⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula, Bolsonaro, Ciro e Tebet querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2019-02-15T14:06:13-02:00
Estadão Conteúdo
Depois do pente fino

Impacto fiscal da reforma da Previdência deve recuar em até R$ 600 bilhões no Congresso

Previsão é de Christopher Garman, diretor da consultoria de risco político Eurasia. Para ele, negociações devem limitar o projeto

15 de fevereiro de 2019
14:06
Congresso Nacional
Expectativa da Eurasia é que a reforma da Previdência seja aprovada em julho deste ano - Imagem: Pedro França/Agência Senado

O cientista político Christopher Garman, diretor da consultoria de risco político Eurasia, reafirmou nesta sexta-feira, 15, que o impacto fiscal da reforma da Previdência deve ser reduzido para algo entre R$ 400 bilhões e R$ 600 bilhões, após as negociações que devem ocorrer no Congresso Nacional.

Em palestra para empresários em São Paulo, Garman ressaltou que a aprovação depende de qual vai ser a estratégia de comunicação do governo com a população e da estratégia de negociação com os parlamentares.

A expectativa da Eurasia é que a reforma da Previdência seja aprovada em julho deste ano, antes do recesso parlamentar.

Depois disso, com um capital político menor do presidente Jair Bolsonaro e a população demandando melhorias em suas vidas, o cenário estará mais desafiador para novas medidas amargas, acredita Garman.

Além disso, acrescenta, os efeitos econômicos positivos da reforma, que dariam um retorno político a Bolsonaro, vão demorar a serem sentidos pela população.

No Congresso, Garman apontou que as lideranças partidárias estão insatisfeitas com o foco do presidente nas bancadas temáticas e nos deputados do chamado baixo clero. Em relação à sociedade, reiterou que a vitória de Bolsonaro se deveu ao descontentamento dos eleitores com a classe política e com os serviços públicos de baixa qualidade.

O presidente, disse, será pressionado para que as demandas de serviços públicos sejam atendidas. "Essas demandas podem não chegar no primeiro semestre, mas chegam no segundo", afirmou.

Garman lembrou que todos líderes eleitos nos últimos anos em vários países já estão com aprovação inferior a 50%. Bolsonaro, que tem pouco mais de um mês de governo, é uma das exceções, disse. A outra é López Obrador, do México, que tem meses de governo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

ELEIÇÕES 2022

Celular vetado, colinha, acompanhante e mais: saiba o que é permitido ou proibido no momento da votação

1 de outubro de 2022 - 14:07

Às vésperas do pleito porém, muitos cidadãos ainda têm dúvidas sobre as regras, além de quais documentos levar e a ordem da votação

FOTOGRAFIA FINAL

Ipespe: Lula (PT) segue estável e Bolsonaro (PL) oscila dois pontos — saiba o que a pesquisa traz de novo na véspera da eleição

1 de outubro de 2022 - 13:32

A última pesquisa Ipespe antes do primeiro turno das eleições presidenciais, aponta que Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera com 46% dos votos válidos contra 33% de Bolsonaro

APESAR DAS DIVERGÊNCIAS

“Efeito Meirelles” nas eleições? Saiba por que o ex-presidente do BC declara voto em Lula (PT)

1 de outubro de 2022 - 12:25

O economista defende que o eventual governo do petista poderia “recuperar a economia”, além da responsabilidade fiscal nas contas públicas

VERSÃO DIGITAL

e-Título: Prazo para baixar o título digital termina neste sábado (1); saiba como usar o aplicativo na hora de votar

1 de outubro de 2022 - 11:27

O título de eleitor digital pode ser baixado nas lojas de aplicativos do celular até as 23h59 e pode ser apresentado como documento oficial

SEGUNDO TURNO VEM AÍ?

Distância entre Lula e Bolsonaro continua de 8 pontos, segundo CNT/MDA — confira os detalhes da nova pesquisa

1 de outubro de 2022 - 10:28

Segundo o levantamento, o petista tem 44,2% das intenções de voto, enquanto o presidente que tenta a reeleição subiu dois pontos, para 36,3%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies