganhou um spin-off na tarde de hoje.

Em call fechado da Ativa Investimentos com agentes do mercado, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, assegurou que o programa Renda Cidadã sai "por bem ou por mal" e carregou nas tintas ao criticar a condução do caso pelo Ministério da Economia.

Guedes não deixou quieto. Disse não acreditar que Marinho falou mal dele, mas, se falou, é "despreparado, desleal e fura-teto".

O principal índice da bolsa brasileira acabou fechando em queda de 1,53%, aos 94.015, 58 pontos. Na semana, o Ibovespa acumulou perda de 3,08%.

O dólar, por sua vez, voltou a subir, fechando em alta de 0,29%, a R$ 5,6704. Com isso, a moeda norte-americana avançou 2,07% sobre o real no acumulado da semana.

Desde o início do ano, a depreciação do real ante o dólar ultrapassa os 41%, o que faz da moeda brasileira a maior perdedora dentre as divisas de mais liquidez nos mercados internacionais de câmbio.

Entre os componentes do Ibovespa, as empresas do setor bancário se destacaram positivamente depois de o Banco Central ter prorrogado até abril de 2021 a vigência da alíquota temporária de 17% dos compulsórios sobre recursos a prazo.

Já as ações da Petrobras puxaram a bolsa para baixo acompanhando o recuo do barril do brent nos mercados internacionais de petróleo.

Confira a seguir as 5 maiores altas e as 5 maiores quedas do dia entre os componentes do Ibovespa.

MAIORES ALTAS

  • Santander Brasil Unit (SANB11) +1,79%
  • CSN ON (CSNA3) +1,45%
  • Bradesco PN (BBDC4) +0,80%
  • Natura ON (NTCO3) +0,74%
  • Bradesco ON (BBDC3) +0,47%

MAIORES BAIXAS

  • Azul PN (AZUL4) -5,56%
  • CVC ON (CVCB3) -5,28%
  • Magalu ON (MGLU3) -4,19%
  • Petrobras PN (PETR4) -4,18%
  • Petrobras ON (PETR3) -3,86%

Trump testa positivo para covid-19

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, utilizou o Twitter para anunciar que tanto ele quanto a primeira-dama testaram positivo para o coronavírus.

"Esta noite, Melania e eu testamos positivo para covid-19. Vamos iniciar nossa quarentena e processo de recuperação imediatamente. Vamos superar isto juntos"

Faltando apenas um mês para as eleições presidenciais norte-americanas, o teste positivo de Trump para covid-19 inspira diversas incertezas.

No momento, analistas ainda avaliam se a notícia pode mudar o curso da corrida eleitoral, uma vez que o candidato à reeleição terá de permanecer isolado restando pouco mais de um mês para a votação. Além disso, a idade e o sobrepeso enquadram Trump dentro do grupo de risco.

A atenção dos investidores também se volta para o adversário de Trump, o candidato democrata e ex-vice-presidente Joe Biden. Os dois estiveram no decorrer desta semana para a primeira rodada de debates com vistas às eleições de novembro.

Na avaliação de Nannette Hechler-Fayd’herbe, diretora de investimento do banco Credit Suisse, o teste positivo de Trump tende a servir como um sinal de alerta para os agentes dos mercados financeiros com relação ao persistente avanço da pandemia.

"Se aconteceu com o presidente, pode acontecer com qualquer um, com todo o potencial disruptivo que isso pode ter sobre a atividade econômica", alertou ela.

Além disso, prossegue Nannette Hechler-Fayd’herbe, a notícia tende a colocar em evidência a forma como o presidente norte-americano lidou com a pandemia.

Payroll reforçou mau humor entre investidores

Ainda nos Estados Unidos, outra notícia a contribuir para o mau humor entre os investidores nesta sexta-feira foi a divulgação, pelo Departamento do Trabalho dos EUA, dos dados do relatório de emprego do país, o payroll.

O resultado veio muito aquém das expectativas dos analistas. Foram criadas 661 mil novos postos de trabalho em setembro, enquanto as projeções indicavam a abertura de pelo menos 800 mil novas vagas.

Depois do payroll mais fraco do que o esperado, a divulgação de dados de encomenda à indústria dos EUA e da confiança do consumidor norte-americano injetaram um pouco de ânimo nos mercados.

Por aqui, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a produção industrial subiu 3,2% em agosto ante julho. Apesar de ter sido a quarta alta mensal seguida, o resultado veio abaixo do esperado pelos analistas.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Que bolsa é essa? - SD Premium

Telefone pra você: uma empresa líder na bolsa — e com o conforto dos dividendos

Nos níveis atuais, acho bastante interessante comprar as ações. Mesmo que não haja nenhum grande gatilho de curto prazo, os dividendos te compensam pela espera

em meio à crise

GPA tem alta de 150% no lucro, com melhora operacional no Brasil

Cifra atingiu R$ 386 milhões; Assaí apresentou faturamento de R$ 10,1 bilhões, incremento de R$ 2,5 bilhões contra o ano anterior

Números fortes

Vale tem lucro líquido de US$ 2,9 bilhões no 3º tri, alta de 76% na comparação anual

Lucro líquido cresceu quase 76% em relação ao terceiro trimestre do ano passado; Ebitda ajustado chegou a mais de US$ 6 bilhões

Análise

O mercado trucou, e o Banco Central mandou descer ao bancar juro baixo

Emparedado pelo repique da inflação e pelo aumento do risco fiscal, o BC foi inflexível e sustentou o “forward guidance”, a sinalização de que a Selic permanecerá baixa por um longo período

Acelerou

Bolsonaro assina sanção da lei que prorroga incentivos para setor automotivo

A sanção do projeto, assinada por Bolsonaro, deve ser publicada até esta quinta-feira, 29, no Diário Oficial da União (DOU).

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies