Menu
2019-10-14T14:14:59-03:00
Acordo Mercosul/UE

Brasil tenta acerto com Reino Unido antes do Brexit

Com a iminente saída do bloco, adiada para 31 de outubro, o Reino Unido perderá os benefícios do tratado com o Mercosul e de outros acordos que o bloco europeu firmou nos últimos anos, como com o Japão

3 de julho de 2019
9:05 - atualizado às 14:14
Mercosul - União Europeia
Mercosul - União Europeia - Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Brasil decidiu se antecipar ao Brexit e abrir uma frente de diálogo com o Reino Unido. Oficialmente, os britânicos estão incluídos no acerto finalizado entre Mercosul e União Europeia na semana passada em Bruxelas. Mas, diante das discussões para a saída do Reino Unido do bloco, o Brasil começou a costurar as bases do que pode ser um futuro novo acordo.

No início do mês, empresários britânicos vieram ao Brasil para conversar com o chanceler Ernesto Araújo, no Itamaraty, e com representantes do Instituto Brasil 200, que recebeu aval do governo para coordenar um grupo de estudos sobre o assunto de maneira informal. Há previsão de um novo encontro entre eles em Londres, ainda sem data definida.

Para o presidente do Brasil 200, Gabriel Kanner, a conclusão do acordo Mercosul-UE foi uma “ótima notícia” porque os termos do acordo com o Reino Unido serão “semelhantes”. “Sem dúvida eles (Reino Unido) estão pressionados para fechar o acordo conosco.”

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Com a iminente saída do bloco, adiada para 31 de outubro, o Reino Unido perderá os benefícios do tratado com o Mercosul e de outros acordos que o bloco europeu firmou nos últimos anos, como com o Japão.

Um dos integrantes da iniciativa, o economista Isaías Coelho afirma que o trabalho do grupo ainda é preliminar. O intuito é fazer um “mapeamento de intenções e boa vontade” para “verificar se há convergência e se o terreno é fértil”.

Qualquer negociação para um acordo de livre-comércio, porém, só avançará com a entrada de Argentina, Paraguai e Uruguai nas discussões. Por causa do acordo com o Mercosul, o Brasil só está autorizado a negociar acordos que envolvam tarifas em conjunto com os outros parceiros do bloco.

Hoje, o Mercosul toca quatro negociações de forma avançada: com o Canadá, com os países europeus do EFTA (formado por Suíça, Noruega, Islândia e Liechtenstein), com Cingapura e com a Coreia do Sul.

A expectativa do governo brasileiro é que seja possível concluir no segundo semestre ao menos duas dessas tratativas, afirmou ontem o Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo.

Segundo ele, a conclusão do acordo com os europeus, aumentou o interesse ainda do Japão para firmar um tratado com o bloco sul-americano.
Já com a China, Araújo esclareceu que não há intenção de se avançar, por ora, num acordo comercial amplo.

“Cada país do Mercosul tem uma estratégia. Estamos tentando ações pontuais para abrir novos mercados interessantes ao Brasil, sobretudo na parte agrícola, de atração de tecnologia e investimentos”, disse.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

NOVAS NORMAS

Nova norma sobre lavagem de dinheiro influencia entrada do Brasil na OCDE, diz BC

A Circular nº 3.978 busca modernizar os procedimentos de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento ao Terrorismo (PLDFT) no Brasil

DE OLHO NO PIB

Nova grade de parâmetros pode trazer previsão de PIB maior que 2,4%, diz Waldery

Por outro lado, Waldery admitiu a possibilidade de retirada da projeção de receitas com a descotização de hidrelétricas da Eletrobras, que depende da privatização da companhia

VEM GRINGO

Bolsonaro autoriza entrada do Brasil em acordo que abre licitação a estrangeiros

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já havia dito na terça-feira, 21, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, que o Brasil entraria no acordo

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Nada como um minuto após o outro

Quem disse que o futebol é uma caixinha de surpresas não conhece a bolsa de valores. Quando deixei a redação do Seu Dinheiro no começo da tarde para fazer uma entrevista, o dia estava azedo nos mercados. Na mínima, o Ibovespa chegou a ficar abaixo dos 117 mil pontos. Não faltavam razões para o mau humor. Pela […]

Eye of the tiger

Ibovespa Balboa: índice leva uma surra no começo do dia, mas vira a luta e crava uma nova máxima

Os temores quanto à disseminação do coronavírus colocaram o Ibovespa nas cordas durante a manhã. Mas, ajudado pelo bom desempenho das ações dos bancos, o índice partiu para cima e fechou em alta, chegando pela primeira vez aos 119 mil pontos

CURSO DO SEU DINHEIRO

Qual é a REAL sobre a aposentadoria aos 40 anos?

O Seu Dinheiro lançou nesta semana um projeto para acelerar a sua aposentadoria. Recebi diversos e-mails de leitores com dúvidas sobre o projeto. Aqui está tudo que você precisa saber.

NOVO IMPOSTO NO RADAR

Paulo Guedes está de olho em criar “imposto do pecado” sobre bebidas, cigarros e açúcar

Tal medida poderia impactar no futuro ações de empresas de bebidas como Ambev, além de sucroenergéticas, como São Martinho, Biosev e Cosan

POLÍTICOS NA MIRA

BC aperta cerco contra políticos e familiares envolvidos em transações suspeitas

Atualmente, políticos como deputados federais, senadores e ministros já são considerados politicamente expostos, assim como seus parentes de primeiro grau

NADA DE VÍRUS POR AQUI

Ministério da Saúde afasta suspeita de casos de coronavírus no Brasil

Segundo o secretário, o Brasil está preparado para lidar com uma eventual epidemia da doença

Olho na Linx

Credit Suisse mantém recomendação de compra para Linx, mas reduz preço-alvo para ações

Em relatório divulgado hoje (23), os analistas Daniel Federle, Felipe Cheng e Juan Pablo Alba disseram que o corte tem a ver com as estimativas mais baixas para o volume de compras (TPV) dentro do Linx Pay e com a taxa que é cobrada pelo uso do sistema de pagamentos, que é conhecida como MDR

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements