Menu
2019-08-13T09:35:44-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
um foco de tensão

Candidato opositor na Argentina critica acordo Mercosul-UE e chama Bolsonaro de racista e misógino

De acordo com o candidato kirchnerista, acordo firmado entre os dois blocos nunca existiu; ele voltou a dizer que Macri é quem coloca o País em virtual default 

13 de agosto de 2019
9:35
Alberto Fernández
Imagem: Televisón Pública Noticias

Vencedor das primárias de domingo na Argentina, o candidato kirchnerista Alberto Fernández criticou, em entrevista na noite desta segunda-feira, 13, o acordo entre o Mercosul e a União Europeia.

De acordo com ele, o acordo firmado entre os dois blocos nunca existiu. "As pautas iniciais são desvantajosas à Argentina", afirmou ao programa Coreia do Centro, do canal argentino NET TV.

Fernández também criticou o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, mas disse que vai respeitá-lo "institucionalmente", caso saia vencedor da corrida presidencial. "Celebro que ele fale mal de mim. É um racista, misógino, violento", afirmou.

A fala foi uma resposta ao que disse Bolsanaro ontem: que a região sul do Brasil pode ter uma onda migratória similar à de Roraima caso Fernández, que tem a ex-presidente Cristina Kirchner como vice, fosse eleito. Ele disse, contudo, ter um pedido a Bolsonaro: "que deixe Lula Livre".

'Não quero a Argentina em default'

Fernández voltou a dizer que o presidente da Argentina, Mauricio Macri, é quem coloca o país em virtual default  - pois os bônus argentinos já são negociados sob a administração dele "a um preço de país em default".

A chapa encabeçada por Macri, que tenta a reeleição, ficou em segundo lugar nas primárias, com 32%. Fernández  teve 47% dos votos. "Eu não quero a Argentina em default. Não quero de modo qualquer. Custa muito cair em default", disse.

Para Fernández, a forma de evitar um calote da dívida soberana é colocar a economia em marcha. Ele criticou a subida recente dos juros para conter a desvalorização do peso. "Não quero que a Argentina funcione a uma taxa de juros de 70%."

*Com imprensa internacional e Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Pressão para todo lado

Comissão inicia discussões sobre a Reforma Administrativa; relator afirma que Bolsonaro precisa manifestar seu apoio

A comissão especial formada na Câmara dá hoje o pontapé inicial na discussão da reforma administrativa. A primeira reunião é cercada de forte pressão para definir a lista das categorias de Estado a serem incluídas na Proposta de Emenda à Constituição (PEC). O crescimento desse movimento é uma das preocupações do relator do projeto, deputado […]

Matéria-prima salgada

Commodities vão inflacionar o mercado de carros, diz presidente de consórcio que reúne Fiat, Jeep, Peugeot e Citroën

Além da pandemia e da falta de chips, o executivo vê com preocupação o movimento inflacionário das commodities usadas pelo setor

MERCADOS HOJE

Dólar fica abaixo dos R$ 5 pela primeira vez em um ano; confira as razões para a queda da moeda

Entrada de fluxo estrangeiro no país é acompanhada de alguns critérios técnicos e uma melhora na percepção de risco.

Ampliando investimentos

GM amplia em 75% investimentos em carros elétricos e automáticos até 2025

A projeção da empresa é de que seu Ebit fique entre US$ 8,5 bilhões e US$ 9,5 bilhões na primeira metade do ano

Análise do presidente

Para Bolsonaro, derrubada ou perda da validade da MP da Eletrobras provocará caos

A MP não tem consenso entre líderes e corre o risco de ser derrubada ou ter a votação adiada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies