Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-09-09T19:18:37-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

A invasão dos ursos na política

9 de setembro de 2019
19:18
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Qual o habitat ideal para os touros? Do que eles se alimentam? Calma, não se trata de um comercial do próximo Globo Repórter. Eu me refiro aos touros no mercado financeiro, ou seja, os investidores que acreditam em uma alta nos preços das ações e outros ativos.

Aqui no Brasil, a adoção de uma agenda liberal na economia nos últimos anos abriu espaço para a proliferação dos touros, o chamado “bull market”. Não por acaso, a bolsa brasileira saiu do patamar de 40 mil pontos no fim de 2015 para os mais de 100 mil atuais.

O problema é que, enquanto os touros cresciam por aqui, uma invasão de ursos (“bear market”) – que esperam uma queda nos preços – ocorreu na política internacional. Pelo menos essa é a visão da gestora de fundos SPX.

No mês passado, tivemos uma boa amostra do poder de ataque dos ursos políticos com o agravamento da guerra comercial entre Estados Unidos e China, a vitória da oposição nas eleições primárias argentinas e a escalada dos protestos em Hong Kong.

Para a gestora fundada por Rogério Xavier, esse movimento tende a se agravar, com o aumento dos focos de populismo e uma reversão do processo de globalização. Por outro lado, a ação dos bancos centrais, que seria o antídoto natural, não tem sido suficiente para fazer com que os ursos voltem a hibernar.

Mas qual será o impacto desse “bear market” político na bolsa e nos demais ativos, como dólar e juros? Saiba as expectativas da SPX e também o desempenho do fundo em agosto, nesta matéria que o Eduardo Campos escreveu com base na carta mensal da gestora.

Perdeu o gás

No atletismo, os corredores costumam se diferenciar entre os que competem em provas longas, como as maratonas, e os que se arriscam em provas de tiro curto, ao estilo Usain Bolt. Normalmente, quem é especialista em longa distância vai mal nos 100 metros e vice-versa. A bolsa hoje tentou dar uma de Usain Bolt e disparou logo no começo do pregão, mas perdeu gás e por pouco não conseguiu se manter no positivo. Quem conta essa história é o Victor Aguiar.

Mais Pan na bolsa

Sensação da bolsa neste ano com uma alta de 370%, o Banco Pan confirmou os planos de fazer uma oferta de ações. A Caixa Econômica Federal, que controla a instituição financeira junto com o BTG Pactual, vai aproveitar para vender ações na operação, que pode movimentar até a R$ 1,254 bilhão. Parte desse dinheiro também vai ser usado para reforçar o balanço do Pan, que pretende lançar um banco digital voltado para as classes para os clientes das classes C, D e E. Confira os principais números da oferta.

Um novo índice para acompanhar

Desde que o Twitter aumentou o limite de caracteres em suas postagens - isso lá em 2017 - personalidades como Donald Trump ganharam mais espaço para publicar suas ideias e polêmicas. Mas qual seria de fato o impacto dessas mensagens para o mercado? Quem desafiou essa lógica e formulou um “índice Trump de impacto” foi o JP Morgan, como conta a Bruna Furlani nesta matéria.

Tá caro o aluguel

Lá fora, uma das ofertas de ações mais aguardadas começa a enfrentar a desconfiança do mercado. Depois de Uber e Lyft demonstrarem um desempenho pós abertura de capital frustrante, a startup de escritórios compartilhados WeWork está revendo seu valor de mercado. Segundo a imprensa americana, o valuation da empresa no IPO pode cair para menos da metade: de US$ 47 bilhões para U$ 20 bilhões. O processo ainda pode ser adiado para 2020.

E se fosse banco?

Com prejuízo bilionário e um desempenho pífio das ações desde a abertura de capital neste ano, a Uber parece disposta a ampliar os horizontes. Nos Estados Unidos, a empresa começou a enviar mensagens a alguns de seus motoristas perguntando se eles estariam dispostos a tomar um empréstimo da empresa. Mas a reação não foi das mais positivas, como você lê nesta matéria.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

*Colaboração de Fernando Pivetti.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Oportunidade para o investidor

Conselho da Iguatemi aprova emissão de R$ 264 milhões em debêntures

Trata-se da oitava emissão dos títulos pela empresa, que serão negociados em série única e vinculados a uma emissão de CRI

Seu Dinheiro na sua noite

O que mudou e o que não mudou na bolsa

Quando surgiram as primeiras notícias sobre o surto do coronavírus na China, havia poucos elementos para afirmar se estávamos ou não diante de uma crise de saúde de proporções globais. Hoje já não temos mais dúvidas disso. A dolorosa queda de 7% da bolsa na quarta-feira de cinzas marcou a passagem da incerteza que tínhamos […]

É dólar na veia

Na luta para conter o dólar, Banco Central anuncia oferta de US$ 1 bilhão em contratos de swap nesta sexta-feira

Negociação será realizada na bolsa entre 9h30 e 9h40 e deve contemplar até 20 mil contratos

Dados do Banco Central

Reservas internacionais subiram US$ 976 milhões no dia 26 de fevereiro, para US$ 360,578 bilhões

Resultado reflete sobretudo a oscilação do valor de mercado dos ativos que compõem as reservas

Menor nível em quatro meses

Pressionado pelo coronavírus, Ibovespa cai mais 2,59% e fecha na mínima do dia; dólar sobe a R$ 4,47

O mercado até ensaiou um movimento de recuperação no meio da tarde, mas a cautela com o surto de coronavírus prevaleceu, derrubando o Ibovespa — apenas quatro ações do índice fecharam em alta. O dólar cravou mais uma máxima

No radar

Abimaq diz não ter dado que indique desabastecimento por causa do novo coronavírus

Setor de máquinas está promovendo ações preventivas para evitar qualquer risco de desabastecimento

Negócio em aberto

Bayer concorda com nova revisão sobre aquisição da Monsanto

Empresa vai permitir que um especialista independente revise suas regras e examine os seus principais negócios

Enchentes

Chuvas de fevereiro dão prejuízo de R$ 203 milhões ao comércio do sudeste, diz CNC

Mais da metade do rombo foi concentrado no Estado de São Paulo

Não vai dar

Facebook e Microsoft cancelam participação em eventos por temor com coronavírus

Sony, Electronic Arts e Unity Technologies também já tinham informado que não participariam de conferência

Embraer monitorada

S&P mantém rating BBB da Embraer em observação para eventual rebaixamento

Avaliação reflete a aprovação ainda pendente da Comissão Europeia sobre o acordo entre a empresa brasileira e a Boeing, diz agência

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu