Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-09-23T19:29:35-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Dólar ladra, mas (ainda) não morde

23 de setembro de 2019
19:29
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Como todos sabemos, o câmbio no Brasil é flutuante. Mas toda vez que o dólar sobe com consistência, uma certa apreensão surge no mercado. O temor não é só pela alta da moeda, mas pelo que ela pode representar.

No limite, uma desvalorização muito acentuada do real pode despertar pressões inflacionárias e ameaçar o processo de queda da taxa básica de juros (Selic).

Mas como gostam de dizer os diretores do Banco Central, o câmbio flutuante é a primeira linha de defesa contra choques externos. Isso quer dizer que a alta do dólar ajuda a amortecer os efeitos de uma piora nas condições do mercado internacional.

E não é de hoje que os investidores estão com um pé atrás em relação ao desempenho da economia global. O grande receio é o de que as autoridades não tenham bala na agulha para evitar uma recessão.

Além do cenário nebuloso lá de fora, o dólar ganhou força depois da sinalização do BC brasileiro de que os juros vão continuar em queda firme. Ou seja, aquele ganho que muitos investidores internacionais tinham com a diferença entre os juros praticados aqui e lá fora vai ficar cada vez menor.

Dito tudo isso, a verdade é que o dólar no patamar atual é como aquele velho cão do ditado popular: ladra mas não morde. Com a alta de hoje para R$ 4,171, a moeda do país de Donald Trump acumula um ganho de 7,64% em 2019.

Embora não seja algo de se desprezar, trata-se de uma variação bem menor se compararmos, por exemplo, com o período de tensão pré-eleitoral do ano passado, quando o câmbio chegou a ter uma desvalorização de mais de 25%.

Os temores com indicadores fracos da economia lá fora também mexeram com a bolsa, mas no fim do dia o Ibovespa fechou perto do zero a zero. Saiba com o Victor Aguiar tudo o que mexeu com o dólar e com as ações nesta segunda-feira.

Na prateleira da renda fixa

Uma novidade surgiu na prateleira da renda fixa para quem está em busca de diversificar os investimentos. Ou melhor, duas. O Itaú Unibanco lançou hoje dois novos fundos de índice negociados em bolsa – mais conhecidos pela sigla em inglês ETF – que têm como referência uma cesta de títulos públicos. Saiba mais como funcionam os dois fundos e quais as vantagens em relação a outras aplicações nesta matéria do Kaype Abreu.

Agro é pop

As ações da Fertilizantes Heringer, que são negociadas na bolsa de 2007, caíram no limbo no começo deste ano com o pedido de recuperação judicial da empresa. Pois hoje elas foram resgatadas depois que a companhia recebeu uma oferta de compra de dois grupos russos. A notícia fez com que os papéis da empresa fechassem em alta de mais de 33%. Saiba mais sobre a proposta e quanto os russos estão dispostos a colocar na Heringer.

Guerra pelo seu celular

Os efeitos das disputas comerciais entre Estados Unidos e China respingam para todos os lados, inclusive no Brasil. A bomba da vez explodiu no campo da tecnologia, mais especificamente no leilão de cobertura 5G. O lobby feito pelo presidente norte-americano Donald Trump contra a empresa chinesa Huawei vem colocando em xeque a participação dela no processo brasileiro. Confira nesta nesta matéria tudo o que está em jogo nessa corrida tecnológica que vale bilhões.

Compre e mantenha!

Lenda é lenda, não tem jeito. Outro dia eu citei aqui na newsletter a famosa estratégia do bilionário Warren Buffett de encontrar e comprar ações na bolsa por um preço menor do que elas realmente valem. Agora chegou a hora de contar o que ele faz depois de comprar essas ações. Será que ele vende logo que elas começam a subir ou em caso de queda para limitar o prejuízo? Nada disso. Saiba mais sobre a conhecida estratégia “buy and hold” , que aliás nem foi criada pelo investidor norte-americano.

No pain, no gain

A máxima das academias de musculação em muitos casos pode se aplicar ao mercado financeiro. E também vale para você que decidiu colocar uma parte dos seus investimentos na bolsa, como bem destaca o nosso colunista Felipe Miranda. No texto de hoje, ele explica por que os percalços são inevitáveis no caminho de todo o investidor. Enfrentar períodos de instabilidade, que inclusive podem ser prolongados, é praticamente inevitável se você quiser avançar para a etapa de bonança. Vale a pena a leitura!

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

*Colaboração Fernando Pivetti.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

em diário oficial

Bolsonaro sanciona nova Embratur e veta incetivos fiscais para setor do turismo

Texto está publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira e resultou da aprovação de projeto de lei de conversão da Medida Provisória 907/2019

modelos possíveis

IPO minoritário de projeto em infraestrutura por ente público é erro, diz Albuquerque, do BNDES

Chefe do Departamento de Estruturação de Parcerias do BNDES disse que o mercado não tem recursos para entrar nesses projetos

decisão no Comitê RenovaBio

Governo recusa pedido de elevar mistura de biodiesel para 13% a partir de julho

Demanda visava ajudar a indústria do biocombustível durante a crise da pandemia, que reduziu a demanda por diesel e, com isso, diminuiu a venda dos produtores de biodiesel

diz anp

Três novas empresas são inscritas na oferta permanente de campos de petróleo

Essa uma modalidade de concessão que funciona como um banco de ofertas ininterruptas de campos e blocos devolvidos à ANP e de blocos exploratórios ofertados em licitações anteriores e não arrematados

ficará de licença

Após internação, novo exame de Toffoli dá negativo para covid-19

De acordo com o boletim, Toffoli apresentou “melhora considerável” em seu quadro respiratório, depois de ter sido internado no sábado (23) com sintomas

Forte alívio

Ibovespa sobe forte e dólar cai a R$ 5,46, refletindo o alívio no risco político

O Ibovespa já se aproxima dos 85 mil pontos e o dólar fica abaixo de R$ 5,50. O mercado reage positivamente ao vídeo da reunião ministerial e aproveita o feriado nos EUA para ter um dia tranquilo

Exile On wall street

Ganha-ganha ou tango à beira do precipício?

Na eventualidade de uma surpresa negativa, o mercado vai desafiar o BCB, questionando sua capacidade de conter uma disparada de câmbio, até o limite de sofrermos um ataque especulativo

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta segunda-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

13 notícias para começar o dia bem informado

A semana começa com um feriado lá fora e um “feriadinho” meia boca no estado de São Paulo. Enquanto Wall Street permanece fechado, a bolsa brasileira opera normalmente. O feriado antecipado pelo governo de São Paulo não colou no mercado financeiro. Recebi inúmeros comunicados de empresas e bancos informando que terão expediente normal. Os investidores […]

efeito coronavírus

Confiança do comércio sobe 6,2 pontos em maio, afirma FGV

Nos dois meses anteriores, o índice tinha acumulado uma perda de 38,6 pontos e descido ao menor nível da série histórica

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu