🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
questões de diplomacia

França diz que Bolsonaro mentiu sobre Amazônia e ameaça deixar acordo Mercosul-UE

Sede do governo francês divulgou nota afirmando que, nas condições atuais, a França se opõe ao acordo; Finlândia pede avaliação de veto a compra carne bovina brasileira

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
23 de agosto de 2019
15:03 - atualizado às 15:31
Emmanuel Macron, presidente da França
Imagem: Shutterstock

O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou nesta sexta-feira, 23, que o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, estava mentindo quando minimizou as preocupações sobre a mudança climática na reunião do G-20 no Japão, em junho.

O Palácio do Eliseu, sede do governo francês, divulgou nota afirmando que nas condições atuais, a França se opõe ao acordo entre Mercosul e União Europeia, segundo agências internacionais de notícias.

Já o governo da Finlândia, que acumula a presidência rotativa da União Europeia, pediu ao bloco econômico que avalie a possibilidade de vetar a compra carne bovina brasileira.

A ameaça se soma a um dia especialmente ruim para o mercado local, que opera em queda firme, acompanhando as bolsas americanas - que, por sua vez, refletem a forte escalada nas tensões comerciais entre Estados Unidos e China. Veja nossa cobertura de mercados desta sexta-feira.

Anunciado em junho, o acordo é apontado por Bolsonaro como uma das principais conquistas de seu governo. O tratado, que abrange bens, serviços, investimentos e compras governamentais, vinha sendo discutido há duas décadas por europeus e sul-americanos.

Crise internacional

As queimadas na Amazônia ganharam repercussão internacional nesta quinta-feira, 22, após o presidente da França dizer que o assunto precisa estar no topo da agenda da reunião do grupo das sete maiores economias do mundo (G-7) deste fim de semana.

O assunto também foi amplamente debatido por personalidades políticas e celebridades dos esportes e das artes. Hoje, é assunto principal em, entre outros veículos, o site de notícias BBC. "Nossa casa está queimando. Literalmente", escreveu Macron no Twitter.

"A Floresta Amazônica - o pulmão do nosso planeta, que produz 20% do oxigênio do nosso planeta - está em chamas. É uma crise internacional. Membros do G7, vamos discutir essa emergência de primeira ordem daqui a dois dias", escreveu o presidente da França em duas publicações seguidas, em francês e inglês.

De 1º de janeiro até essa terça-feira, 20, foram contabilizados 74.155 focos, alta de 84% ante o mesmo período de 2018, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Um pouco mais da metade (52,6%) desses focos têm ocorrido na Amazônia.

Em Brasília

O governo federal determinou que todos os ministros adotem medidas necessárias para o levantamento e o combate a focos de incêndio na região da Amazônia. A decisão está publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

Nesta sexta, o presidente Jair Bolsonaro iniciou o discurso na cerimônia do Dia do Soldado, no Exército, dizendo que "árdua é a missão de desenvolver e defender a Amazônia". "Muito mais difícil foi a missão dos nossos antepassados de conquistá-la e mantê-la", afirmou o presidente.

Sem citar nomes, Bolsonaro afirmou que o Brasil tem inimigos e que eles estão ganhando a "guerra da informação". "Não nos faltam inimigos, como os de sempre, que teimam em ganhar a guerra da informação", declarou.

Já o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse em seu perfil pessoal no Twitter que a Casa vai criar uma comissão externa para acompanhar o problema das queimadas que atingem a Amazônia.
Além disso, o parlamentar informou que vai realizar uma comissão geral nos próximos dias para avaliar a situação e propor soluções ao governo.

*Com Estadão Conteúdo

Compartilhe

Sem acordo...

Bolsonaro diz que pode voltar atrás e aceitar ajuda de R$ 83 milhões do G-7

27 de agosto de 2019 - 9:00

A ajuda foi prometida pelos integrantes que participaram da reunião do G-7, o grupo de países mais ricos do mundo, com o objetivo de auxiliar no combate a incêndios na Amazônia

Na defesa do capitão

Ministra da Agricultura diz que declarações de Macron sobre Amazônia foram ‘oportunistas’

26 de agosto de 2019 - 14:18

Tereza Cristina se disse satisfeita, no entanto, com a oferta do G-7 para ajudar o Brasil a combater os incêndios florestais

subiu o tom

Espero que os brasileiros tenham um presidente à altura do cargo, diz Macron

26 de agosto de 2019 - 10:12

Presidente da França também anunciou que os países do G-7 concordaram em liberar 20 milhões de euros para a Amazônia

crise do clima

G7 quer ajudar o mais rápido possível nos incêndios da Amazônia, diz Macron

25 de agosto de 2019 - 14:04

Segundo o presidente da França, “tudo depende dos países da Amazônia”, que compreensivelmente defendem sua soberania

crise na amazônia

Amazônia ganha destaque global e Macron fala em discutir assunto no G-7

23 de agosto de 2019 - 8:07

Repercussão das queimadas têm escalada após mensagem do presidente da França; governo e parlamento anunciam medidas

REUNIÃO DO G20

Macron sobre acordo de Paris: ‘compete a Bolsonaro esclarecer as coisas’

2 de dezembro de 2018 - 8:38

Ele disse que futuro das negociações de Mercosul e UE dependem se o Brasil vai aceitar o acordo de Paris

G-20

Macron ‘alfineta’ Brasil sobre acordo climático e Bolsonaro responde

30 de novembro de 2018 - 6:58

Presidente francês se disse contrário à assinatura de acordo comercial com “potências que não respeitam Acordo de Paris”

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies