Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-01-18T18:53:40-02:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Bolsa e dólar hoje

Ibovespa passa os 96 mil pontos ajudada pela China

A chance de os chineses aumentarem importações dos Estados Unidos contribuiu para animar os investidores aqui, na Europa e nos EUA

18 de janeiro de 2019
10:17 - atualizado às 18:53
Selo marca a cobertura de mercados do Seu Dinheiro para o fechamento da Bolsa
No ano, a valorização do indicador chega a 9,34% e na semana, a 2,60% - Imagem: Seu Dinheiro

Noventa e seis é o número do dia. Batendo - pela nona vez em 2019- o recorde, a Bolsa de Valores de São Paulo rompeu a resistência dos 96 mil pontos logo nos primeiros minutos da abertura e fechou a sexta-feira a 96.096 pontos, com alta de 0,78%. É tanto recorde que ninguém mais lembra que há apenas 13 pregões, o Ibovespa começava o ano na casa dos 90 mil pontos. O dólar também terminou o dia subindo 0,11%, a R$ 3,75. A moeda acelerou os ganhos ante o real em linha com a valorização da divisa no mercado global. A possibilidade de a China aumentar as importações dos Estados Unidos, o que favoreceria um entendimento pelo fim da guerra comercial, é o que continua contribuindo para o fortalecimento da moeda americana ante as pares desenvolvidas e emergentes. E foi também o que catapultou a Bolsa hoje. A preferência do investidor foi por papéis de commodities, como Vale e Petrobras. No ano, a valorização do indicador chega a 9,34% e na semana, a 2,60%. As bolsas na Europa e em NY  trabalharam no positivo.

Eletrobras: saída consensual

A estatal de energia é a estrela do dia, sendo beneficiada pelo fluxo de notícias favoráveis e expectativa de privatização. As ações da Eletrobras lideraram as maiores altas do Ibovespa com ganhos de 4,56% na ON e de 5,22% na PNB. Sobre a estatal, o Brasil Plural destaca o novo Plano de Demissão Consensual (PDC). "Em nossa opinião, a medida é um passo importante para a empresa se tornar mais eficiente em termos de despesas e para uma potencial privatização", avalia o banco em comentário para clientes.

A companhia ontem anunciou intenção de, com o desligamento de 2.187 funcionários, gerar uma economia de R$ 574 milhões ao ano, a um custo de R$ 731 milhões. As adesões ocorrerão por um prazo de 30 dias. O analista da Guide Investimentos Rafael Passos destaca ainda o fluxo positivo de notícias além do PDC. "No final do ano passado tivemos a venda das distribuidoras e a confirmação de Wilson Ferreira Júnior no comando a empresa, uma pessoa que iniciou uma reestruturação operacional e financeira que trouxe um quadro mais otimista para a empresa", lembra. Em 2019, a ação ON já acumula alta de 33% e a PNB, de 25%.

Petrobras

As ações da Petrobras também abriram em alta nesta sexta-feira, beneficiadas pelo avanço dos preços do petróleo no mercado internacional e assim seguiram. O papel ON fechou em alta de 0,98% e o PN avançou 0,95%. Mais cedo, a Agência Internacional de Energia (AIE) informou que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) reduziu sua produção substancialmente em dezembro, mesmo num momento em que seu principal aliado fora do cartel, a Rússia, impulsionou sua produção a níveis inéditos. Além do petróleo, operadores destacam o anúncio da retomada do processo de desinvestimentos. A decisão veio logo após a reversão da liminar concedida pelo STJ, liberando a estatal para a venda de ativos. "O anúncio é positivo para a redução de seu endividamento", destaca a Rico Investimentos em comentário a clientes.

Vale

Vale ON subiu 0,98%. Em relatório divulgado hoje, o Credit Suisse destacou a resiliência do preços do minério de ferro prevista para os próximos meses do ano, devendo manter o mesmo nível do pico de 2018. "Agora esperamos que fique entre US$ 70/t e US$ 75/t no restante deste trimestre, podendo ser ainda maior se a guerra comercial entre China e Estados Unidos tiver uma solução", comenta o banco.

O BTG Pactual também divulgou relatório positivo sobre a empresa. Os analistas Leonardo Correa e Gerard Roure avaliam que a Vale continua a dominar o mercado de minério de ferro de alta qualidade, posição que a torna privilegiada no cenário de busca por qualidade na indústria - fator positivo mesmo diante da recente queda nos spreads. "Acreditamos que a Vale pode distribuir um dividendo de cerca de 10% em dólar em 2019, o que acreditamos estar subprecificado pelo mercado", afirmou o documento.

Gol

Outro papel entre as maiores altas do Ibovespa é Gol PN, com avanço de 0,79%. Para o analista de investimentos da Mirae Asset, Fernando Bresciane, o papel se beneficia do patamar mais baixo do dólar. "Mas de uma forma geral, o cenário é positivo para a empresa desde que o governo anunciou que deve autorizar a entrada de novos players estrangeiros no mercado brasileiro, o que é bom caso tenha a entrada de alguém no capital. Além disso, a demanda está indo bem e deve melhorar ainda mais", explica. Passos, da Guide, lembra que a correlação forte com a moeda americana ocorre porque entre 30% e 40% dos custos da empresa são dolarizados, como o leasing de aeronaves, combustível e manutenção das aeronaves. "Além disso, são boas as expectativas para 2019 com aceleração do consumo, além do processo de reestruturação societária que prevê a incorporação da Smiles e migração para o Novo Mercado", destaca.

Natura

As ações ON da Natura fizeram bonito hoje, com avanço de 5,81%, em meio a um otimismo com a empresa. Ontem, o BTG Pactual divulgou prévia do balanço, com destaque para o lucro líquido, que deverá subir 5% no quarto trimestre em relação ao mesmo período de 2017, e para o Ebitda, cuja projeção é de alta de 13%. O analista da Mirae Asset, Fernando Bresciani, lembra que a Natura não acompanhou o movimento altista das demais empresas de consumo neste ano, então ela ficou atrasada. "Agora, os investidores estão aproveitando para comprar o papel, com expectativa de números positivos porque a Natura é uma empresa boa", disse.

Embraer

Após fecharem em queda de mais de 4% na sessão anterior, as ações ON da Embraer voltam a amargar perdas, liderando as quedas no Ibovespa, com baixa de 2,93% em meio a um movimento vendedor de estrangeiros, após corte na recomendação e no preço-alvo da ação negociada em Nova York (ADR), de acordo com um operador. O banco americano Morgan Stanley lidera as vendas nesta tarde, com ordem em torno de R$ 20 milhões, bem acima do segundo colocado, o brasileiro Bradesco, com R$ 7,91 milhões. Ontem, o próprio Morgan Stanley cortou a recomendação da ADR da empresa de overweight (desempenho acima da média do mercado) para equal-weight (em linha com a média do mercado), e reduziu o preço-alvo do papel de US$ 24,50, para US$ 23,70.

Copel

Os papéis PNB da Copel, que chegaram a subir no meio da tarde, recuaram 1,62%, após o presidente da companhia, Daniel Pimentel Slaviero, afirmar que uma oferta de ações, seja de primárias, para capitalizar a companhia, seja para venda de papéis na mão do Estado está totalmente descartada. "A questão da venda de ações não está na pauta, a gente entende que isso não é necessário e não é estratégico", disse.

 

 *Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

RUMO AO MILHÃO

O primeiro e mais importante investimento para quem atingir o primeiro milhão (ou ir além)

Por mais que você busque o conforto e a segurança de uma promessa de retorno garantido, digo, com convicção, que o único investimento com retorno garantido em longo prazo é aquele feito em educação

Ventos contrários

Renova Energia não consegue “proteção” contra minoritários da própria empresa

Empresa perdeu ação no TJ-SP que tentata impedir os acionistas de produzirem provas contra a empresa, relativas à investigação sobre desvio de recursos

Preocupação

Vidas secas? Bolsonaro admite que Brasil vive “enorme crise hidrológica”

Presidente citou a falta de chuvas como um dos grandes problemas econômicos do país, juntamente com os efeitos causados pela pandemia

MESA QUADRADA

“Não me arrependo de nada. Só não posso dar conselhos financeiros para ninguém”, diz Bob Wolfenson, o fotógrafo das celebridades entrevistado no 7º episódio do Mesa Quadrada

Em em conversa para o podcast Mesa Quadrada, Dan Stulbach, Teco Medina e Caio Mesquita, conversam sobre dinheiro e carreira com Bob Wolfenson, ícone da fotografia brasileira

Situação preocupante

Cuidado com as luzes acesas! Aneel mantém taxa adicional mais alta na contas de agosto

Tarifa cobrada na bandeira vermelha nível 2 é de R$ 9,49 por 100 quilowatts-hora (kWh), e agência continua avaliando se vai elevar o valor

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies