Menu
2019-10-14T14:14:57-03:00
Estadão Conteúdo
Após duas décadas de negociação...

Acordo Mercosul/União Europeia tem grandes chances de ser fechado nesta sexta, diz porta-voz

Em contato com representantes do Brasil que estão na Europa, um porta-voz da Presidência disse que recebeu como informação a avaliação de que o acordo estava “muito avançado”

28 de junho de 2019
9:56 - atualizado às 14:14
União Europeia e Mercosul
União Europeia e Mercosul - Imagem: Shutterstock

Há grandes chances de o acordo entre Mercosul e União Europeia ser fechado nesta sexta-feira, 28, de acordo com o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros. Questionado em Osaka, no Japão, durante encontro do G20, sobre se as chances estariam em torno de 80%, ele respondeu: "Eu diria mais".

De Bruxelas, uma fonte comunicou ao Broadcast/Estadão, no entanto, que as negociações avançam e que os dois lados estão muito perto de encerrar um processo que se arrasta há 20 anos, mas que ainda há "desafios a superar".

A grande expectativa, segundo o porta-voz, é que as duas partes cheguem a um consenso suficiente para que o anúncio seja feito, mas vai depender "do que acontecer lá (em Bruxelas)" nas próximas horas. O Japão está sete horas à frente de Bruxelas e 12 horas à frente do Brasil.

Em contato com representantes do Brasil que estão na Europa, o general disse que recebeu como informação a avaliação de que o acordo estava "muito avançado". "Não sei o que está faltando", afirmou. Um dos pontos que tratavam as negociações há um mês envolvia a questão dos vinhos.

O governo aposta todas as suas fichas para finalmente destravar esta questão que dura duas décadas. Por causa da mudança na composição da Comissão Europeia, há um interesse em fechar logo o acordo antes que novos empecilhos possam surgir com a próxima equipe. Há pouco mais de um mês, um integrante do governo brasileiro avaliou, em relação ao fechamento do acordo Mercosul-União Europeia, que era "now or never" (agora ou nunca).

Entrada na OCDE

O Brasil está muito bem posicionado em seleção de países para entrar na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A avaliação foi reforçada ao governo brasileiro, após encontro do presidente Jair Bolsonaro com o secretário-geral da entidade, José Ángel Gurría, e também após a reunião bilateral com o presidente americano Donald Trump, segundo o porta-voz da Presidência, Otavio Rêgo Barros.

Um dos motivos que levam a crer nessa "vantagem" do Brasil diz respeito ao adiantamento da adesão do País aos requisitos exigidos pela instituição que tem sede em Paris. Mesmo sem ter a sua candidatura ainda confirmada, o governo vem trabalhando para se adequar aos 248 instrumentos e normas exigidos por ela. Em maio, o secretário-executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys, afirmou que cerca de 200 deles teriam o aval da Organização.

O porta-voz lembrou nesta sexta, no entanto, que há uma questão cronológica para que novos membros passem a disputar uma vaga na entidade. Além de Brasil, também estão na corrida Argentina, Romênia, Peru, Bulgária e Croácia. Há um impasse, no entanto, sobre como esses novos participantes devem entrar na OCDE na visão europeia e na americana. Gurría apresentou a proposta de uma entrada sequencial, que ainda não foi definida. O Brasil estaria na terceira posição, após Argentina e Romênia, mas ainda não há uma definição fechada.

Em março, Donald Trump prometeu a Bolsonaro que passaria a apoiar o ingresso brasileiro na instituição, o que foi feito em maio. "Avançou numa expectativa positiva na inserção do Brasil", disse o porta-voz sobre os encontros de hoje. "Houve um alinhamento entre o que ocorreu com a reunião da OCDE e na de Trump e Bolsonaro", acrescentou.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

o melhor do seu dinheiro

Efeito Lula livre na bolsa – 2022 já começou?

No Brasil morre-se de tudo – inclusive morre-se muito de covid -, mas não se morre de tédio. Os mercados locais começaram o dia castigados pelos temores dos investidores em relação ao avanço da pandemia no país, hoje no seu pior momento. Como se todas as incertezas em relação ao combate ao coronavírus por aqui […]

balanço 4º tri

Magazine Luiza vê lucro ir a R$ 219 milhões no 4º tri e supera expectativas do mercado

A varejista Magazine Luiza encerrou o quarto trimestre de 2020 superando as expectativas do mercado. A companhia divulgou na noite desta segunda-feira (08) o seu resultado trimestral, com umacom alta de 30,6% no lucro líquido, para R$ 219,5 milhões. No acumulado do ano passado, o resultado encolheu 57,5%, para R$ 391,7 milhões. No critério “ajustado”, […]

Desidratação à vista?

Bolsonaro: Lira e relator vão discutir PEC Emergencial, podem criar PEC paralela

Na entrevista, Bolsonaro afirmou que a PEC deve ser votada pela Câmara na quarta-feira, 10. De acordo com ele, ao votar a medida, os deputados federais darão o sinal verde para retomada do auxílio emergencial em cinco dias

Fechamento do dia

São tantas emoções! ‘Efeito Lula’ aprofunda incertezas locais e faz Ibovespa cair 4%; dólar fecha a R$ 5,77

Mercado doméstico já operava em queda firme antes da decisão do ministro Fachin; aumento das incertezas pesou sobre bolsa, dólar e juros

REVIRAVOLTA

Ibovespa recua 3% e dólar vai a R$ 5,78 após STF anular condenações de Lula na Lava Jato

Diante de um cenário já negativo, a decisão aumenta o nível de incertezas domésticas, segundo analistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies