Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-10-20T18:36:58-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
fechamento do dia

Lá em cima, de novo: Ibovespa é puxado por bancos, alívio fiscal e NY e fecha acima dos 100 mil pontos

Principal índice acionário da B3 avança quase 2% e fecha acima da importante marca psicológica após mais de um mês. Dólar registra queda durante maior parte da sessão, mas vira em minutos finais com indefinição sobre pacote de estímulos

20 de outubro de 2020
18:28 - atualizado às 18:36
100
Ibovespa marca 100 mil pontos - Imagem: Shutterstock

O Ibovespa deu mais um importante passo na sua recuperação após o choque da pandemia do coronavírus que chacoalhou o índice e os mercados globais em março.

O principal índice acionário da B3 exibiu alta vigorosa nesta terça-feira (20), tendo conseguido retomar o patamar de 100 mil pontos e chegado a sonhar até com o de 101 mil.

Isto porque, na máxima intradiária, o índice chegou a disparar 2,09%, para 100.720,06 pontos. Mas, no final, superar duas barreiras no mesmo dia pareceu demais para o Ibovespa, que fechou em alta de 1,91%, aos 100.539,83 pontos. No mês, registra alta de 6,3%.

A última vez em que o Ibovespa havia encerrado acima do patamar de 100 mil pontos ocorreu em 17 de setembro — na ocasião, fechou cotado a 100.098 pontos.

É verdade que o índice acumula queda de 13% no ano, refletindo a cautela com o risco fiscal, enquanto as bolsas americanas não só recuperaram as perdas em razão dos pânicos de março como renovaram máximas históricas.

Mas também é verdade que nas últimas sessões o ceticismo sobre a situação das contas públicas brasileiras tem ficado de lado, após falas do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, de que o teto de gastos será mantido independentemente de novo programa social do governo ou extensão do auxílio emergencial.

"Esse sinal de responsabilidade fiscal é favorável a esse movimento", diz Henrique Esteter, analista de investimentos da Guide.

"Aliado a essa sinalização, temos visto a recuperação de alguns papéis de setores, como o bancário, que demoraram a se revigorar", diz Carlos Eduardo Gomes, assessor de investimentos de renda variável da Acqua Investimentos, um dos cinco maiores escritórios de investimento filiados à XP Investimentos.

Os bancos foram os principais destaques da bolsa hoje, ficando entre as maiores altas percentuais do índice e puxando o Ibovespa.

Segundo um gestor de fundos, a alta dos bancos na sessão de hoje reflete o apetite de estrangeiros que estão voltando a comprar ações de empresas brasileiras.

Enquanto isso, o cenário externo também sustentou os ganhos vigorosos do Ibovespa, uma vez que as bolsas americanas recuperaram algumas das perdas de ontem com firmes altas hoje, na expectativa sobre pacotes de estímulos fiscais.

Top 5

Os papéis dos bancos foram destaques hoje, estando as ações de BTG Pactual e do Banco do Brasil entre as cinco principais altas da sessão.

"O estrangeiro está voltando a comprar Brasil", diz um gestor de fundos de uma gestora com mais de R$ 5 bilhões sob gestão, ao justificar a alta desses papéis. "Está mais animado com perspectiva fiscal e potencial de crescimento do PIB para 2021."

Segundo este gestor, a "economia está forte" e "os bancos estão bem descontados", o que explica o forte movimento dessas ações.

As ações preferenciais do Bradesco marcaram, por sua vez, o sexto maior ganho percentual do índice hoje (4,32%).

Ações da Petrobras, outro peso-pesado do índice, também subiram forte hoje, mais de 3,3%, em linha com a alta do petróleo Brent no mercado internacional. Confira as maiores altas percentuais do Ibovespa:

CÓDIGOEMPRESAPREÇOVARIAÇÃO
EZTC3EZTEC ONR$ 39,405,63%
BPAC11BTG Pactual unitsR$ 79,19 5,53%
CSNA3CSN ONR$ 20,68 5,19%
BBAS3Banco do Brasil ONR$ 32,01 4,61%
RENT3Localiza ONR$ 64,47 4,52%

Veja também as maiores perdas do índice:

CÓDIGOEMPRESAPREÇOVARIAÇÃO
TOTS3Totvs ONR$ 28,59 -1,07%
RAIL3Rumo ONR$ 18,48-1,02%
GOLL4Gol PNR$ 19,70 -1,05%
AZUL4Azul PNR$ 26,30 -0,87%
CSAN3Cosan ONR$ 70,30 -0,76%

Bolsas americanas encerram dia em alta

O movimento de forte alta do Ibovespa hoje também se relacionou ao otimismo no exterior, onde os investidores deram novo voto de confiança ao possível acordo por estímulos fiscais nos Estados Unidos entre o presidente Donald Trump e os democratas.

As bolsas americanas tiveramuma recuperação após o mau desempenho de ontem, quando mais uma vez os agentes financeiros apresentaram ceticismo sobre um acordo por medidas de suporte à economia do país, vistas como necessárias inclusive pelo presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, para uma recuperação mais rápida.

O prazo final por um acerto se esgota hoje segundo as autoridades que negociam a medida. A presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, a democrata Nancy Pelosi, disse no fim de semana que Trump tinha até esta terça para firmar um acordo com os democratas.

Durante a sessão dos mercados, o líder da maioria do Senado, o republicano Mitch McConnell, afirmou que qualquer acordo firmado entre Pelosi e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, irá ser votado na casa, o que deixou os investidores esperançosos sobre um pacote de alívio dos efeitos da covid-19 na economia.

No fim do dia, os índices se distanciaram das máximas, mas ainda exibiram altas consistentes. O Dow Jones subiu 0,95%, o S&P 500 avançou 1,07% e o Nasdaq teve alta de 1%.

Dólar pra um lado, juro pro outro

O mercado de câmbio terminou com sinal diferente do otimismo visto no Ibovespa ou mesmo nos juros, passando a subir conforme as bolsas americanas se distanciaram das máximas do dia.

A moeda americana operou em baixa durante a maior parte da sessão. Na mínima, chegou a se aproximar de uma forte queda de 1%, cotada a R$ 5,54.

O movimento estava em linha com o Dollar Index (DXY), índice que compara o dólar a uma cesta de divisas como euro, libra e iene, e hoje apresentou recuo de 0,36%.

Nos minutos finais, no entanto, o dólar virou, encerrando o dia em leve alta, de 0,18%, aos R$ 5,61.

Mais cedo, Alessandro Faganello, operador de câmbio da Advanced Corretora, chegou a afirmar que os sinais internos sobre o teto e o alívio no exterior ajudavam a moeda a cair. No entanto, também observou que as oscilações na taxa de câmbio são naturais em meio à expectativa de uma definição sobre o pacote de estímulos nos EUA.

"Esse movimento pode continuar", disse Faganello.

Os juros futuros, no entanto, emitiram sinal positivo, após leilão do Tesouro Nacional das NTN-Bs (títulos públicos pós-fixados com rentabilidade atrelada ao IPCA) para maio de 2023 ser considerado bem-sucedido, segundo a Broadcast. As taxas dos contratos terminaram a sessão em queda, tanto nos vértices curtos quanto nos longos.

Ainda assim, o cenário externo também ajudou a descompressão dos juros, com a busca por risco. "Acho que é mais exterior", disse Vladimir Vale, estrategista-chefe do Credit Agricole Indosuez. "As sinalizações ajudam, mas não tem nada de muito concreto", afirmou, sobre falas de Guedes e Maia. Veja o fechamento dos principais contratos:

  • Janeiro/2021: estável em 1,96%
  • Janeiro/2022: de 3,28% para 3,24%
  • Janeiro/2023: de 4,65% para 4,55%
  • Janeiro/2025: de 6,48% para 6,36%
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Gestão de ativos

Alívio nos ares: Gol (GOLL4) refinancia R$ 1,2 bi em dívidas de curto prazo

Com isso, o endividamento de curto prazo da companhia aérea ficará ao redor de R$ 500 milhões — o que representa o menor nível desde 2014

Exile on Wall Street

Entre renda e multiplicação de capital, você pode ficar com os dois — Veja como

Você se lembra da sua primeira conta poupança? A minha e a do meu irmão foram abertas por volta dos meus 11 anos, quando nossos pais nos levaram ao banco para depositar o dinheirinho acumulado de nossas três fontes de renda — as moedas de casa, o troco dos lanches da escola e as generosas […]

Não é 'block' mas é 'chain'

Aceita bitcoin: Tráfico de drogas no Rio de Janeiro aceitava criptomoedas por WhatsApp; envolvidos são presos

O grupo coordenava o envio, estoque, compra e venda por meio de um grupo “oficial” no aplicativo de mensagens

MERCADOS HOJE

Aumento do IOF pega mal e Ibovespa recua mais de 1%; dólar sobe a R$ 5,32

Depois de meses de especulação e preocupação, a saída encontrada pelo governo federal para financiar o novo Bolsa Família, rebatizado de Auxílio Brasil, não agradou o mercado e o Ibovespa começa refletindo esse mau humor.  Ontem, o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto que eleva o Imposto sobre Operações Financeiras até dezembro, o que deve […]

DUPLO DOWNGRADE

UBS rebaixa ação da Vale (VALE3) de compra para venda com queda do minério, apesar de dividendos

Banco suíço considera que distribuição de dividendos pela mineradora brasileira torna-se menos atraente com a cotação do minério de ferro abaixo de US$ 100

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies