Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-05-06T18:56:28-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Aquela comprinha básica em Miami

6 de maio de 2019
18:56
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Para algumas pessoas que eu conheço, fazer compras em Miami é uma espécie de investimento. De fato, economizar durante o ano para fazer a festa nos outlets da cidade mais latina dos Estados Unidos é parte do roteiro de férias de muita gente.

Mesmo com o dólar beirando os R$ 4,00, ainda é possível comprar roupas de marca e eletrônicos com descontos generosos em relação aos preços estampados nas vitrines dos shoppings daqui.

Como ninguém é de ferro, fui comprovar esse “investimento” no ano passado, quando levei as crianças para a Disney nas férias. E devo dizer que em quase todas as lojas que visitei o idioma corrente era o português.

Em vez de tentar corrigir essa distorção que faz o consumo daqui ser exportado para a economia mais rica do mundo, o governo prefere impor uma cota de US$ 500 para as compras feitas no exterior. Já tive casos de amigos que pediram meus filhos “emprestados” só para multiplicarem o limite na alfândega...

Mas as compras na Flórida não estão atrativas apenas para nós, meros mortais. Quem também encheu a sacola na “meca” do consumo foi o Bradesco. O banco assinou um cheque de US$ 500 milhões (quase R$ 2 bilhões) para levar o BAC Florida, uma instituição que se especializou em atender clientes interessados em investir no mercado americano.

Trata-se da segunda aquisição do banco sob o comando de Octavio de Lazari, que assumiu a presidência no começo do ano passado. Eu acompanhei o anúncio e conto para você o que o Bradesco pretende ao colocar o pé nas praias americanas.

Tem que suspender isso aí

É com uma licença poética do ex-presidente Temer (saudades?) que resolvi falar do mais novo capítulo da novela Avianca. Já estava tudo certo para que o leilão dos ativos da companhia aérea em recuperação judicial e com gravíssimos problemas para manter seus voos ocorresse amanhã. Mas o leilão acabou suspenso pelo TJ de São Paulo, que tomou a decisão com base no pedido da Swissport, uma das credoras da Avianca. Os detalhes da medida e como fica a situação da Avianca agora você confere com o Fernando Pivetti.

Estranho casal

Quando todos imaginavam que as diferenças entre China e Estados Unidos seriam superadas, eis que os dois países voltaram a se estranhar sobre suas relações comerciais. Como um bom casal moderno, a briga entre os dois começou pelo Twitter. E o efeito da nova desavença não poderia ser outro senão uma nova onda de pessimismo na bolsa, com o Ibovespa caindo mais de 1% e o dólar voltando a romper os R$ 3,95. O cenário é complicado e inspira cautela, e para entender tudo o que está rolando nos mercados você pode contar, claro, com o Victor Aguiar.

A outra reforma

Nem só de Previdência vive a pauta econômica do governo e do Congresso. A reforma tributária, um dos projetos que promete grandes movimentações políticas já nos próximos meses, começa a sua tramitação na Câmara. O autor da proposta, deputado Baleia Rossi, está otimista e espera que o relator na CCJ saia já nesta semana. Rossi inclusive arriscou prazos para que o projeto seja aprovado na comissão, como você confere nesta matéria.

Como nossos pais

É da natureza dos jovens serem contestadores e ousarem no comportamento. Mas quando o assunto é investimentos, eles se parecem muito com a geração dos pais. Com toda a vida pela frente, mas sem educação financeira, a moçada que consegue guardar dinheiro se inspira pouco nas opções mais arrojadas disponíveis no mercado. Caderneta de poupança, conta corrente e até (acredite se quiser) o colchão são os lugares preferidos por quem tem entre 18 e 24 anos, como mostra essa pesquisa divulgada hoje.

Dr Jekyll e Mr Hyde

Por falar em poupar e gastar, nada melhor para encerrar a newsletter de hoje do que esse texto do Ivan Sant’Anna. Nos últimos artigos, nosso colunista tem batido na tecla da necessidade de poupança. Mas hoje ele confessou sua propensão a gastar com coisas supérfluas quando o orçamento fica folgado. São então dois Ivans: o “unha de fome” e o perdulário, como ele mesmo define. O relato mostra que até o melhor dos investidores pode ter suas recaídas e pensar só no presente. Fica o aprendizado e, neste caso, um texto imperdível.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

sessão tensa

Ibovespa afunda com bancos, exterior e fim de trégua política e perde 100 mil; dólar dispara

Declaração do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, de que base do governo é que obstrui andamento de reformas pesa no sentimento do investidor. Juros sobem na véspera do Copom

Não agora

Havan protocola desistência de IPO junto à CVM

Notícia de que a varejista poderia adiar IPO já corria o mercado; Havan entrou com pedido de abertura de capital no fim de agosto

Atritos

Maia critica obstrução de base do governo e cobra interesse para votar reformas

Para o presidente da Câmara, o acordo firmado em fevereiro que garantiria a presidência da CMO ao deputado Elmar Nascimento (DEM-BA) é o válido.

Tesouro Nacional

Dívida Pública Federal sobe 2,59% e fecha setembro em R$ 4,526 tri

Em agosto, o estoque estava em R$ 4,412 trilhões.

Vai comprar?

BB Investimentos eleva preço-alvo da Unidas após resultados positivos no trimestre

A companhia teve um volume recorde na venda de carros e uma alta de 65,4% na receita líquida de seminovos, comparando com 2019.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies