Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2019-04-02T18:39:28-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Fica, vai ter bolo!

2 de abril de 2019
18:38 - atualizado às 18:39
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Se você, como eu, cresceu com muitos irmãos - eu tenho cinco, e fui criada ao lado de três deles - sabe que a divisão das guloseimas costuma ser motivo de conflito.

Sempre tem aqueles dois que disputam o último bife; aquele que detona escondido o bolo que a sua mãe só faz uma vez por ano antes que os outros possam comer; aquele que esconde a caixa de bombons para não ter que dividir com os outros (essa era eu, admito); e aquele que reclama para os pais que o outro ganhou mais, exigindo um pedaço maior.

Quando o assunto é privatização, os investidores não querem saber apenas o sabor do bolo (quais empresas o governo pretende privatizar?), mas também o seu tamanho (qual o valor das privatizações?) e quem será chamado à mesa para provar um pedaço (afinal, vou poder participar ou não?).

O repórter Vinícius Pinheiro passou o dia em um evento do Bradesco BBI, braço do banco que atende ao segmento de atacado, e foi até por isso que me deixou no comando da newsletter nesta terça-feira.

Ele mandou de lá as estimativas do banco para o tamanho do bolo das privatizações que o governo pretende fazer: R$ 500 bilhões para os cofres do governo, sendo R$ 221 bilhões apenas neste ano e no próximo. E o melhor: você provavelmente poderá levar um pedaço, via mercado de capitais.

O Vini te traz os detalhes nesta reportagem.

Parece que o jogo virou, não é mesmo?

Outra notícia que o Vini nos trouxe do evento do Bradesco é que o banco deve começar a oferecer alguns de seus fundos em plataformas abertas de investimento de corretoras, nos moldes do que já fazem muitas gestoras independentes. Se não pode vencê-los, junte-se a eles, certo? A questão que fica, porém, é: será que os fundos do Bradescão vão conseguir competir, em custo e rentabilidade, com os fundos das gestoras boutiques? Leia mais na matéria do Vini.

Já que estamos falando em bolo...

Ele tem lá suas falhas e sofre fortes críticas mundo afora, mas o fato é que o capitalismo possui uma capacidade extraordinária de gerar riqueza - ou fazer o bolo crescer. O problema é que, na hora de reparti-lo, o sistema falha naquilo que boa parte da população entende como justiça, dando origem a ressentimentos e uma retórica anticapitalista que podem sabotar toda a confeitaria.

Com bem menos metáforas culinárias, essa foi a questão que Howard Marks, gestor de US$ 120 bilhões em investimentos pela Oaktree Capital, resolveu levantar em seu mais recente “memo”. No centro do debate: o crescimento do chamado “populismo de esquerda”, que resvalou, por exemplo, na busca da Amazon por uma nova sede. Quem teve acesso a esse conteúdo foi o Eduardo Campos e ele te conta tudo nesta matéria.

Mea culpa

Ontem à noite, depois de eu ter publicado uma matéria mostrando que o Tesouro Selic está rendendo menos que a poupança no curto prazo para quem o vende antes do vencimento, o Tesouro Nacional me enviou uma nota admitindo o problema. Mais que isso: o órgão disse já estar buscando uma solução para minimizá-lo. Será que vem novidade boa por aí? Dá uma olhada na resposta do Tesouro.

Risco de desidratação

O mercado anda preocupado com o que o Congresso vai conseguir aprovar do projeto original da Nova Previdência. Desde o início das discussões, já se esperava uma desidratação da pauta, mas a coisa desandou depois que membros do governo sinalizaram que vão jogar a toalha sobre alguns temas. Na bolsa, muita gente acha que é cedo demais para dar esse tipo de sinal, e que isso só prejudica ainda mais a aprovação da reforma. O resultado de tudo isso: queda de 0,7% no Ibovespa hoje. O Victor Aguiar traz para você todos os detalhes do pregão.

Dia 92 de Bolsonaro - Polêmicas na Terra Santa

O presidente Jair Bolsonaro segue em Israel de onde falou sobre um pouco de tudo, como tributação de empresas, impeachment de Dilma Rousseff, críticas ao IBGE pela conta de desemprego e complementaridade entre tecnologia israelense e commodities brasileiras. Mas o que fez barulho mesmo foi a... (leia mais)

Afogados em dívidas

Batemos tanto na tecla de que o Congresso precisa aprovar a reforma da Previdência com urgência que muitas vezes nos esquecemos dos motivos por trás disso. Mas o Edu Campos nunca esquece e trouxe para você alguns dados fresquinhos sobre a situação fiscal do Brasil, mais especificamente sobre a nossa dívida pública.

Com o comprometimento de quase 87% do nosso PIB, a dívida do governo é a terceira maior entre todos os países emergentes, à frente inclusive dos nossos hermanos que vivem uma profunda crise.

Mas não é só o Brasil que está com a corda no pescoço. O mundo está muito endividado, de uma forma perigosa, em um daqueles cenários propícios a grandes crises econômicas. O Edu conta direitinho essa história nesta matéria, que você ainda pode usar para defender a reforma da Previdência para os seus amigos.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Negócio fechado

Petrobras assina venda de sua fatia de 50% no campo terrestre de Rabo Branco

O campo teve produção média em 2020 de 131 barris de petróleo por dia (bpd).

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Fundo Verde e a tragédia grega do Brasil

Ao despertar a fúria de Zeus por ter entregue o fogo do Olimpo aos mortais, Prometeu foi acorrentado e punido: durante o dia, uma águia devorava seu fígado; durante a noite, o órgão se regenerava — um ciclo de tormento eterno. Tragédias gregas, infelizmente, costumam ser úteis ao falarmos sobre o Brasil. Reformas econômicas demandam […]

FECHAMENTO

Commodities amenizam a queda da bolsa, mas exterior negativo e nova crise em Brasília falam mais alto

As commodities mais uma vez tentaram salvar a bolsa brasileira de um dia no vermelho, mas o exterior negativo e a cautela em Brasília falaram mais alto

Presidente otimista

EUA devem ter retomada econômica mais rápida em quase 40 anos, diz Biden

Segundo o democrata, o foco de seu governo se manterá em criar empregos e combater a pandemia de covid-19

Gestão na crise

Brasil vive uma espécie trágica de dia da marmota, diz Verde Asset

Navegar os mercados locais vem sendo uma odisseia extremamente complexa e nada indica que vai melhorar, diz a gestora de Luis Stuhlberger

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies